Orçamento 2020: Prefeitura de São Paulo propõe subsídios a ônibus de R$ 2,25 bilhões e em dezembro Bruno Covas define reajuste em tarifa

Publicado em: 30 de setembro de 2019
Bruno Covas

Bruno Covas no momento de entrega do Orçamento para 2020

Peça orçamentária também prevê recursos para novos corredores. Orçamento geral de 2020 está 13,8% maior em relação ao orçamento de 2019

ADAMO BAZANI

A prefeitura de São Paulo quer que os subsídios ao sistema de ônibus em 2020 sejam de R$ 2,25 bilhões.

É o que consta na proposta de Orçamento entregue nesta segunda-feira, 30 de setembro de 2019, pelo prefeito Bruno Covas à Câmara Municipal de São Paulo.

Covas foi pessoalmente apresentar o projeto de lei orçamentária ao presidente da Câmara, vereador Eduardo Tuma (PSDB),que estava gravado em um pen drive.

O valor indica que a prefeitura terá de reduzir custos na operação do sistema de ônibus, que anualmente necessita de subsídios na ordem de R$ 3 bilhões, já que custa R$ 8 bilhões para ser operado, mas as catracas arrecadam R$ 5 bilhões.

Os subsídios são usados para manter principalmente as gratuidades e integrações por meio do Bilhete Único.

Neste ano, a Câmara Municipal autorizou R$ 2,64 bilhões para os subsídios, mas como anualmente a conta sempre fica próxima de R$ 3 bilhões, o dinheiro já se esgotou e a prefeitura tem feitos remanejamentos dentro da lei de outras áreas.

Por causa da ampliação das gratuidades desde 2014, os valores necessários para subsídios à tarifa explodiram desde então.

Subsídios aos transportes na cidade de São Paulo:

– 2012: R$ 1,41 bilhão

– 2013: R$ 1,64 bilhão

– 2014: R$ 2,15 bilhões

– 2015: R$ 2,13 bilhões

– 2016: R$ 2,62 bilhões

– 2017: R$ 2,92 bilhões

– 2018: R$ 3,3 bilhões

Em entrevista coletiva na saída da Câmara Municipal, Bruno Covas disse que em dezembro a prefeitura vai definir se haverá aumento da tarifa de ônibus na cidade de São Paulo.

MAIS SOBRE ÔNIBUS:

Ainda sobre o sistema de transportes coletivos por ônibus da cidade de São Paulo, a proposta orçamentária para 2020 traz as seguintes previsões:

– Ampliação, Reforma e Requalificação de Corredores de Ônibus e Faixa Exclusiva de Ônibus em Pavimento Rígido – Programa De Metas – R$ 11,97 milhões (R$ 11.970.000,00)

– Ampliação, Reforma e Requalificação nas Áreas de Parada e Plataforma de Embarque de Faixa Exclusiva de Ônibus – Programa de Metas R$ 15 milhões (R$ 15.000.000,00)

– Manutenção e Operação de Terminais de Ônibus R$ 240 mil (R$ 240.001.000,00)

– Manutenção de Corredores de Ônibus R$ 2 mil (R$ 2.000,00)

– Manutenção de Corredores de Ônibus e Faixa Exclusiva de Ônibus em Pavimento Flexível – Programa de Metas R$ 10,97 milhões (R$ 10.970.000,00)

– Compensações tarifárias do sistema de ônibus (subsídios): R$ 2,25 bilhões (R$ 2.250.000.000,00)

– Construção de Terminais de Ônibus: R$ 6,5 milhões (R$ 6.502.201,00).

– Corredor Aricanduva – Obras do BRT: R$ 20,96 milhões (R$ 20.961.974,00)

– Construção de Corredores de Ônibus : R$ 54,17 milhões (R$ 54.173.402,00)

– Ampliação, Reforma e Requalificação de Corredores de Ônibus : R$ 73,17 milhões (R$ 73.177.362).

– Implantação de Corredores de Ônibus Novos – Programa de Metas : R$ 38,74 milhões (R$ 38.741.000 ,00)

EMPRESAS E SECRETARIA:

Entre as empresas da prefeitura, a SPTrans – São Paulo Transporte, que gerencia os serviços de ônibus e paga os subsídios, deve receber os maiores recursos: R$ 8,2 bilhões (R$ 8.206.142.874,00).

A gestão Bruno Covas propõe para a Secretaria Municipal de Mobilidade e Transportes um orçamento de R$ 3,13 bilhões (R$ 3.130.328.103,00)

ORÇAMENTO MAIOR PARA 2020:

O valor estimado de todo o para o ano que vem em toda a cidade é de R$ 68,9 bilhões, o que significa aumento nominal de 13,8% em relação ao orçamento de 2019, que foi de R$ 60,5 bilhões, segundo nota da Câmara Municipal.

Estão previstos R$ 7,3 bilhões em investimentos para 2020, o que representa crescimento de 34,4%.

A área de educação o maior aporte de recursos – R$ 13,8 bilhões, mais 7,7% em relação a este ano.

Ainda na nota, a Câmara explica como será a tramitação do projeto de lei orçamentária.

O projeto começa a tramitar na Comissão de Finanças e Orçamento. E será debatido com a população, nos próximos meses, em Audiências Públicas, para a elaboração de relatório final, agregando contribuições de munícipes e vereadores. Em seguida, seguirá para votação em Sessão Plenária.

 

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Comentários

  1. Rodrigo Zika! disse:

    Ou seja o prefeito poste diminui os embarques do BU, e já pensa em aumento da passagem mesmo ferrando o trabalhador mais pobre, que percorre distâncias muito grandes da periferia ate ate o centro pra trabalhar, uma vergonha.

  2. JOSE LUIZ VILLAR COEDO disse:

    A vingança nas Urnas virá! Fora PSDB, PSL, PT E TODAS AS SUAS HOSTES! E falam tanto de investimentos em Corredores de Ônibus … e depois … simplesmente pegam o dinheiro destinado a isso… e aplicam pra “tapar buracos” na Pasta de Transportes mesmo… ou outras Pastas que nada tem a ver com a Mobilidade Urbana! Mas quem se da bem – como sempre ! – são os Empresários de Ônibus “TRADICIONAIS” e agora as “ex” Cooperativas! E nos… pobres e pobres mortais somos sempre os que nos lascamos! ACORDA POVO DA CIDADE DE SAO PAULO SP E DESSA REGIÃO METROPOLITANA NOSSA ! SMT/CET, SPTrans e STM / EMTU, METRÔ E CPTM…pouco se importam conosco!

  3. Paulo Gil disse:

    Amigos, boa noite.

    Surreal!

    Esta eu pago pra ver.

    Com esse monte de articuladinho batendo lata de sol a sol, eu duvido de o dó.

    Sem contar a licitação comédia que nada modernizou.

    Alguém acha que com o modus operandi da CMTC de 50 anos atrás vai cair o subsídio ?

    Nem a pau Juvenal.

    PREVISIVELLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLL

    Att,

    Paulo Gil

  4. Pedro disse:

    Este e o governo do menos, intervalos de até 25 minutos, menos ônibus e na sua maioria continuam velhos e sujos, e não vem com esta historia que e o povo, porque e o mesmo povo pega metro e o metro e limpo, agora pergunto ao Paulo Gil que so gosta de onibus, mas parece que ta cagando e andando para o povo, para de analisar onibus rodando das 11:00hs as 15:00hs, acorda cedo e veja se tem ônibus batendo lata, ônibus tem que passar no maximo de 10 em 10 minutos, nos temos 14 milhões de habitantes, não e aceitável intervalos de 20 minutos, isso incentiva ao uso de automóveis, o que precisa para em SP e essa fabrica de gratuidade, gratuidade e para deficiente e miseraveis, aqueles que saem cedo para vender seus produtinhos nos semáforos, que não recebem vale transporte, o fato de ser velhos não e motivo para gratuidade eles pagam o arros o feijão e tudo mais, porque não pagar o transporte, pega a linha 2100 Carrão x Sé, eu acho que 60% da população que pega essa linha são velhos que não pagam passagem ai não tem quem aguente.

Deixe uma resposta