Orçamento 2020: Prefeitura de São Paulo propõe subsídios a ônibus de R$ 2,25 bilhões e em dezembro Bruno Covas define reajuste em tarifa

Bruno Covas
Bruno Covas no momento de entrega do Orçamento para 2020

Peça orçamentária também prevê recursos para novos corredores. Orçamento geral de 2020 está 13,8% maior em relação ao orçamento de 2019

ADAMO BAZANI

A prefeitura de São Paulo quer que os subsídios ao sistema de ônibus em 2020 sejam de R$ 2,25 bilhões.

É o que consta na proposta de Orçamento entregue nesta segunda-feira, 30 de setembro de 2019, pelo prefeito Bruno Covas à Câmara Municipal de São Paulo.

Covas foi pessoalmente apresentar o projeto de lei orçamentária ao presidente da Câmara, vereador Eduardo Tuma (PSDB),que estava gravado em um pen drive.

O valor indica que a prefeitura terá de reduzir custos na operação do sistema de ônibus, que anualmente necessita de subsídios na ordem de R$ 3 bilhões, já que custa R$ 8 bilhões para ser operado, mas as catracas arrecadam R$ 5 bilhões.

Os subsídios são usados para manter principalmente as gratuidades e integrações por meio do Bilhete Único.

Neste ano, a Câmara Municipal autorizou R$ 2,64 bilhões para os subsídios, mas como anualmente a conta sempre fica próxima de R$ 3 bilhões, o dinheiro já se esgotou e a prefeitura tem feitos remanejamentos dentro da lei de outras áreas.

Por causa da ampliação das gratuidades desde 2014, os valores necessários para subsídios à tarifa explodiram desde então.

Subsídios aos transportes na cidade de São Paulo:

– 2012: R$ 1,41 bilhão

– 2013: R$ 1,64 bilhão

– 2014: R$ 2,15 bilhões

– 2015: R$ 2,13 bilhões

– 2016: R$ 2,62 bilhões

– 2017: R$ 2,92 bilhões

– 2018: R$ 3,3 bilhões

Em entrevista coletiva na saída da Câmara Municipal, Bruno Covas disse que em dezembro a prefeitura vai definir se haverá aumento da tarifa de ônibus na cidade de São Paulo.

MAIS SOBRE ÔNIBUS:

Ainda sobre o sistema de transportes coletivos por ônibus da cidade de São Paulo, a proposta orçamentária para 2020 traz as seguintes previsões:

– Ampliação, Reforma e Requalificação de Corredores de Ônibus e Faixa Exclusiva de Ônibus em Pavimento Rígido – Programa De Metas – R$ 11,97 milhões (R$ 11.970.000,00)

– Ampliação, Reforma e Requalificação nas Áreas de Parada e Plataforma de Embarque de Faixa Exclusiva de Ônibus – Programa de Metas R$ 15 milhões (R$ 15.000.000,00)

– Manutenção e Operação de Terminais de Ônibus R$ 240 mil (R$ 240.001.000,00)

– Manutenção de Corredores de Ônibus R$ 2 mil (R$ 2.000,00)

– Manutenção de Corredores de Ônibus e Faixa Exclusiva de Ônibus em Pavimento Flexível – Programa de Metas R$ 10,97 milhões (R$ 10.970.000,00)

– Compensações tarifárias do sistema de ônibus (subsídios): R$ 2,25 bilhões (R$ 2.250.000.000,00)

– Construção de Terminais de Ônibus: R$ 6,5 milhões (R$ 6.502.201,00).

– Corredor Aricanduva – Obras do BRT: R$ 20,96 milhões (R$ 20.961.974,00)

– Construção de Corredores de Ônibus : R$ 54,17 milhões (R$ 54.173.402,00)

– Ampliação, Reforma e Requalificação de Corredores de Ônibus : R$ 73,17 milhões (R$ 73.177.362).

– Implantação de Corredores de Ônibus Novos – Programa de Metas : R$ 38,74 milhões (R$ 38.741.000 ,00)

EMPRESAS E SECRETARIA:

Entre as empresas da prefeitura, a SPTrans – São Paulo Transporte, que gerencia os serviços de ônibus e paga os subsídios, deve receber os maiores recursos: R$ 8,2 bilhões (R$ 8.206.142.874,00).

A gestão Bruno Covas propõe para a Secretaria Municipal de Mobilidade e Transportes um orçamento de R$ 3,13 bilhões (R$ 3.130.328.103,00)

ORÇAMENTO MAIOR PARA 2020:

O valor estimado de todo o para o ano que vem em toda a cidade é de R$ 68,9 bilhões, o que significa aumento nominal de 13,8% em relação ao orçamento de 2019, que foi de R$ 60,5 bilhões, segundo nota da Câmara Municipal.

Estão previstos R$ 7,3 bilhões em investimentos para 2020, o que representa crescimento de 34,4%.

A área de educação o maior aporte de recursos – R$ 13,8 bilhões, mais 7,7% em relação a este ano.

Ainda na nota, a Câmara explica como será a tramitação do projeto de lei orçamentária.

O projeto começa a tramitar na Comissão de Finanças e Orçamento. E será debatido com a população, nos próximos meses, em Audiências Públicas, para a elaboração de relatório final, agregando contribuições de munícipes e vereadores. Em seguida, seguirá para votação em Sessão Plenária.

 

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. Rodrigo Zika! disse:

    Ou seja o prefeito poste diminui os embarques do BU, e já pensa em aumento da passagem mesmo ferrando o trabalhador mais pobre, que percorre distâncias muito grandes da periferia ate ate o centro pra trabalhar, uma vergonha.

  2. JOSE LUIZ VILLAR COEDO disse:

    A vingança nas Urnas virá! Fora PSDB, PSL, PT E TODAS AS SUAS HOSTES! E falam tanto de investimentos em Corredores de Ônibus … e depois … simplesmente pegam o dinheiro destinado a isso… e aplicam pra “tapar buracos” na Pasta de Transportes mesmo… ou outras Pastas que nada tem a ver com a Mobilidade Urbana! Mas quem se da bem – como sempre ! – são os Empresários de Ônibus “TRADICIONAIS” e agora as “ex” Cooperativas! E nos… pobres e pobres mortais somos sempre os que nos lascamos! ACORDA POVO DA CIDADE DE SAO PAULO SP E DESSA REGIÃO METROPOLITANA NOSSA ! SMT/CET, SPTrans e STM / EMTU, METRÔ E CPTM…pouco se importam conosco!

  3. Paulo Gil disse:

    Amigos, boa noite.

    Surreal!

    Esta eu pago pra ver.

    Com esse monte de articuladinho batendo lata de sol a sol, eu duvido de o dó.

    Sem contar a licitação comédia que nada modernizou.

    Alguém acha que com o modus operandi da CMTC de 50 anos atrás vai cair o subsídio ?

    Nem a pau Juvenal.

    PREVISIVELLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLL

    Att,

    Paulo Gil

  4. Pedro disse:

    Este e o governo do menos, intervalos de até 25 minutos, menos ônibus e na sua maioria continuam velhos e sujos, e não vem com esta historia que e o povo, porque e o mesmo povo pega metro e o metro e limpo, agora pergunto ao Paulo Gil que so gosta de onibus, mas parece que ta cagando e andando para o povo, para de analisar onibus rodando das 11:00hs as 15:00hs, acorda cedo e veja se tem ônibus batendo lata, ônibus tem que passar no maximo de 10 em 10 minutos, nos temos 14 milhões de habitantes, não e aceitável intervalos de 20 minutos, isso incentiva ao uso de automóveis, o que precisa para em SP e essa fabrica de gratuidade, gratuidade e para deficiente e miseraveis, aqueles que saem cedo para vender seus produtinhos nos semáforos, que não recebem vale transporte, o fato de ser velhos não e motivo para gratuidade eles pagam o arros o feijão e tudo mais, porque não pagar o transporte, pega a linha 2100 Carrão x Sé, eu acho que 60% da população que pega essa linha são velhos que não pagam passagem ai não tem quem aguente.

Deixe uma resposta