Câmara Municipal de São Paulo analisa pedido de CPI para investigar aplicativos de transportes

Publicado em: 26 de setembro de 2019
Uber

Operadores de transporte público dizem que aplicativos têm tirado os passageiros nos deslocamentos menores que subsidiam os mais distantes. Foto: Adamo Bazani

Objetivo é verificar se empresas como Uber e 99 estão cumprindo regras e os impactos sobre a demanda do transporte coletivo

ADAMO BAZANI

A Câmara Municipal de São Paulo vai analisar a criação de uma CPI – Comissão Parlamentar de Inquérito para investigar a atuação das empresas de aplicativos de transportes na capital paulista, como Uber, 99 e Cabify.

O requerimento foi feito pelo vereador Adilson Amadeu, sendo publicado nesta quinta-feira, 26 de setembro de 2019. O pedido é para que a comissão tenha três membros e os trabalhos sejam realizados em 120 dias, com possibilidade de prorrogação de prazo.

Entre os pontos que devem ser apurados se a CPI for montada são os impactos que os aplicativos têm provocado no transporte coletivo de massa, que tem perdido passageiros.

“Considerando, o previa analise de estudos que indicam que este modal vem angariando passageiros do transporte coletivo de massa (ônibus e metrô)”

O pedido ainda quer a verificação do cumprimento ou não das normas estipuladas pelo município, como fixação de preços, idade de frota, condições de motoristas e pagamento de taxas, além do esclarecimento de denúncias de possíveis irregularidades como participação de locadoras nos serviços, trabalho eventual por condutores e até mesmo o uso de veículos clandestinos.

“Considerando ainda, a constatação acerca da proliferação dos veículos clandestinos na cidade ligados a estes aplicativos, que combinado com os escassos recursos para o desempenho efetivo do poder de polícia para coibir esta ilegalidade, é também razão de existir do presente requerimento”

O pedido ainda vai passar pelos outros vereadores, sem data publicada para resposta.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Deixe uma resposta