Volvo busca ônibus B58 antigos produzidos no Brasil

B58 modelo rodoviário. Foto: Divulgação.

Objetivo é reunir histórias de transportadores e motoristas

JESSICA MARQUES

Como parte da celebração dos 40 anos de produção de veículos no país, a Volvo está lançando uma ação nas redes sociais para encontrar o ônibus B58 mais antigo, que ainda estiver em circulação no Brasil.

A ação também se estende ao caminhão N10. Os modelos foram os primeiros produzidos na fábrica de Curitiba, no Paraná, e foram precursores de inúmeras mudanças introduzidas pela marca nas últimas quatro décadas.

A ação pretende mobilizar os seguidores dos perfis da Volvo no Facebook e Instagram para encontrar estes primeiros modelos.

“Queremos encontrar histórias de transportadores e motoristas que contaram e contam até hoje com os veículos Volvo para acelerar o progresso do Brasil”, afirmou Daniel Homem de Mello, diretor de comunicação e marketing da Volvo.

A ação de busca começa nesta semana e vai até o final de setembro. Fotos, vídeos, documentos ou qualquer outra evidência que possa comprovar a história dos veículos ainda em circulação podem ser enviadas à Volvo por meio das páginas da marca no Facebook – facebook.com/volvocaminhoes, facebook.com/volvoonibus/ ou Instagram. – instagram.com/volvocaminhoes e instagram.com/volvoonibus/.

Primeiro veículo da marca produzido pela Volvo no Brasil, em 1979, o chassi B58 trouxe conceitos muito à frente do seu tempo, segundo a fabricante.

“Com motor central, posicionado entre-eixos, privilegiava o espaço aos passageiros, que passaram a viajar pelas estradas com muito mais conforto e menos ruído. No segmento urbano essa configuração também permitia transportar mais passageiros num mesmo veículo.”

swxZIBvp7UbaJS59grGd1hLfD3.jpg

B58 urbano. Foto: Divulgação.

O motor entre-eixos permitiu ainda a introdução dos chassis articulados (1980) e biarticulados (1992), que, segundo a Volvo, trariam alta eficiência na mobilidade urbana em toda a América Latina, dando origem aos sistemas BRT (Bus Rapid Transit) que conhecemos hoje.

O N10, por sua vez, faz parte da primeira família de caminhões que a Volvo trouxe ao Brasil. Introduzido em 1980, o modelo tinha motor de 10 litros e 260 cv. Logo no ano seguinte chegaria o N12, com motor maior, de 12 litros e 330 cv, para aplicações mais severas. Ambos estavam disponíveis nas versões 4×2 (cavalo-mecânico) e 6×4 (rígido).

N10 na linha de produção. Foto: Divulgação.

Até o fim de 1988 mais de 12 mil caminhões dos modelos N10 e N12 foram licenciados no Brasil. Além disso, milhares foram exportados para toda a América Latina, Oriente Médio e África. Em 1989 os já veteranos modelos deram lugar aos também bem-sucedidos NL10 e NL12.

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. Rogerio Belda disse:

    será pouco frutífero procurar ônibus antigos nas grandes cidades porque eles são vendidos para cidades menores e depois são destinados a transportar trabalhadores para trabalhos agrícolas – Rogerio Belda

    1. Ricardo M.B. disse:

      Consegui um Volvo N10
      Gostaria de maiores informações sobre como enviar imagem ???
      Aguardo

      1. blogpontodeonibus disse:

        Tem de entrar nos endereços de redes sociais da Volvo publicados na matéria e fazer o envio por mensagem

  2. Maurício H Collaneri disse:

    Marca de respeito hein? Quem sabe eles encontrem um ônibus bem antigo ou caminhão e venham a patrocinar a restauração. Pra eles é dinheiro de pinga.

  3. MEU PRIMEIRO VOLVO, ERA de Mauá, em 64, da EAOSA, antiga…lembro bem da marca na grade daqueles barulhentos…quando minha mãe pegou onibus errado, para ir numa festa

  4. Ricardo M.B. disse:

    São mais de 5.000 Municípios no Brasil e não é difícil encontrar modelos Volvo antigos trafegando pelas cidade e estradas. Mas faltou informar o prazo para o envio das imagens ???

  5. Ricardo M.B. disse:

    Encontrei a data limite na matéria. Será setembro de 2019. ENVIAREMOS MATERIAL SIM!!!! A VOLVO pode contar com nossa participação!

  6. Paulo Gil disse:

    Amigos, bom dia.

    VOLVO, parabéns pela iniciativa!

    O motor “deitado” ainda existe?

    Se não existe mais, qual o motivo de ter saído de linha?

    Custo? Custo de manutenção? Rejeição do mercado?

    Particularmente eu gostava dos buzões com motor deitado; além de ser uma grande ideia, pois tirava os cofres do motor de dentro do buzão.

    Com certeza o resultado dessa busca será muito legal; mas com certeza o preço dos B-58 e N-10 já subiram.

    Barsil…

    Att,

    Paulo Gil

    1. Ricardo M.B. disse:

      O município de Salvador Ba na década de 80 adquiriu uma frota de ônibus Volvo com este motor. E os Volvo foram os primeiros articulados a transitar na primeira capital do Brasil. Infelizmente a empresa TRANSUR administrada pela prefeitura foi desativada há trinta anos. Mas tivemos o prazer de utilizarmos os Volvo urbanos através dela. E foram muito boas aquelas recordações. Especialmente pela qualidade dos veículos!

      1. Marcelo Alves disse:

        Ainda existe sim na configuração B12M.

Deixe uma resposta