Líder em tecnologia para transporte de passageiros expande operações e alcança PMEs do mercado

Publicado em: 20 de agosto de 2019

Aquisição feita pela Praxio amplia seu marketshare de 34% para 52% no segmento rodoviário de passageiros – chegando até às pequenas e médias empresas

Pequenas e médias empresas do transporte de passageiros já podem desfrutar de soluções tecnológicas especialistas em seu segmento. A Praxio, empresa de tecnologia que desenvolve softwares de gestão e soluções tecnológicas para toda a cadeia de transporte, expandiu sua área de atuação para PMEs.

A expansão foi resultado da compra da empresa Autumn (MG). Assim, a Praxio ampliou em 18% seu marketshare. A empresa já ocupava a liderança em 2018, com 34% do mercado. Com a aquisição, passou a ocupar 52% do segmento.

O mercado de soluções para PMEs do transporte

Mesmo na era digital, muitos empreendedores acreditam que a tecnologia ainda é um luxo exclusivo de grandes empresas. No entanto, o cenário atual desponta sinais de mudanças. Implementar sistemas tornou-se mais acessível com a evolução de soluções tecnológicas – agora, feitas sob medida para empresas de pequeno e médio portes.

Tais ferramentas vêm sendo aplicadas como pilares para a otimização de tempo e apoio à gestão, com foco na geração de receita e aumento da produtividade. Métricas essas que, segundo a pesquisa The Next Steps in Digital Transformation, produzida pelo IDC InfoBrief envolvendo diversas empresas ao redor do mundo, são as prioridades de pequenas e médios negócios.

No Brasil, empresas de menor porte são responsáveis por 98% de todos os negócios do país, com faturamento equivalente a 27% do Produto Interno Bruto (PIB) nacional. Os dados são do Sebrae. Com o avanço da tecnologia que possibilita a redução de custos operacionais, é imprescindível investir em soluções para viabilizar condições competitivas no mercado.

Tecnologia especialista no segmento

Entre as soluções praticáveis, estão as plataformas em nuvem (que descartam a necessidade de possuir parques tecnológicos próprios) e os softwares de automação comercial e de TI.

A automação é responsável pela integração entre departamentos, agilidade operacional, eficiência na gestão de custos e extração de dados em tempo real. Porém, os desafios ainda são vários para os empresários que desejam investir em tecnologia em suas empresas de pequeno e médio portes, com base nas necessidades do negócio e retorno perceptível a médio e longo prazos.

No segmento de transporte, as empresas possuem ainda mais particularidades. De acordo com Valmir Colodrão, CEO da Praxio, a maioria das empresas que migram de software de gestão e escolhem a Praxio, buscam soluções especialistas no segmento.

“Além das tradicionais integrações entre os setores backoffice, ou seja, financeiro, fiscal, RH, entre outros, as empresas de transporte de passageiros precisam gerenciar a manutenção da frota e a operação também, e todas essas informações precisam estar automatizadas e, acima de tudo, íntegras e integradas”, afirma o CEO.

Ainda segundo Colodrão, softwares generalistas custam caro às empresas, sobretudo nos processos de implantação e customização – o que as vezes exige a contratação de mais de uma empresa para cobrir cada etapa da operação, ou mesmo um novo investimento no desenvolvimento de integrações que o software contratado não possui nativamente.

Visando cobrir este gap no mercado, a Praxio, após sua recente aquisição, lança o software de gestão SIGA-I, voltado especialmente às pequenas e médias empresas do transporte de passageiros. “Para competir com qualquer concorrente no mercado, é preciso que pequenos negócios saibam investir estrategicamente. Tecnologias adequadas às suas demandas são uma realidade”, diz Colodrão.

Para Colodrão as perspectivas para o futuro são otimistas. “Estamos suficientemente capitalizados para seguir adquirindo empresas estratégicas para o segmento”, afirma o CEO da empresa.

Comentários

  1. eds disse:

    Pode ser que para o Transporte Rodoviário seja ágil, mas infelizmente para operação de São Paulo, muito falho e precisar melhorar muito, principalmente a questão do plantão e acompanhamento de ficha de funcionário.

Deixe uma resposta