Viações não assinam convenção coletiva e greve de ônibus em São Paulo não está descartada

Pela manhã desta terça-feira, Sindmotoristas deve fazer uma reunião plenária para decidir movimento trabalhista

ADAMO BAZANI

A cidade de São Paulo volta a ter risco de uma greve de ônibus.

Segundo o Sindmotoristas, que representa os trabalhadores dos transportes municipais, o SPUrbanuss, que reúne as empresas de ônibus, não assinou a Convenção Coletiva de Trabalho 2019-2020.

A assinatura deveria ocorrer nesta segunda-feira, 12 de agosto de 2019.

Nesta terça-feira, 13, às 9h, a diretoria do sindicato de trabalhadores se reúne numa sessão plenária para decidir as ações que podem ser tomadas. A paralisação de ônibus e terminais não está descartada pela entidade trabalhista.

De acordo com nota do Sindmotoristas, “os empresários de ônibus recuaram da decisão de assinar o documento, alegando que não têm recursos para arcar com o pagamento integral da Participação nos Lucros e Resultados (PLR), em setembro.” Ainda segundo a entidade trabalhista, o SPUrbanuss “propôs quitar a PLR somente em março de 2020.”

O SPUrbanuss, por sua vez informou que todas as cláusulas do acordo firmado entre as partes estão sendo cumpridas.

As empresas operadoras associadas ao SPUrbanuss – Sindicato das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de Passageiros de São Paulo informam que todas as cláusulas do Acordo Coletivo com impacto econômico, firmado com data base em 1o de maio, estão sendo cumpridas. Em relação ao PLR, o pagamento está combinado apenas para o próximo dia 05 de setembro. Porém, em razão de eventuais dificuldades financeiras neste segundo semestre, as empresas estão pleiteando com o Sindicato dos trabalhadores um possível parcelamento desse pagamento”, informou o sindicato das empresas de ônibus, na íntegra.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

6 comentários em Viações não assinam convenção coletiva e greve de ônibus em São Paulo não está descartada

  1. Vamos abrir a caixa preta das viações e ver qual foi o lucro líquido nos últimos anos, se não tiverem ganhado nada, não precisa pagar, mas se o lucro for muito grande, tem que pagar todas as PLR que não foram pagas nos últimos anos, não é justo?

  2. Tudo pilantra esses empresário não dinheiro e quance todos dias chegando carro novo o sindicato não pode deixar acontecer isso se é uma vergonha para categoria

  3. Francisco c m araujo // 13 de agosto de 2019 às 02:10 // Responder

    Já demorou para ter uma cpi do transporte ,para esses desgraçados se lascarem

  4. Dessa vez vamos ver qual é a atitudes dos diretores do sindicato e do presidente do sindicato já ficamos sem uma plr. E até hj ñ tivemos uma resposta sobre esse assunto. Aceitando esse pedido dos patrões pode ter certeza que nunca mais teremos esse nosso direito conquistado dos lucros das empresas. E teremos que ver a sptrans novamente passando na cara dos trabalhadores sua participação dos lucros na nossas caras. No valor acima de 5 mil reais. Sendo que nos levamos os trabalhadores todos os dias pra trabalharem. E temos um valor de 1500 reais proporcional. Ajustado pelas faltas 1500,1400, 1300, e 1200.

  5. Nós trabalhadores no transporte coletivo urbano de São Paulo somos enganados a cada ano a cada dicidio

  6. Eu gostaria que alguém me dissesse quando é que existe crise no transporte, pois no transporte não existe esse negocio de vou pagar a passagem depois, ou vc paga na hr ou paga adiantando, e vem algum imbecil me dizer que o transporte está em crise, só otário para acreditar nessas papagaiada, está tirando nós todos como otários.

Deixe uma resposta