Greve de ônibus em São Paulo pode ser realizada na quarta, 31, e prefeitura divulga nomes dos membros de comissão sobre recolocação de cobradores

Publicado em: 26 de julho de 2019

Ônibus padrons e básicos poderão vir configurados assim. Com a caixa de cobrança ao lado do motorista. Foto: Adamo Bazani (Diário do Transporte) – Clique para Ampliar

Ao menos 260 ônibus devem ser tirados do sistema em agosto e a partir de 02 de setembro, veículos novos dos tipos padron e convencional do subsistema estrutural já poderão ser incluídos sem o posto do cobrador. Sindmotoristas está preocupado com redução de frota e demissões

ADAMO BAZANI

O Sindmotoristas, que é o sindicato que representa os trabalhadores dos transportes urbanos da capital paulista, anunciou que vai fazer uma assembleia na próxima segunda-feira, 29 de julho de 2019, para decidir uma possível greve de ônibus em São Paulo na quarta-feira, 31.

Em plenária sobre o Dia dos Motoristas, realiza nesta quinta-feira, 25, no “CMTC Clube”, zona Norte da Capital, a entidade sindical definiu um plano de ação contra o que considera risco de perdas de empregos de motoristas e cobradores.

Entre as ações previstas pelo sindicato estão: “distribuição de um jornal do sindicato denunciando em detalhes a armação por trás do processo licitatório e convocando uma grande assembleia, em frente à sede da entidade, já para a próxima segunda-feira (29), com o objetivo de aprovar a greve da categoria quarta-feira (31), no mesmo dia do julgamento da licitação.”

Como mostrou o Diário do Transporte, no dia 31, a Justiça responde aos embargos de declaração impetrados pela prefeitura sobre a decisão que considerou ilegal o prazo de 20 anos de concessão previsto na licitação do sistema da cidade. Dependendo da decisão, a prefeitura pode validar a assinatura dos contratos com as empresas, ajustar estes contratos para 15 anos, o que mudaria toda a forma de remuneração das viações, ou mesmo, invalidar a concorrência e começar tudo do zero de novo.

Por meio de nota, o sindicato ainda informou que, além da paralisação dos ônibus no dia 31, os motoristas e cobradores podem realizar uma passeata da avenida Paulista até a sede da prefeitura, na região central.

“Na assembleia, será proposta, além da paralisação, uma passeata dos trabalhadores em transportes saindo do sindicato, passando pela Avenida Paulista, Consolação até à sede da Prefeitura, na região central da cidade.”

Em primeira mão, com base em documentos oficiais, o Diário do Transporte mostrou nesta quinta-feira, 25, que a gestão Bruno Covas pode retirar de circulação 260 ônibus do subsistema estrutural, formado pelas empresas mais tradicionais que operam coletivos maiores. Os novos contratos emergenciais com as viações já incorporaram o modelo operacional previsto na licitação dos transportes, com a criação de um grupo de linhas intermediário, chamado subsistema de articulação regional (entre os bairros) e a redução de frota.

O Sindmotoristas acredita que pode haver demissões com esta redução de frota.

A redução determinada pela gestão Bruno Covas, por meio dos contratos emergenciais, só afeta os subsistemas estrutural e de articulação regional (ônibus grandes e básicos). O subsistema local, formando pelas empresas que tiveram origem nas cooperativas de lotação, não é atingido.

Relembre e veja os contratos com a frota reduzida:

https://diariodotransporte.com.br/2019/07/25/especial-gestao-bruno-covas-pode-tirar-260-onibus-de-circulacao-de-sao-paulo-em-agosto/

Outra preocupação do Sindmotoristas é sobre o fim dos cobradores de ônibus na cidade de São Paulo.

Como também revelou o Diário do Transporte, uma circular da SPTrans permite que a partir de 02 de setembro, os novos ônibus básicos e padrons que forem incorporados ao sistema podem vir sem o posto de cobrador. Articulados e biarticulados novos ainda terão o posto de cobrança.

A forma como foi informada a nova frota, por meio de uma circular mandada por e-mail, também causou desconforto entre os trabalhadores.

As empresas que surgiram das cooperativas já atuam sem cobradores.

Poder público e viações dizem que não haverá demissões de cobradores por causa dessa portaria.

A prefeitura de São Paulo divulgou nesta sexta-feira, 26 de julho de 2019, a relação dos integrantes da Comissão que vai discutir como requalificar e reaproveitar no próprio sistema de transportes coletivos os cobradores de ônibus na capital paulista que, gradativamente, vão acabar perdendo na prática seus postos de trabalho.

Atualmente, segundo a SPTrans, apensas 6% dos passageiros na cidade de São Paulo pagam a tarifa em dinheiro.

A comissão cujos nomes foram divulgados nesta sexta-feira, 26, é formada por membros do poder público, sindicatos dos trabalhadores e representantes das empresas de ônibus.

Acompanhe a relação:

SMT – Secretaria Municipal de Mobilidade e Transportes

Edson Caran (Secretário de Transporte ), Hugo Koga, Gilberto Rodrigues Pereira.

SPTrans –  São Paulo Transporte (gerenciadora de transportes)

Paulo César Shingai (presidente SPTrans); Wagner Chagas Alves; Marcelo José de Almeida; Sebastião Ferreira Braz; Antonio Hamilton de Carvalho; Elizabeth Yukiko Tagata; Evelyn Bareto Santiago

Sindmotoristas – Sindicato dos Motoristas e Trabalhadores em Transporte Rodoviário Urbano de São Paulo

José Valdevan de Jesus Santos (presidente licenciado); Valmir Santana da Paz (presidente em exercício); Valdemir Santos Soares; Francisco Xavier da Silva Filho; Almerindo Santos Oliveira.

SPUrbanuss – Sindicato das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de Passageiros de São Paulo:

Carlos Alberto Fernandes Rodrigues de Souza; Antonio Roberto Pavani Junior; Antonio Sampaio Amaral Filho; Wagner Palma Moreira; João Carlos Fernandes.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Comentários

  1. Paulo Gil disse:

    Amigos, bom dia.

    Esta foto muito bem representa o que eu sempre digo, o painel de instrumentos do buzão é localizado monte fora do alcance das mãos do piloto.

    Já passou da hora dos principais comando com portas por exemplo serem colocados no volante.

    Bom; quanto ao piloto cobrar e pilotar e esta nova configuração com caixinha em cima do capu, em Sampa, mesmo nos bairros é um absurdo.

    Este é um assunto que não merece ter gasto nem 1 minuto de trabalho da fiscalizadora.

    É NÃO e pronto.

    Coloquem bilhetes de KR CODE a venda em tudo quanto é butiquim e camelo e pronto, deixem o buzãao de Sampa rodar e deixem o passageiro em paz; pelo amor de Deus.

    Se preocupem com eficiência, eficácia, linhas retas e a rede de buzinhos Vapt Vupt; o resto é sexo de anjos.

    PODER PÚBLICO, ATUALIZE-SE, MODERNIZE-SE, DEIXE DE JURASSISMO E ELIMINE O DESPERDÍCIO DO DINHEIRO DO CONTRIBUINTE, AFINAL DINHEIRO PÚBLICO NÃO EXISTE.

    Att,

    Paulo Gil

    1. Como fica a segurança dos passageiros??? desde que mundo é mundo existiu o seu auxiliar, de nome trocador, ou cobrador..que tambem ajuda o condutor..não acha?

  2. Luiz disse:

    Eu acho que isso é uma palhaçada só interesse entre patronal
    Motorista já se estressa com o trânsito de São Paulo ainda vai ter que cobrar desembarcar cadeirante auxiliar deficiente visual e fora aqueles que têm dificuldade de subir no ônibus
    Passageiros tem pressa quer facilitar não tirem os cobradores mas coloquem um acesso para o cobrador sair mais rápido da catraca e ajudar quem precisa

    1. e te digo mais, se passar mal??? e quando chega em casa como será que sente?

  3. Claudio Gomes dos Santos disse:

    Meu Deus até onde vai essa novela com o maior índice de desemprego no país e o prefeito com sua inteligência absurda pra não dar outro nome quer tirar país de famílias de seus postos de trabalho fazem isso como se fosse nada vai la e tira pronto sem planejamento um estudo da situação como ficaria o que se agravaria não que se lasque o posto de trabalho do pai de família ele que ele se vire pra eles o que importa é dinheiro propina máfia isso é atitude de covarde

  4. Alex Sandro disse:

    Engraçado que quando tiraram os cobradores do sistema local não vi mobilização nenhuma, porque? E já fazem quase 6 anos…

    Essa briga é politica simplesmente… porque atualmente as empresas ex cooperativas mais que agora são empresas pode rodar sem cobrador inclusive em ônibus com 13 metros? são empresas diferentes? Alguma legislação diferente?

    A tempos vi que a MobiBrasil tinha diversos cursos internos para os cobradores fazerem…

    Mais o desemprego… então vamos tirar todas as maquinas da industria e voltar como era no século 18? Vamos jogar lixos nas ruas para garantir o emprego do gari? vamos morrer para garantir o emprego do coveiro?

    Ou deixa os cobradores em todos os ônibus ou tira de todos e em caso de tirar que não haja cobrança por parte do motorista.

    Que as empresas tenham cursos para as demais atividades do transporte mais o que não dá e ter um funcionário que atende 6% dos usuários, que em alguns casos não dão nem uma informação quando solicitado, que em alguns casos não ajudam o próprio motorista muito menos passageiros com necessidades especiais.

  5. eu não votei no moleque !

  6. gera disse:

    Então.Tá na hora da população ir pra cima desses politicos que não faz nada para favorecer o povo,será que SÓ eles poĺiticos que tem família!! o país tá cheio desses políticos corruptos.que mete mão no dinheirinho público, e quem paga é a população perdendo seus empregos.o Brasil não tem jeito de ter êxito com esses mafiosos no puder…tem que tirar dinheiro de políticos ladrões,eles políticos ganha muito para não fazer nada . aliás muitos não fazem porque não tem capacidade por não ser formado acadêmico,muitos são analfabetos . O Brasil tá de perna pro ar com políticos com salários bilionário .e povão sem emprego.

  7. Rodrigo Zika! disse:

    Sou a favor do que o Paulo Gil disse, no caso SP capital e ridículo ainda aceitar dinheiro dentro do ônibus e lotação, precisa extinguir isso, nos bairros periféricos o que mais tem são pontos pra carregar o BU, não faz sentido, e precisam criar formas diversas de carregar o BU também, cartão de crédito, paypal etc, precisa modernizar, em países europeus e EUA não tem cobrador, porém existem diversas modalidades para usar ou carregar cartões no transporte publico, a capital mais rico do país vivendo na idade da pedra, por culpa de prefeitos incompetentes que saem e entram, independente do partido, vergonha, quanto aos cobradores sim e complicado perder o emprego e o Brasil não vive uma fase boa, porém devem entrar em acordo com as empresas mesmo via sindicato pra serem transferidos pra outros setores e serem capacitados, ao invés da empresa contratar alguém de fora, porque a profissão e inevitável com o tempo ser extinguida no país.

  8. Claudio disse:

    Invés o de Corta funcionarios , em troca cortado o combustível ,e padroniza com ônibus elétrico por trólebus, bateria recarregavel seja por tomada e solar ,a gás natural .

Deixe uma resposta