Greca pede autorização à Câmara de Curitiba para contratar empréstimo do BID destinado à linha Inter 2 do BRT

Publicado em: 17 de julho de 2019

Missão do BID esteve em Curitiba no início de julho. Foto: Prefeitura de Curitiba

Prefeitura afirma que capital paranaense deverá ser a primeira cidade do mundo a contar com sistema de Bus Rapid Transit operando em linha circular

ALEXANDRE PELEGI

O prefeito de Curitiba, Rafael Greca, encaminhou à Câmara de Vereadores nesta segunda-feira, 15 de julho de 2019, pedido autorização para o município contrair empréstimo no valor de R$ 405,7 milhões. Os recursos viriam do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID),  destinados a melhorias no transporte coletivo da Capital.

Trata-se da expansão da capacidade da linha Inter 2 do sistema de BRT, que hoje transporta 91 mil passageiros por dia em um itinerário circular de 38 quilômetros de extensão, passando por 28 bairros onde se concentram 580 mil habitantes.

Segundo a prefeitura, Curitiba deverá ser a primeira cidade do mundo a contar com um BRT operando em uma linha circular.

Com os recursos da operação de crédito será reestruturada a infraestrutura viária do itinerário da Linha Inter 2, com implantação de trechos em faixas exclusivas, execução de obras de arte e reconstrução das estações de integração.

O crédito integra o Programa de Mobilidade Sustentável, financiado com recursos do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID). Uma missão oficial do banco esteve em Curitiba no início de julho. Na ocasião, especialistas do BID visitaram parte do itinerário do Inter 2, em especial a estação Santa Quitéria, na Avenida Arthur Bernardes, que será transformada num terminal de integração.

A evolução do Inter 2 contará com R$ 534 milhões em investimentos, dos quais R$ 427,2 milhões com recursos do Banco Interamericano e contrapartida da Prefeitura de R$ 106,8 milhões.

Curitiba já obteve a aprovação da Comissão de Financiamentos Externos (Cofiex) do Ministério da Economia para a obtenção do empréstimo.

A prefeitura afirma que as linhas Direta Inter 2 e a linha paradora Interbairros II respondem hoje pelo transporte de aproximadamente 155 mil passageiros/dia.

Segundo o prefeito Rafael Greca, tais linhas compartilham as vias públicas com o fluxo de automóveis, e acabam prejudicadas pela disputa do espaço físico. A reestruturação priorizará fisicamente as linhas, o que redundará em ganhos de tempo e qualidade, tornando o transporte coletivo mais atraente à população.

Além do projeto do BID, a prefeitura solicitou à Câmara autorização para contrair empréstimo junto à Caixa Econômica Federal (CEF) no valor de R$ 15 milhões. Os recursos serão destinados para obras de mobilidade urbana, especificamente para a elaboração de estudos e projetos executivos e execução de obras de mobilidade urbana visando a implantação de obras de infraestrutura viária, requalificação de ruas, construção de novos terminais e estações de ônibus, entre outras.

Os projetos tramitam em regime de urgência, e devem começar a serem discutidos em agosto, quando a Câmara voltar do recesso parlamentar.

Programa de Mobilidade Sustentável de Curitiba (Aumento da Capacidade da Linha Inter 2)

Aumento na qualidade dos serviços de transporte das linhas Inter 2 e Interbairros II, as de maior carregamento que funcionam fora das canaletas.

Ganho de 50% na velocidade operacional.

Aumento de 30% na oferta de transporte.

Crescimento de 25% na freqüência.

Redução do tempo de viagem em até 35%.

Capacidade de transporte do Inter 2 (Ligeirinho) e Interbairros II (parador) irá aumentar de 155 mil passageiros/dia para 181 mil passageiros/dia.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Deixe uma resposta