Projeto torna obrigatório o suporte para bicicletas nos ônibus de todo o país

Publicado em: 16 de julho de 2019

Medida já existe em capitais como Curitiba e São Paulo. Foto: Divulgação.

Texto prevê alteração no Código de Trânsito Brasileiro

JESSICA MARQUES

Um projeto de lei que está tramitando na Câmara dos Deputados torna obrigatório o suporte para bicicletas nos ônibus de todo o país. O texto prevê uma alteração no Código de Trânsito Brasileiro.

O Projeto de Lei 2783/19, se aprovado, tornará obrigatória a instalação de um suporte apropriado para bicicletas nos veículos do transporte coletivo. O texto insere Código de Trânsito Brasileiro no essa exigência e encarrega o Contran (Conselho Nacional de Trânsito) de disciplinar a medida.

O projeto, que tramita em caráter conclusivo, ainda será analisado pelas comissões de Desenvolvimento Urbano; de Viação e Transportes; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

O autor do projeto, deputado Juninho do Pneu, disse, por meio de nota, que o objetivo é reduzir a quantidade de veículos em circulação nas cidades, já que os passageiros poderão fazer parte do percurso em bicicletas.

“É necessário integrar o uso das bicicletas com o sistema de ônibus, construindo uma malha de transportes diversificados e conectados. A utilização da bicicleta como meio de transporte para os descolamentos diários virou rotina nos meios urbanos das grandes e pequenas cidades. Contudo, infelizmente, é precária a acessibilidade desse meio de transporte”, disse o parlamentar.

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Comentários

  1. João Luís Garcia disse:

    Realmente nossos Exmos Srs Deputados devem ser iluminados
    Tanta coisa mais importante para que seja proposto e votado que poderia melhorar o sistema do transporte coletivo tanto para o usuário como para os operadores e esse Deputado vem propor esse projeto
    Mas infelizmente não podemos reclamar não é mesmo, afinal fomos nós que os elegemos

    1. Eu não , João Luiz….tira eu fora

      1. Bruno Loschiavo Ribeiro disse:

        Projeto imbecil e inútil, criado apenas para causar confusão e estresse.
        Nos coletivos já não há espaço para atender à demanda de passageiros à pé, vai querer enfiar uma penca de bicicletas junto?
        Ridículo!
        Se quer ser ciclista, que tome vergonha na cara e pedale! Já atrapalham o trânsito, são folgados e mal educados nas vias onde trafegam às custas do IPVA de outrem, agora querem folgar e causar nos coletivos também… Haja saco!
        E não, eu não votei nesses que aí estão.

  2. Júlio Bastos disse:

    Parabéns pelo PL

  3. Samuel Alves disse:

    BOA INICIATIVA , E , DEVE SER APROVADO NA CÂMARA DOS DEPUTADOS FEDERAIS !!!

  4. SANTA IMBECILIDADE >>>Incrível, amigos, o cara fica lá dentro da Câmara, aprova projetos, mas não sabe que em algumas cidades o transporte coletivo é tão precário, que se colocar bicicleta dentro, vai ter briga,,,Pior disso aprovado, será a s empresas serem obrigadas a adaptar-se, e com isso o custo cair nas passagens….Além do que deveria sim haver espaços nos terminais como Jão Dias, Capelinha, Santo Amaro, para aqueles que vem deJardins Nakamura, Angela, S. Bernardo, Herculano, Marsilac, áreas distantes, deixando nesses terminais e seguindo de coletivos. até o trampo…MAS CARREGAR DENTRO DO ÔNIBUS é loucura…

    1. Francisko Rod disse:

      Acredito que sem ferir a dignidade e opiniões, podemos chegar mais longe. Muitas vezes usamos nossas opiniões com um tom agressivo de mediocridade na tentativa de nos impor-mos como ávidos conhecedores de tudo.
      No entanto é nas relações diárias que se percebe que tudo na vida se consolida de pequenos momentos; ninguém nasce doutor, cientista ou astronauta, surge na verdade de um olhar, uma “paquera”, até chegar à um relacionamento, um “casamento”, e daí gerar um ser que se desenvolverá e tornará algo ou alguém importante a mim, ou a você! Ou ao mundo ou ao universo.
      Assim vejo tais propostas que hoje são citicadas e tratadas como banais e sem nexo.
      Porém loucos e louras já foram promulgadas e muito criticadas quando o homem propôs o trem a vapor, o avião, e quem diria o “famigerado” submarino temido por muitos marinheiros, a industrialização, ou mais recente os ‘alimentos’ transgênicos ou as rampas e vagas de cadeirantes nos colerivos. E quê hoje são metodologias comuns às nossas vidas e que nos servem com o máximo de propósito a que foi criado.
      São Paulo já possui à anos o transporte de bicicletas em suas frotas de articulados, lógico que ainda em determinados dias e horários; porém é uma grande conquista; imagine que nem sempre houve ônibus em todas os bairros de seu município, ou energia, água encanada, sinal de internet???
      Mas foram certas “mediocridades” como essa que tornaram isso possível para a melhoria da nossa qualidade de vida HOJE!!!
      Não vejo porque não votar e apoiar!?, pode ser que para nossa geração isso seja até um crime e não nos tenha serventia como o planejado, mas tudo, com o tempo poderá se desenvolver e chegar a um ideal de quidade.
      Em muitos lugares do mundo como Alemanha, Canadá e até mesmo os EUA possuem modais que atendem o propósito dos ciclistas em longas diatancias.

      https://ciclovivo.com.br/arq-urb/mobilidade/cidade-alema-tem-vagoes-externos-exclusivos-para-bikes/

      E até mesmo no Brasil isso já é realidade, não vejo o motivo de não tornar isso acessível a todos que necessitam. Pois a mesma motivação de ódio e discórdia surgiu quando houve a obrigatoriedade de vagas e rampas para cadeirantes nos coletivos ou a cadeira preferencial para idosos, gestante, ou o passe livre pra doente crônicos e etc. Não sabemos o que irá ocorrer no dia de amanhã em nossa vida.

      https://www.pedal.com.br/recife-aprova-suporte-para-bicicleta-em-onibus_texto8184.html

      Lembro de certas opiniões grosseiras que circularam na minha cidade quando em 1998 a Eucatur, na época, União Cascavel, começou a operar uma frota de ônibus com ar condicionado.
      Na época era uma relação de amor e ódio; todas as doenças sazonais eram logo justificadas como culpa do transporte coletivo com ar condicionado, “o proliferador de bactérias”, e hoje os mesmo que falaram tantas heresias, ficam horas fazem tumultos em filas à espera do articulado com Ar condicionado e cheirosinho, descartando na cara dura todos os ônibus comuns que param no terminal ou nas paradas
      Estão, não critique se no momento a sua opinião é diferente do propósito do outro, de repente lutar por um bem coletivo e melhorias humanitários mesmo contra sua opinião, pode lhe servir no futuro, ou a seu filho ou a uma comunidade que necessita mais que você.
      Vamos de qualquer forma aplaudir o proposto pelo caro deputado, pois no meu ponto de vista isso não é assunto para ser discutido hoje e nem amanhã, isso já era pra ter sido previsto lá em 1997 quando tivemos todas as suas revisões e mudanças no CTB.
      https://portaldotransito.com.br/noticias/ctb-completa-18-anos-marcados-por-conquistas-e-desafios/

      O cidadão brasileiro de direito precisa de alguma forma aprender a lhe dar com a evolução da vida, das culturas e das tecnologias, e isso, é um problema de educação e cultura, que reflete de alguma forma em um caráter negativo, independentemente de julgamentos ou fobias e ou críticas sociais. Não, isso ocorre de forma natural, pelo fato de sermos diacrentes das ações do poder público.
      Mas enfim, ler ou pesquisar um pouco antes de se posicionar negativamente a opinião do outro já é um começo bastante plausívo.
      E quanto a questão do caro deputado ter proposto isso ou aquilo, é algo que precisamos entender e compreender os motivos, de repente ele ou outro representante político defende linhas específica, alguns lutam pela saúde pública e suas adequações, outros pelo transporte, outros por tecnologias e educação, e por aí vai, não se pode critica-lo ferozmente por isso. Afinal ele e nem qualquer um outro pode resolver tudo ou agradar gregos e troianos. O importante é compreendermos que existem os que amam mel e detestam abelhas ou os amam abelhas e não suportam mel, ou os que detestam os dois mas apreciam sua existência.

  5. ALBERTO SANTOS MATTOS disse:

    Bom dia!
    Com a educação que o país tem hoje, isso vai dar várias,várias encrencas!
    Emfim vamos acompanhar!
    Grato,
    Alberto

  6. Francisco Rodrigues disse:

    Acredito que sem ferir a dignidade e opiniões, podemos chegar mais longe. Muitas vezes usamos nossas opiniões com um tom agressivo de mediocridade na tentativa de nos impor-mos como ávidos conhecedores de tudo.
    No entanto é nas relações diárias que se percebe que tudo na vida se consolida de pequenos momentos; ninguém nasce doutor, cientista ou astronauta, surge na verdade de um olhar, uma “paquera”, até chegar à um relacionamento, um “casamento”, e daí gerar um ser que se desenvolverá e tornará algo ou alguém importante a mim, ou a você! Ou ao mundo ou ao universo.
    Assim vejo tais propostas que hoje são citicadas e tratadas como banais e sem nexo.
    Porém loucos e louras já foram promulgadas e muito criticadas quando o homem propôs o trem a vapor, o avião, e quem diria o “famigerado” submarino temido por muitos marinheiros, a industrialização, ou mais recente os ‘alimentos’ transgênicos ou as rampas e vagas de cadeirantes nos colerivos. E quê hoje são metodologias comuns às nossas vidas e que nos servem com o máximo de propósito a que foi criado.
    São Paulo já possui à anos o transporte de bicicletas em suas frotas de articulados, lógico que ainda em determinados dias e horários; porém é uma grande conquista; imagine que nem sempre houve ônibus em todas os bairros de seu município, ou energia, água encanada, sinal de internet???
    Mas foram certas “mediocridades” como essa que tornaram isso possível para a melhoria da nossa qualidade de vida HOJE!!!
    Não vejo porque não votar e apoiar!?, pode ser que para nossa geração isso seja até um crime e não nos tenha serventia como o planejado, mas tudo, com o tempo poderá se desenvolver e chegar a um ideal de quidade.
    Em muitos lugares do mundo como Alemanha, Canadá e até mesmo os EUA possuem modais que atendem o propósito dos ciclistas em longas diatancias.

    https://ciclovivo.com.br/arq-urb/mobilidade/cidade-alema-tem-vagoes-externos-exclusivos-para-bikes/

    E até mesmo no Brasil isso já é realidade, não vejo o motivo de não tornar isso acessível a todos que necessitam. Pois a mesma motivação de ódio e discórdia surgiu quando houve a obrigatoriedade de vagas e rampas para cadeirantes nos coletivos ou a cadeira preferencial para idosos, gestante, ou o passe livre pra doente crônicos e etc. Não sabemos o que irá ocorrer no dia de amanhã em nossa vida.

    https://www.pedal.com.br/recife-aprova-suporte-para-bicicleta-em-onibus_texto8184.html

    Lembro de certas opiniões grosseiras que circularam na minha cidade quando em 1998 a Eucatur, na época, União Cascavel, começou a operar uma frota de ônibus com ar condicionado.
    Na época era uma relação de amor e ódio; todas as doenças sazonais eram logo justificadas como culpa do transporte coletivo com ar condicionado, “o proliferador de bactérias”, e hoje os mesmo que falaram tantas heresias, ficam horas fazem tumultos em filas à espera do articulado com Ar condicionado e cheirosinho, descartando na cara dura todos os ônibus comuns que param no terminal ou nas paradas
    Estão, não critique se no momento a sua opinião é diferente do propósito do outro, de repente lutar por um bem coletivo e melhorias humanitários mesmo contra sua opinião, pode lhe servir no futuro, ou a seu filho ou a uma comunidade que necessita mais que você.
    Vamos de qualquer forma aplaudir o proposto pelo caro deputado, pois no meu ponto de vista isso não é assunto para ser discutido hoje e nem amanhã, isso já era pra ter sido previsto lá em 1997 quando tivemos todas as suas revisões e mudanças no CTB.
    https://portaldotransito.com.br/noticias/ctb-completa-18-anos-marcados-por-conquistas-e-desafios/

    O cidadão brasileiro de direito precisa de alguma forma aprender a lhe dar com a evolução da vida, das culturas e das tecnologias, e isso, é um problema de educação e cultura, que reflete de alguma forma em um caráter negativo, independentemente de julgamentos ou fobias e ou críticas sociais. Não, isso ocorre de forma natural, pelo fato de sermos diacrentes das ações do poder público.
    Mas enfim, ler ou pesquisar um pouco antes de se posicionar negativamente a opinião do outro já é um começo bastante plausívo.
    E quanto a questão do caro deputado ter proposto isso ou aquilo, é algo que precisamos entender e compreender os motivos, de repente ele ou outro representante político defende linhas específica, alguns lutam pela saúde pública e suas adequações, outros pelo transporte, outros por tecnologias e educação, e por aí vai, não se pode critica-lo ferozmente por isso. Afinal ele e nem qualquer um outro pode resolver tudo ou agradar gregos e troianos. O importante é compreendermos que existem os que amam mel e detestam abelhas ou os amam abelhas e não suportam mel, ou os que detestam os dois, mas apreciam sua existência.

  7. Rodrigo Zika! disse:

    No caso de SP pela incompetência de anos que infelizmente ainda perpetua, não ter corredores BRTs exclusivos apenas pra ônibus, não agradando sindicatos de taxistas nas mesas faixas, o que e uma vergonha, enfim sou a favor de colocar somente em linhas determinadas, e não em linhas que vivem super lotadas diariamente, achei melhor que muitas propostas ridículas que são feitas somente pra agradar os partidos dos mesmos ou setores de lobby empresarias, vamos ver o que vai dar tudo isso.

  8. Consulene disse:

    Devemos apoiar as iniciativas que possam trazer melhoria no quesito mobilidade sim! Li comentário aqui sobre transportar bike dentro do ônibus… (por favor, leia o artigo novamente). Li tb a generalização sobre ciclistas que atrapalham o trânsito e não tem educação, sem falar na parte sobre trafegar nas vias às custas do IPVA de outrem… kkkkkkkkkkkk FAÇA-ME O FAVOR! Sou ciclista e não CORROBORO com essas “opiniões” generalizadas! E devo ressaltar que pago todos os impostos, inclusive o IPVA! Da mesma maneira que existe ciclista que não respeita as regras de segurança e bom convívio, temos igualmente motoristas que atropelam e matam pessoas. Ao invés dos conceitos já formados, vamos apoiar e incentivar a conscientização pela utilização humana e civilizada das vias públicas. Tanto por parte dos ciclistas como dos motoristas de carros e motos. Agora temos tb os patinetes. Talvez não seja uma prática que dará certo, mas só saberemos os resultados se fizermos o que ainda não foi feito.Então, que tal tentar colaborar e apoiar ao invés de criticar e promover o “ódio”? O mundo precisa de otimistas realizadores e não de críticos pessimistas. E digo isso me referindo a toda e qualquer questão, não apenas aos assuntos que dividem opiniões. O mundo precisa de mais tolerância, mais compreensão, mais amor.

  9. Antes de tudo, quero parabenizar a todos pelos comentários para este assunto tão sério. Não costumo ver tantos assim em outras postagens.
    Bem. Como motorista de ônibus que sou há mais de 20 anos, sei que isto, por melhor que seja as intenções, nao pode dar certo!
    Haveria problemas de embarque e desembarque, demora, morosidade etc.
    com relação ao dinamismo no sitema de transporte, teria eu muito mais dicas para sugerir. Mas falta-me tempo para isto agora.
    Quero também deixar aqui os meus parabéns para este excelente blog.

Deixe uma resposta