Motoristas de Vespasiano (MG) afirmam que decidiram suspender greve após acordo com a Saritur

Publicado em: 9 de julho de 2019

Foto: Edmar Junio

Sindicato das empresas nega, e afirma que não negocia “com representantes ilegítimos da categoria”

ALEXANDRE PELEGI

Após protestarem na manhã desta segunda-feira, 8 de julho de 2019, os motoristas da Saritur – Santa Rita Transporte Urbano e Rodoviário, empresa de ônibus que atende à cidade de Vespasiano, na região metropolitana de Belo Horizonte, voltaram a trabalhar após um acordo com a viação.

Os ônibus circulam normalmente nesta terça-feira, 9 de julho.

A paralisação ocorreu em protesto pelo corte no ticket de alimentação durante as férias, pela regularização do pagamento do FGTS e pela volta dos cobradores.

Todas as linhas que circulam em Vespasiano e as do sistema Move Metropolitano, que fazem a ligação com a capital mineira, foram afetadas. Poucos ônibus conseguiram deixar a garagem da empresa.

Inicialmente os funcionários haviam decidido manter a greve, iniciada na manhã de ontem, por tempo indeterminado. No entanto, o acordo com a empresa, segundo o representante dos funcionários, o advogado Rômulo Soares, suspendeu a paralisação.

A Saritur opera 30 linhas, tanto em Vespasiano como no Move metropolitano.

O representante dos funcionários, o advogado Rômulo Soares, afirma que foi dado um prazo de uma semana para que a Saritur atenda às reivindicações. Em declaração ao portal O Tempo, Rômulo afirmou que “se não tiver mudanças para melhor esta semana, iremos parar novamente na próxima segunda (15)”.

O movimento não é representado pelo Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários de BH e região metropolitana (STTRBH).

O Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros (Sintram), em nome da Saritur, divulgou nota negando qualquer acordo com os motoristas.

“Ao contrário do está sendo afirmado, não houve nenhum acordo por parte da empresa com os manifestantes, já que se trata de paralisação abusiva e ilegal. O Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros – SINTRAM, assim como as empresas concessionárias dos serviços, não irá negociar com representantes ilegítimos da categoria que promovem movimentos baseados em alegações inverídicas e infundadas.”

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Deixe uma resposta