Greve em Guarulhos paralisa quase totalidade da frota dos ônibus municipais e da EMTU

Publicado em: 14 de junho de 2019

Foto: Adamo Bazani (Clique para ampliar)

Desde as 16 horas uma assembleia convocada pelas entidades sindicais acontece na Praça Getúlio Vargas, e não há previsão para o retorno dos ônibus

ALEXANDRE PELEGI

Um comunicado da EMTU – Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos traz o cenário da greve que afetou Guarulhos nesta sexta-feira, parte da paralisação geral em protesto contra a reforma da previdência:

Até às 16h desta sexta-feira (14), a paralisação do transporte metropolitano na região de Guarulhos permanecia com o seguinte quadro: das 119 linhas operadas pelo Consórcio Internorte, 91 continuam paralisadas. Do total de 244 mil passageiros que utilizam as linhas intermunicipais diariamente naquela área, 198 mil foram afetados”.

O mesmo aconteceu com os ônibus municipais, que na manhã desta sexta-feira não deixaram as garagens, e seguem sem circular.

Quase 200 mil passageiros que dependem dos ônibus intermunicipais na cidade foram afetados.

A Secretaria de Transportes e Mobilidade Urbana de Guarulhos informou que elaborou um Paese (Plano  de Atendimento entre Empresas de Transporte em Situação de Emergência), para atender a grande parte dos 367 mil usuários do transporte coletivo.

Desde as 16 horas uma assembleia reunindo as entidades sindicais acontece na Praça Getúlio Vargas, e não há previsão até o momento para o retorno dos ônibus.

Apenas algumas lotações circularam no trecho intermunicipal até o metrô Portuguesa Tietê ou Armênia.

O Sincoverg (Sindicato dos Condutores de Guarulhos) manteve a posição de ignorar a decisão judicial de manter ao menos 70% da frota nos horários de maior movimento. Em entrevista coletiva nesta desta sexta-feira, o presidente do Sincoverg afirmou que a greve foi convocada pelas centrais sindicais, e não pelo sindicato. Foi uma forma de rejeitar qualquer possibilidade de punição pelo não cumprimento da liminar que exigiu frota mínima nas ruas.

Pela manhã, quase nenhum ônibus municipal ou a serviço da EMTU circulou, o que deve se repetir no final desta tarde e noite.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Comentários

Deixe uma resposta