Bruno Covas veta projeto de lei que tornaria todos os assentos dos ônibus de São Paulo preferenciais

Ônibus de São Paulo. SPTrans diz que 96% da frota são acessíveis. Foto: Adamo Bazani (Diário do Transporte) – Clique para Ampliar

De acordo com argumentação da prefeitura, medida poderia trazer problemas já que nem todos os espaços dentro do ônibus são adequados para pessoas com mobilidade reduzida

ADAMO BAZANI

O vetou um projeto de lei de autoria dos vereadores Jair Tatto e Isac Félix, que pretendia tornar todos os assentos dos ônibus da capital paulista preferenciais para pessoas com deficiência, idosos, gestantes, obesos, entre outros.

De acordo com a proposta, a medida teria um caráter educativo, já que nem todos os passageiros cedem os lugares para as pessoas que mais precisam viajar sentadas.

Na razão do veto, a prefeitura de São Paulo diz que os ônibus da cidade atendem às normas atuais de acessibilidade e que nem todos os espaços dentro dos veículos apresentam condições adequadas para pessoas com mobilidade reduzida.

“Convém ressaltar, contudo, que alguns pontos do veículo não apresentam plenas condições de acessibilidade para pessoas com mobilidade reduzida, tais como caixas de rodas, sobre o motor traseiro, junto a degraus de portas ou área com desníveis do piso, aspectos dos quais decorre a inviabilidade técnica de fixá-los como passíveis de definição de assentos preferenciais” – diz parte do veto.

A prefeitura diz temer que, se todos os bancos forem considerados preferencias, pode haver ocupação dos assentos mais adequados, restando livres os de mais difícil acesso para as pessoas que têm dificuldades de locomoção.

“Não se pode olvidar, ademais, que na hipótese de todos os assentos serem definidos como preferenciais, como pretendido, e considerando o fluxo de passageiros atendido, não há garantia de que restariam livres para ocupação pelas pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida aqueles que, por sua localização e características próprias, seriam os ideais para o atendimento de tais pessoas.”

A gestão Bruno Covas ainda disse que os ônibus da cidade de São Paulo hoje possuem número superior de assentos preferenciais.

“Por fim, destaco que, atualmente, respeitadas as características técnicas existentes, os veículos que integram o sistema de transporte coletivo já possuem número superior de assentos preferenciais ao percentual estabelecido, em consonância, ademais, com a Lei nº 13.241, de 2001, que enuncia, em seus artigos 3º, inciso III, e 8º, inciso III, alínea “h”, a acessibilidade dentre as diretrizes e atribuições a serem desenvolvidas para a boa qualidade do serviço”

O projeto tinha sido aprovado em 15 de maio na Câmara Municipal de São Paulo.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

8 comentários em Bruno Covas veta projeto de lei que tornaria todos os assentos dos ônibus de São Paulo preferenciais

  1. Falando em assento preferencial, ontem tive a ingrata surpresa de ter o meu bilhete especial do Obeso bloqueado, tenho 1. 68 de altura e peso 130 kilos, sou quase uma bola, existem catracas que consigo passar com muita dificuldade, já na sua grande maioria ficaria preso na catraca, ainda tem mais o bilhete do obeso não tem passagem gratuita nos temos que colocar crédito, esse bloqueio chega a ser indigno, o meu bilhete foi atualizado a 20 dias e nunca emprestei a ninguem por razoes obvias, mais uma arbitrariaedade deste governo sinistro.

  2. Caro Pedro,

    hoje no Bom dia SP da globo eles fizeram uma reportagem sobre acessibilidade na estação sé. Encontraram a família de uma menina que tinha paralisia cerebral e quando os pais contaram o motivo de estarem ali, naquela hora, eles relataram que a prefeitura também havia bloqueado o bilhete único dela e a reportagem ganhou novos ares e eles foram atrás disso.

    Parece estar havendo um bloqueio sistemático nos bilhetes que não são do tipo comum.

    E sobre o veto do prefeito…os argumentos me pareceram sensatos

  3. Idéia de jerico destes vereadores, pagamos uma passagem cara para ficar em pé porque Tatto e o outro não vão de ônibus para a Câmara?

    • Caro Tiago, também concordo com você quanto ao veto, mas em relação ao bilhete, existe uma tara para punir a população, qual a justificativa para bloquear o cartão do obeso, e como pedir para que eu não sai de casa, tenho que usar um bilhete comum e esperar que os cobradores sejam compreensivos e não me coloque em situação vexatória me obrigando a correr o risco de ficar preso na catraca, tudo porque o nosso prefeito e um sádico.

      • Concordo 100% e na outra mensagem não deixei claro.

        Isso é uma grande sacanagem!
        espero que já tenha resolvido o seu problema e seu bilhete já esteja funcionando

  4. thiago venzke martins // 8 de junho de 2019 às 11:00 // Responder

    o errado também e mexer no bilhete UNICO COMUM aquele que a EX PREFEITE MARTA LANÇOU na sua gestão sem ter o nome da pessoa e foto pois e tirar o direito da pessoa usar o transporte publico

  5. Amigos, bom dia.

    Este veto é desnecessário.

    A população do Barsil está envelhecendo, em breve todos serão passageiros preferencias, com poucas exceções.

    Mais uma perda de tempo com temas desnecessário e que o tempo se encarregará de resolver.

    Que tal a PMSP, frezar e recapiar todas as pistas do buzão (Avenida Corifeu de Azevedo Marques e Heitor Penteado estão em péssimas condições); sem contar as outras áreas que eu não circulo e desconheço.

    Mas com certeza devem estar igual ou pior.

    SAMPA, ACELERA E TRABALHE!

    Att,

    Paulo Gil

  6. A intenção deste governo desde o inicio e acabar com o bilhete único, toda vez que o PSDB entra no governo de SP eles retiram benefícios do bilhete, alem de reduzirem os ônibus ainda tentam eliminar os transportes por aplicativos, tudo para beneficiar os empresários.

Deixe uma resposta