Rodoviários de Sorocaba aprovam proposta de aumento salarial e descartam greve

Publicado em: 1 de junho de 2019

Foto: Clecio Antunes

Paralisação já havia sido notificada pelos trabalhadores e poderia ocorrer caso a categoria rejeitasse a proposta patronal para a data-base da categoria

ALEXANDRE PELEGI

Os rodoviários de Sorocaba, interior de São Paulo, aceitaram a proposta da classe patronal e encerraram o estado de greve. São quase 2 mil trabalhadores, distribuídos entre motoristas, agentes de bordo e outros profissionais, como mecânico, borracheiro, funileiro e outros.

A proposta foi aceita pelos rodoviários em duas assembleias da categoria realizadas nesta sexta-feira, 31 de maio de 2019.

Com isso, os trabalhadores receberão aumento nos salários de 5,10% já em maio, data-base da categoria, acrescido de 0,73% em outubro. A proposta incluiu ainda reajustes no tíquete-refeição e na participação nos lucros e resultados (PLR).

O Sindicato dos Rodoviários de Sorocaba e Região afirmou que, com a aprovação da proposta apresentada pelas empresas que operam o transporte coletivo em Sorocaba, STU e Consórcio Sorocaba, ficou afastada a possibilidade de paralisação dos trabalhadores.

Os rodoviários haviam decretado estado de greve na última quarta-feira, 29 de maio, e no dia seguinte protocolaram a notificação de greve junto às empresas e à Urbes Trânsito e Transportes, órgão gestor do transporte na cidade.

O reajuste elevou o piso salarial do motorista para R$ 3.912,92 em maio e R$ 3.940,00 em outubro.

Já o agente de bordo vai passar a receber R$ 1.381,07 e R$ 1.390,66, respectivamente em maio e outubro.

O tíquete-refeição aumentou para R$ 24 por dia, além de o PLR que foi reajustado para R$ 1.700. Esse diferencial no salário é pago pelas empresas no retorno das férias.

Levantamento feito pela Urbes aponta que o motorista de ônibus em Sorocaba tem o maior salário mensal quando comparado ao de nove cidades do mesmo porte.

R$ 2.285,31 – São José do Rio Preto

R$ 2.400 – Guarulhos

R$ 2.490,01 – Campinas

R$ 2.592,30 – Piracicaba

R$ 2.465,76 – Curitiba

R$ 2.615,76 – Jundiaí

R$ 2.620,95 – Santos

R$ 2.684,00 – Osasco

R$ 3.036,72 – São José dos Campos

Para o Sindicato dos Rodoviários de Sorocaba a explicação para o maior ganho salarial tem motivos. Primeiramente pelo fato de o transporte da cidade não ter cobrador desde a década de 1990, o que sobrecarrega o profissional. E em segundo lugar pela qualificação do motorista, que passa por cursos exatamente para suprir a falta de um segundo trabalhador no interior do veículo.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Comentários

  1. Paulo Sérgio disse:

    *Acho uma pouca vergonha pra esses motoristas muitos aposentados quem vai pagar esse aumento e a população de Sorocaba uma vergonha acorda povo sorocabano*

  2. PETER DA SILVA CARVALHO disse:

    Como sempre o povo quem sai prejudicado, É motoristas com altos salarios e benefícios, empresários precisam faturar pra manter a empresa saudavel, e o mau uso de alguns usuários encarecem os preços das passagens num ciclo viciante.

  3. SAMANTA disse:

    E lá vai o sorocabano, como sempre, pagar por esse aumento de novo…

  4. Edgard Franca disse:

    Se a cobrança é eletrônica, o que isso sobrecarrega o motorista?

  5. Marcelo domingues paes disse:

    UMA VERGONHA!!!!
    ÔNIBUS VELHOS…..PELO VALOR DA PASSAGEM,DEVERIAM TER pelo menos AR CONDICIONADO.CIDADÃOTEM QUE ANDAR”ESMAGADOS”EM HORÁRIOS DE PICO.
    Tem que liberar concorrência.
    Uma cidade desse tamanho e só tem 2 empresas,brincadeira.Tem que acabar com esse MONOPÓLIO!

Deixe uma resposta