Pelo mesmo aplicativo de celular, passageiro pode recarregar Bilhete Único e Cartão BOM, além de chamar carro ou táxi e até comprar passagens de ônibus rodoviários com desconto

Publicado em: 22 de abril de 2019
mobilidade urbana

Foto: Adamo Bazani (Diário do Transporte)

VouD ainda possibilita uso bicicleta e, até o final do mês, terá funcionalidade para patinetes elétricos

ADAMO BAZANI/ALEXANDRE PELEGI

Um aplicativo de celular, já disponível para uso, reúne as principais opções de mobilidade na capital paulista e Grande São Paulo numa mesma ferramenta, facilitando a compra de créditos do Bilhete Único e do Cartão BOM, além de possibilitar que o passageiro chame carros de serviços como Uber, 99, Cabify e Easy Taxi, com descontos nas corridas.

Também é possível comprar passagens de ônibus rodoviários com abatimento de preço.

É o que afirma o CEO da Autopass, empresa de tecnologia para a mobilidade, Rubens Gil Filho.

Segundo Gil Filho, pelo aplicativo VouD, que pode ser baixado gratuitamente em qualquer celular, o passageiro também pode pagar o aluguel de bicicletas e, até o final do mês, estará disponível a opção para patinetes elétricos.

O executivo explicou que uma viagem de carro de aplicativo ou de ônibus rodoviários pode ficar mais barata se a compra for pelo VouD do que se for realiza diretamente pelas ferramentas de celulares e sites das empresas prestadoras dos serviços de transportes. Isso porque, segundo ele, a Autopass fez parcerias comerciais com estas companhias.

Há ainda possibilidades de descontos em estabelecimentos comerciais, como farmácias e lojas de roupas.

Outra funcionalidade no VouD é que o aplicativo pode mostrar as melhores opções de viagem de transporte coletivo para as rotas determinadas pelo passageiro. Para isso, basta digitar o local de origem e o destino. Serão mostradas opções como viagens mais baratas ou as mais rápidas, por exemplo.

Além das recargas de créditos do Bilhete Único (SPTrans, Metrô e CPTM) e Cartão BOM (EMTU, Corredor ABD-Metra, Metrô e CPTM), em breve o VouD vai oferecer a possibilidade de compra de créditos de sistemas de ônibus de outras cidades, como Guarujá, no Litoral Paulista, e Osasco, na Região Metropolitana.

Em entrevista ao Diário do Transporte, Gil Filho disse que o foco do VouD é o transporte coletivo, mas que integrar numa mesma ferramenta outras opções, como os carros de aplicativos, táxis, bicicletas e patinetes, hoje é uma exigência do passageiro.

Confira na íntegra:

Diário do Transporte: Hoje há novidades no app? Funcionalidades que vão além da integração para os meios de transportes públicos, as possibilidades de saber as rotas, adquirir créditos. Estamos falando de outras alternativas de mobilidade…

Rubens Gil Filho: É isso mesmo. É sabido que o VouD privilegia o transporte coletivo, porque nós acreditamos que o coletivo vai mudar a vida do cidadão nas grandes cidades, nos grandes centros, mas a gente busca ter uma visão integrada da mobilidade urbana e do transporte. Então, além da integração com ônibus, com trem com metrô, com cartão BOM e Bilhete Único, nós estamos disponibilizando novas funções onde o cliente do VouD vai poder, por exemplo, contratar o VouD Carro. Por essa funcionalidade o cliente diz onde está e para onde quer ir, e o VouD faz uma comparação e traz o melhor custo e tempo para que ele possa usar, por exemplo, o Uber, o Cabify, o Easy Taxi, 99, a melhor alternativa que ele identifique no caso do VouD Carro que é o transporte individual através desse tipos de veículos [tipos de plataformas digitais].

DT: E dá desconto, caso o acesso seja feito pelo VouD ao invés do acesso direto pelo aplicativo de uma operadora, como Uber ou 99?

Rubens Gil Filho: Isso mesmo. Ao entrar no VouD, a primeira tela que o cliente vai ver é a tela da roteirização do transporte coletivo, como eu falei é o que a gente acredita como solução para a cidade, mas no canto inferior esquerdo tem o VouD Carro. Ao clicar ali ele identifica onde ele está, aponta o Ponto B, ou seja, para onde ele quer ir, e o aplicativo automaticamente traz a relação já apresentando o que você mencionou, o desconto. Então sim, ao pedir, qualquer que seja a marca do transporte individual através de carro pelo VouD o cliente vai ter o tempo que o veículo vai chegar até onde ele está, para levá-lo até onde ele quer ir, e fundamentalmente o preço com desconto. A gente sabe que para nosso cliente a questão do preço é um requisito importante na escolha desse first/last mile (primeira/última milha) nesse transporte que ele estará utilizando. Então sim, nós trazemos a melhor opção de preço para ele. Então ele vai poder escolher dentre o mais econômico ou até eventualmente um carro maior, para que ele vá para uma estação rodoviária para levar suas malas, por exemplo.

DT: Você falou do last mile, a última milha ou a “última pernada” da viagem. Hoje o passageiro do transporte público, do trem, do metrô, do ônibus, também é do aplicativo, e às vezes uma mesma viagem é feita primeiro no ônibus e no trem e depois no aplicativo?

Rubens Gil Filho: Perfeito. É isso mesmo. Essa visão nossa de integrar os modais atende a essa necessidade do nosso cliente, do passageiro, do usuário do transporte coletivo, de ter todo o trajeto, como você falou todas as “pernadas”. Então vamos imaginar: a pessoa mora em Itaquera, e precisa ir para o metrô. Ele pode através do VouD colocar créditos no seu cartão BOM e no seu Cartão Bilhete Único. Chegou ao metrô ou na CPTM, pegou o trem e desceu na sua estação de destino. Vamos imaginar que ele tenha que caminhar 5 ou 10 minutos, ou alguns quilômetros. Além de caminhar, nós estamos dando outras opções: ele pode pegar o VouD Carro, como a gente acabou de falar, ou pode pegar uma bike. Nós integramos também o conceito de Bike via aplicativo VouD, ele também pode ter esta modalidade. Até o final do mês de abril a gente integra também os patinetes. Estamos trabalhando com um parceiro novo, porque a gente também quer o patinete para quem usa ônibus, para quem usa trem, com preço mais acessível e vinculado a essa experiência de última milha como você mencionou.

DT: Tem algumas parcerias, com drogaria São Paulo e Loja Marisa, por exemplo, mas tem também com ônibus rodoviário. Por exemplo: se eu estou em Santo André, quero pegar um trem até a Barra Funda e depois vou continuar com uma viagem para o interior ou para outro Estado, tem uma opção de eu encontrar uma passagem de ônibus rodoviário até com desconto?

Rubens Gil Filho: É isso mesmo. E o VouD está trabalhando para ser o aplicativo, a grande loja para quem quer se mover nas grandes cidades. Então nesse seu exemplo, saindo de Santo André você consegue pegar ônibus, consegue pegar trólebus, o Corredor da Metra, ou a estação da CPTM por exemplo, e você consegue ir para os terminais, seja Barra Funda, Bresser, Tietê, e nesse trajeto você vai poder acessar via VouD o ClickBus, com quem temos uma parceria. Com isso, você vai ter seu cupom de desconto para poder comprar a passagem via esse aplicativo parceiro já tendo desconto para a sua viagem rodoviária. Essa é a nossa visão e é para isso que estamos trabalhando, a integração de modais, seja no município, seja na relação interestadual ou até mesmo no rodoviário como acabamos de mencionar.

DT: E as tais taxas de administração para o cliente comprar créditos para o Bilhete Único, para o Cartão Bom, para os ônibus da SPTrans, os ônibus da EMTU, trem e metrô?

Rubens Gil Filho: Existem aplicativos que disponibilizam a tal taxa chamada de conveniência. No VouD não. Hoje o cliente do VouD que compra crédito do BOM ou do Bilhete Único, ele não paga essa taxa administrativa, essa taxa de conveniência. É importante que os clientes, que os passageiros usuários do transporte saibam que existem aplicativos sim que cobram, ou essa taxa está muito explícita ou eventualmente ela está diluída em pagamentos parcelados. Mas no VouD o cliente não paga; o valor que ele coloca é o valor que vai ser creditado no seu cartão de transporte. R$ 4,30 de passagem é R$ 4,30 mesmo

O aplicativo pode ser baixado nas lojas virtuais dos celulares, como AppStores e GooglePlay.

Adamo Bazani e Alexandre Pelegi, jornalistas especializados em transportes

Comentários

  1. Rodrigo Zika! disse:

    E possível carregar o BU de empresa, evitando as máquinas presenciais? Ou só o BU comum?

    1. blogpontodeonibus disse:

      Os de empresa ainda têm de ser pelas máquinas, segundo a assessoria de imprensa

      1. Rodrigo Zika! disse:

        Obrigado pela resposta Adamo.

  2. Tiago disse:

    como funciona a cobrança das biciletas?

Deixe uma resposta