Transporte coletivo em Jacarezinho (PR) ficará mais caro nesta segunda

Foto: portal JNN

Tarifa do circular dentro da cidade será reajustada em 5,7%, saltando dos atuais R$ 3,50 para R$ 3,70

ALEXANDRE PELEGI

Jacarezinho, cidade do norte do Paraná na divisa com o estado de São Paulo, terá ônibus mais caro a partir da próxima segunda-feira, 25 de março de 2019.

A tarifa do circular dentro da cidade será reajustada em 5,7%, saltando dos atuais R$ 3,50 para R$ 3,70.

O aumento de 20 centavos foi autorizado pelo prefeito Sérgio Eduardo de Faria “Dr. Sérgio”, segundo decreto publicado no diário oficial desta quarta-feira, 21 de março.

Apesar de o decreto determinar o aumento já a partir desta quinta-feira, 21 de março, a concessionária do transporte local, a Transporte Coletivo Jacarezinhense, informou que o novo valor passará a vigorar somente a partir da próxima segunda-feira, 25.

jacarezinho_reajuste

O último reajuste foi concedido em fevereiro de 2018, quando a tarifa para o transporte urbano passou de R$ 3,30 para R$ 3,50, aumento de 6%.

A prefeitura não subsidia o transporte local.

A cidade de 40 mil habitantes conta com cinco linhas do transporte coletivo: Inter bairros (Vila São Pedro – Aeroporto), Nova Jacarezinho, Vila Rural, Jardim Panorama e Rodovia PR-431 (atende aos funcionários do incubatório da Seara).

Em declaração ao portal Tribuna do Vale, o gerente administrativo da empresa de Transporte Coletivo Jacarezinhense afirmou que a Prefeitura Municipal contribui adquirindo vales transportes para os servidores municipais. “As gratuidades concedidas são uns dos fatores que contribuem para o aumento da tarifa. Em cidades do porte de Jacarezinho empresas estão deixando de operar”, afirmou Rodrigues.

Rodrigues citou como exemplo da crise do transporte a situação das vizinhas cidades paulistas de Assis e Santa Cruz do Rio Pardo, onde as prefeituras tiveram que assumir o transporte coletivo.

Desde o último reajuste, houve o aumento de preços nos principais insumos que impactaram no reajuste. As gratuidades também têm sua parcela de contribuição”, concluiu Rodrigues ao Tribuna do Vale.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta