Fiscais da Rápido Luxo Campinas identificam fraude em bilhetes com gratuidade parcial ou total

Foram identificadas fraudes em cartões voltados a estudantes, jovens e idosos. Foto: Divulgação.

Ao todo, 12 cartões foram apreendidos durante ação realizada pela empresa em Campo Limpo Paulista

JESSICA MARQUES

Uma ação realizada por fiscais da Rápido Luxo Campinas, em Campo Limpo Paulista, identificou fraude em bilhetes com gratuidade parcial ou total. Ao todo, 12 cartões foram apreendidos durante a primeira ação realizada pela empresa.

A viação é responsável por linhas de ônibus urbanas e intermunicipais do município de Campinas e região. O Boletim de Ocorrência de natureza de estelionato foi registrado em 13 de fevereiro, na Delegacia de Polícia de Campo Limpo Paulista.

Durante a ação, foram apreendidos quatro cartões Jovem 21, cinco cartões gratuidade, um cartão escolar, outro cartão gratuidade sem identificação e outro escolar nas mesmas condições, sem a foto. Os fiscais atuaram das 16h às 18h.

Em entrevista ao Diário do Transporte, o diretor de Comunicação da Rápido Luxo Campinas, Paulo Barddal, informou que a fraude foi identificada porque a Rápido Luxo Campinas colocou fiscais nos terminais.

“Diversos bilhetes que permitem gratuidades parcial (Cartão Jovem 21, Passe Escolar) ou total (Cartão Idoso ou Deficiente) estão sendo repassados para cambistas e pessoas que não têm direito a esses benefícios. Essas pessoas, ao invés de pagar a tarifa, usam os cartões de terceiros para fazer as viagens e, com isso, causa uma evasão de receita no sistema urbano de Campo Limpo Paulista”, afirmou Barddal.

Para verificar a idoneidade dos benefícios, os fiscais solicitam os cartões e pedem documento de identificação para os usuários. Se o cartão não pertence ao passageiro, há apreensão do bilhete.

“Um dos maiores problemas hoje enfrentado é com o Cartão Jovem 21, um tipo de cartão criado pela Prefeitura de Campo Limpo Paulista, cuja tarifa custa R$ 1,29, um benefício dado para as pessoas com até 21 anos com o intuito de procurar emprego ou ir para a escola, mas que está sendo largamente utilizado por pais, mães, parentes e até mesmo vendido para outras pessoas”, disse o diretor de comunicação da empresa.

Atualmente, a tarifa em Campo Limpo Paulista é de R$ 4,30. Segundo informações da empresa, cerca de 25% dos usuários do transporte coletivo cometem esse tipo de delito de desvio ou evasão de receita.

Quem possui o Cartão Jovem 21 tem um desconto de 70% e paga R$ 1,29, no Escolar, o valor é 50% a menos, com a tarifa a R$ 2,15. Idosos e pessoas com deficiência têm direito a gratuidade no sistema.

Para ter acesso ao cartão Jovem 21, a pessoa deve residir na cidade, ter até 21 anos e estar desempregado.

A concessionária informou que espera, por parte da Prefeitura de Campo Limpo, que sejam tomadas providências urgentes para rever as gratuidades dentro do transporte coletivo urbano. Segundo a empresa, atualmente há margem para ocorrer fraudes, desvios de uso e evasão de receita.

“E esse tipo de deleito, se não for combatido urgentemente, acaba contribuindo para que hajam reajustes maiores na tarifa e também prejudicam os investimentos em melhorias da frota e da qualidade do serviço prestado”, disse Barddal.

“A empresa está aumentando a fiscalização e solicitando que esse tipo de delito seja investigado e que as pessoas que participam da fraude sejam punidas, pois os cartões de benefícios são pessoais e intransferíveis e, em hipótese alguma, podem ser usados por terceiros, mesmo que sejam parentes”, completou.

Além disso, a empresa também cobra da Polícia Civil um trabalho de investigação para que esse tipo de delito seja combatido no sistema de transporte coletivo.

“O cartão Jovem 21 é um dos que mais nos preocupa porque, para consegui-lo, qualquer pessoa com menos de 21 anos só precisa apresentar comprovante de residência e a carteira de trabalho. Se comprovar que não trabalha, consegue o benefício fácil e o que era para ser algo positivo, acaba se transformando em meio de vida para essas pessoas que vendem ou emprestam esses cartões para terceiros, golpistas e cambistas”, avaliou Barddal.

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. JOSE LUIZ VILLAR COEDO disse:

    TEM QUE POR NA CADEIA SEM DO E SEM DIREITOS A FIANÇA E COM PROCESSO E PENAS BEM DURAS QUEM AGE ASSIM ! AQUI EM SAO PAULO CAPITAL E GRANDE SP TBM ! SE NÃO TIVER CADEIA DURA MESMO E PRA VALER … NÃO ADIANTA PRATUCANENTE NADA LEVAR PRA D.P. ! VCs ACHAM QUE QUEM ESTA NO MUNDO DO CRIME SE INPORTA EM ASSINAR B .O. s ??! AINDA MAIS POR EXTELIONATO E FRAUDES E AFINS… ESSES MALDITOS NÃO FAZEM IDEIA DO PREJUÍZO MORAL E MATERIAL QUE CAUSAM AS PESSOAS !

  2. Lírico Lírico disse:

    Nada contra os pais usar o cartão…afinal são eles que carregam…É sem crédito eles não funciona…Quanto mais usa mais é carregados…ele não é gratuito.

Deixe uma resposta