Prefeitura de Teresina deve mais de R$ 6 milhões para empresas de ônibus

Foto: Jornal Meio Norte

Dívida foi confirmada nesta manhã, e refere-se a repasses do ano de 2018

ALEXANDRE PELEGI

A prefeitura de Teresina, capital do Piauí, deve R$ 6,372 milhões às empresas que prestam os serviços de transporte coletivo na cidade.

A confirmação do valor partiu do diretor de Transportes da Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (Strans), Francisco Nogueira, em entrevista à TV Cidade Verde, na capital piauiense.

O débito se refere aos repasses da Prefeitura para o Sindicato das Empresas de Transporte Urbano de Teresina (Setut), entidade que reúne as viações que operam o transporte local. A dívida, segundo ele, é do ano 2018.

A licitação do transporte coletivo de Teresina finalizou em novembro de 2014. A partir daí, segundo o diretor da Setrans, todos os repasses determinados pelos contratos de concessão foram feitos, com exceção dos relativos ao ano passado.

A prefeitura reconhece o débito do ano de 2018. O processo da licitação até 2018, envolvendo 2015, 2016 e 2017, foi devidamente pago. O período de 2018 que se encerrou em dezembro está sendo compatibilizado”, disse Francisco à TV Cidade Verde.

O diretor da Strans explicou que a Prefeitura aguarda a confirmação do valor pelo Sindicato, para então quitar o pagamento.

LICITAÇÃO EM 2014

Na licitação realizada em 2014, as empresas que venceram o certame já operavam na capital. O que houve foi uma alteração na forma de operação, com terminais de integração.

O  Lote 1, linhas da Zona Norte, foi assumido pelo Consórcio Poty, composto pelas empresas Viação Piauiense, Emvipi e Teresinense.

O lote 2, linhas da Zona Norte, foi vencido pelo consórcio Ubanus, composto pelas empresas Cidade Verde, Asa Branca, Santana e São Cristóvão.

O lote 3, linhas da Zona Sudeste, ficou para o Consórcio Theresina, composto pelas empresas Taguatur, Dois Irmãos, Santa Cruz e Teresina.

O lote 4, linhas da Zona Sul, o único a ser operado com empresa única, ficou com a Transcol.

GREVE

Após seis dias de paralisação, a desembargadora Liana Chaib, presidente do TRT (Tribunal Regional do Trabalho), determinou o fim da greve de ônibus em Teresina, no Piauí. Os rodoviários e empresários não entraram em acordo e coube à Justiça definir o impasse.

A decisão foi tomada no sábado, 9 de fevereiro de 2019. A desembargadora estabeleceu ainda uma multa de R$ 10 mil por dia caso a paralisação continue. Neste domingo, 10 de fevereiro, os rodoviários decidiram acatar a decisão e suspender a greve.

Relembre: Sem acordo, TRT determina fim da greve de ônibus em Teresina

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: