Semana Mundial da ONU sobre Segurança no Trânsito reforçará necessidade de envolvimento de lideranças para reduzir mortes nas ruas e estradas

Foto: PEXELS

Mobilização acontece entre 6 e 12 de maio, e visa diminuir os riscos de acidentes por meio de ações baseadas em evidências científicas

ALEXANDRE PELEGI

A ONU realiza entre os dias 6 e 12 de maio deste ano a quinta Semana Mundial sobre Segurança no Trânsito. O objetivo é diminuir os riscos de acidentes por meio de ações baseadas em evidências científicas.

O encontro dará ênfase à necessidade de os países desenvolverem lideranças fortes para alcançar a meta de reduzir o número de lesões e mortes nas ruas e estradas. A expansão dos transportes públicos com preço acessível para todos também será um dos temas principais dos debates.

Nos sete dias de atividades, os debates estarão voltados ao fortalecimento de duas metas dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas (ODS).

Clique no link para conhecer: http://www.agenda2030.com.br/os_ods/

A primeira delas, meta 3.6, está especificamente voltada à segurança: “até 2020, reduzir pela metade as mortes e os ferimentos globais por acidentes em estradas”.

A segunda, meta 11.2 é mais ampla: “até 2030, proporcionar o acesso a sistemas de transporte seguros, acessíveis, sustentáveis e a preço acessível para todos, melhorando a segurança rodoviária por meio da expansão dos transportes públicos, com especial atenção para as necessidades das pessoas em situação de vulnerabilidade, mulheres, crianças, pessoas com deficiência e idosos”.

17 PROGRAMAS DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL

“O transporte não é um fim em si mesmo, mas um meio de permitir que as pessoas possam ter acesso àquilo que necessitam: trabalho, serviços, compras, interação social, educação e um amplo leque de outros serviços que contribuem para uma vida melhor e mais saudável”.  

Com esse princípio basilar, em 2015, os Estados Membros das Nações Unidas abraçaram uma visão global para o desenvolvimento sustentável com a Agenda 2030 e seus 17 Programas de Desenvolvimento Sustentável.

Os objetivos reconhecem que as decisões e ações de desenvolvimento devem considerar os benefícios sociais, econômicos e ambientais, bem como os impactos negativos e os benefícios que trazem ao ambiente.

Também em 2015, a comunidade internacional adotou o Acordo Climático de Paris, que “visa fortalecer a resposta global à ameaça das alterações climáticas, no contexto do desenvolvimento sustentável e dos esforços para erradicar a pobreza.

Esses dois marcos históricos são reforçados por outros importantes acordos internacionais, todos intrinsecamente ligados.

A real mudança nos sistemas de transporte em todo o mundo, segundo a Organização, é vital para o sucesso desses acordos internacionais.

Com o foco nesse tema, a ONU lançou em 2016 um estudo denominado “Mobilização para um Transporte Sustentável para o Desenvolvimento”, elaborado por cientistas e técnicos que mostra que um maior investimento em transportes limpos, eficientes e sustentáveis, além de ajudar a humanidade a alcançar metas globais de redução de poluição e melhoria de qualidade de vida, pode proporcionar uma economia de US$ 70 trilhões até 2050.

Relembre: Investimentos em transporte público podem gerar economia de US$ 70 trilhões até 2050, diz estudo da ONU

EIXOS FUNDAMENTAIS

A Organização Mundial da Saúde (OMS) lançou em 2017 uma publicação que oferece um pacote de medidas técnicas para ajudar os países a promover uma mobilidade segura e sustentável.

salvar_vidasA publicação, que em português recebeu o título de “Salvar VIDAS”, reúne as medidas em seis eixos fundamentais: a gestão da velocidade; a liderança na segurança do trânsito; a concepção e a melhoria da infraestrutura; as normas de segurança veicular; o cumprimento das leis de trânsito; e a sobrevivência pós-acidente.

As ações discutidas na publicação podem orientar governos na garantia de um ambiente adequado para o trânsito de pedestres e ciclistas. As propostas da OMS também visam fortalecer a estrutura institucional e a legislação para a política de segurança nas vias. Com isso, o organismo espera auxiliar países a reduzir o número de mortes e lesões no trânsito e enfrentar questões sociais e de governança que afetam as estratégias de segurança viária.

Clique no link para baixar o documento da OMS: Salvar VIDAS (OMS)

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta