Prefeito de Ipatinga (MG) nega reajuste de mais de 24% na tarifa de ônibus

Foto: Divulgação (prefeitura de Ipatinga)

Último reajuste foi concedido em dezembro de 2016

ALEXANDRE PELEGI

O prefeito de Ipatinga, cidade mineira com 260 mil habitantes, reagiu negativamente ao reajuste da tarifa pleiteado pela empresa concessionária do serviço de transporte coletivo municipal, a Autotrans Ipatinga.

De acordo com a Assessoria de Comunicação da Prefeitura, o prefeito Nardyello Rocha considerou o pedido “inadmissível, completamente fora da realidade”.

A posição foi manifestada pelo prefeito da “cidade do aço” a um grupo de técnicos e assessores políticos nesta quarta-feira, dia 16 de janeiro de 2019.

Nardyello reagiu negativamente após conferir a planilha encaminhada pela empresa concessionária em que reivindica reajuste de 24,38% para a tarifa de ônibus local.

“Nos termos que está sendo colocado, posso adiantar que não há a mínima possibilidade de autorizarmos. Sequer encaminharemos a proposta ao Conselho Municipal de Trânsito”, reagiu o prefeito.

Caso esse percentual seja aplicado, a tarifa saltaria dos atuais R$ 3,80 para R$ 4,72. Segundo o prefeito “mesmo diante de todos os argumentos colocados, não se justifica e seria penalizar demais o bolso do consumidor, já sacrificado com tantas outras despesas, especialmente no início do ano”.

A Autotrans Ipatinga, que opera o serviço na cidade desde março de 2006, alega que o pedido de reajuste está baseado em vários fatores, como a elevação dos custos de mão de obra, combustíveis, pneus e outros insumos. Além disso, alega ter havido uma drástica redução no número de passageiros. Conforme a empresa, a média de pessoas transportadas caiu de 2 milhões/mês para cerca de 921 mil nos últimos 12 meses pesquisados.

Outra pressão sobre o custo operacional provém das gratuidades, que representam 102 mil viagens/mês. Uma Lei Municipal determina o benefício para policiais militares e outros, assim como idosos também na faixa etária de 60 a 65 anos de idade.

A prefeitura de Ipatinga concedeu o último reajuste em dezembro de 2016. Com esse, foram três aumentos em 2015 e 2016.

O prefeito condicionou qualquer discussão sobre reajuste a uma série de condições que deverão ser apresentadas pelo Executivo.

“Antes de mais nada, antes de debruçarmos sobre qualquer número numa mesa técnica, vamos exigir da empresa o pronto atendimento de algumas contrapartidas em favor dos usuários que elencaremos oportunamente. O transporte coletivo ainda é utilizado por uma parcela significativa da nossa população, representando uma fatia importante no seu orçamento, e tem deixado a desejar em vários aspectos”, adiantou o prefeito.

Informações disponíveis no site da Autotrans Ipatinga dão conta de que a empresa opera com uma frota de 108 veículos urbanos e 3 veículos de apoio no transporte urbano local.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta