Santos aumenta tarifa dos ônibus para R$ 4,30

Publicado em: 9 de janeiro de 2019

Foto: Prefeitura de Santos

Valor passa a valer a partir da meia-noite do dia 13 janeiro

ALEXANDRE PELEGI

A Prefeitura de Santos, litoral paulista, reajustou a tarifa do transporte coletivo municipal, conforme publicado no Diário Oficial do município nesta quarta-feira, dia 9 de janeiro.

A partir da meia-noite do dia 13 de janeiro de 2019, domingo, a passagem passará dos atuais R$ 4,05 para R$ 4,30, reajuste de 6,2 %. O índice supera a inflação oficial (IPCA) dos últimos 12 meses, de 4,05 %.

A Viação Piracicabana solicitara que a tarifa fosse aumentada para R$ 4,56.

O último reajuste foi concedido em janeiro de 2018, quando a passagem subiu de R$ 3,85 para R$ 4,05. Na época houve uma batalha jurídica, e o reajuste passou a valer de fato no dia 7 de fevereiro de 2018 (Leia o Histórico abaixo).

Regulado pelo contrato de concessão, firmado entre a prefeitura e a Viação Piracicabana, o atual reajuste decorre da necessidade de se reequilibrar o balanço econômico-financeiro do serviço. Como fatores para o aumento, foram citados o aumento do preço do diesel, a elevação de insumos (pneus e peças), além dos salários e benefícios dos empregados da empresa.

A evasão no número de passageiros transportados também é outro fator de impacto para o aumento do valor: com menos passageiros pagantes diante de custos de operação em elevação, cada passageiro precisa pagar mais para alcançar o equilíbrio entre receita e despesa.

A prefeitura de Santos não paga subsídios, como ocorre, por exemplo, em São Paulo.

Aos domingos os usuários do Cartão Transporte (CT) passam a pagar o valor de R$ 2,15 (meia-tarifa).

Estudantes também pagam metade da tarifa.

Os créditos existentes nos cartões serão convertidos em número de passagens pelo valor de R$ 4,05.

A prefeitura destaca que a cidade possui uma das frotas de ônibus mais nova do país, com idade média de cerca de 4 anos, com 273 ônibus equipados com ar-condicionado. Todos os coletivos possuem Wi-Fi.

TARIFA_SANTOS


REAJUSTE EM 2018 FOI ALVO DE BATALHA JUDICIAL: 

Após uma batalha judicial que atravessou o mês de janeiro de 2018, a Prefeitura de Santos anunciou novamente no dia 4 de fevereiro o reajuste da tarifa dos ônibus municipais de R$ 3,85 para R$ 4,05.

O anúncio foi respaldado por decisão do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP), que liberou o aumento, que havia sido barrado em 1ª instância.

O reajuste passou a valer, finalmente, no dia 7 de fevereiro de 2018.

DISPUTA COMEÇOU EM 2017:

A tarifa em Santos manteve-se em R$ 3,85 em janeiro de 2018 por conta de uma batalha jurídica.

O debate sobre o valor da passagem dos ônibus municipais não é novidade na cidade do litoral paulista. Ela começou em janeiro de 2017, quando no dia 8 daquele mês o prefeito Paulo Alexandre Barbosa autorizou um reajuste de 18,46% no valor da passagem dos ônibus municipais, atualizando o novo valor para R$ 3,85.

No dia 18, após a Defensoria Pública do Estado ter entrado com liminar contra o aumento, o valor da passagem foi fixado em R$ 3,45 pela juíza Patricia Naha, da 2ª Vara da Fazenda Pública de Santos. A Prefeitura de Santos e a Viação Piracicabana recorreram da decisão, mas tiveram os pedidos negados pelo Tribunal de Justiça. Por se tratar de matéria de interesse público, a Prefeitura pôde recorrer à Presidência do TJ-SP.

Em março de 2017, uma decisão do presidente do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP), Paulo Dimas Mascaretti, liberou a Prefeitura a reajustar novamente para R$ 3,85 a tarifa dos ônibus municipais.

Em seu despacho, o presidente do TJ derrubou a liminar que mantinha a tarifa em R$ 3,45 por entender que “a manutenção da decisão ocasionaria grave lesão à ordem e economia públicas, por gerar desequilíbrio econômico-financeiro no contrato firmado pelo Poder Público local”, pois quem suportará o ônus mensal previsto de R$ 1.248,235,00 será o Município de Santos, “que possui o dever legal e contratual de realizar o reajuste”.

A tarifa dos ônibus de Santos manteve-se alvo da ação principal da Defensoria Pública, apresentada em janeiro de 2017 para anular o decreto. A administração municipal anunciara, pouco antes do Natal de 2017, que iria definir o percentual de reajuste em alguns dias.

No dia 05 de janeiro de 2018 o desembargador Reinaldo Miluzzi, do Tribunal de Justiça de São Paulo, derrubou o novo aumento de tarifa de ônibus em Santos, que chegou a ser anunciado no dia anterior pela prefeitura para ocorrer no dia 14. Na ocasião, o valor da passagem subiria de R$ 3,85 para R$ 4,05 – alta de 5,2%, acima da inflação de 2017, de 2,95%.

Segundo o magistrado de segunda instância, o juiz Cláudio Teixeira Villar, que deu parecer favorável à prefeitura para aplicar um aumento, não poderia revogar decisão anterior, do colega Vinicius de Toledo Piza Peluso, juiz de plantão, que impediu um reajuste sem divulgação de estudo.

Enquanto o juiz Peluso, que impediu o aumento, considerou que seria falta de transparência o reajuste sem a divulgação de estudo, o juiz Villar, que liberou o reajuste, entendeu que o aumento tratava de cumprimento anual de contrato.

O desembargador entendeu que a primeira decisão, a que impediu o reajuste, não poderia ser derrubada porque estava fundamentada, e que é dever do poder público dar publicidade aos atos e procedimentos, como de mudança de tarifas de ônibus.

Entretanto, no dia 5 de janeiro de 2018, o desembargador Reinaldo Miluzzi, do TJ-SP, voltou a suspender o reajuste porque o juiz de plantão não poderia ter revisto a decisão do anterior, ainda mais considerando, segundo o magistrado, que os fundamentos dela eram “coerentes”.

Após o fim do recesso do Judiciário, outro desembargador, Claudio Augusto Pedrassi, analisou o assunto. Ele abriu brecha para o reajuste, destacando que o contrato firmado entre CET-Santos e Piracicabana prevê a possibilidade de aumento, “que nada mais é do que a recomposição da perda do valor da moeda”.

O desembargador pontuou, contudo, que a elevação da tarifa deveria ser com base no índice de inflação previsto no contrato de permissão.

No dia 4 de fevereiro de 2018 a batalha chegou ao fim: a Prefeitura informou que o desembargador Claudio Augusto Pedrassi esclarecera, após embargos de declaração, que havia autorizado o aumento “na forma prevista no contrato de permissão do transporte coletivo”.

AUMENTOS DE TARIFA RECENTES:

No início deste ano, diversos municípios já anunciaram aumento de tarifa.

Confira:

GRANDE SÃO PAULO

Ribeirão Pires: De R$ 4,00 para R$4,40 – Vale-Transporte: R$ 4,60 – 13 de janeiro de 2019

Francisco Morato: De R$ 4,20 para R$ 4,45 – 07 de janeiro de 2019

Franco da Rocha: De R$ 4,35 para R$ 4,60 – 07 de janeiro de 2019

Santo André: De R$ 4,40 para R$ 4,75 e Vale-Transporte de R$ 5,50 para R$ 5,95 – 06 de janeiro de 2019

Diadema: De R$ 4,40 para R$ 4,65 – 06 de janeiro de 2019

Barueri: De R$ 4,35 para R$ 4,50 – 06 de janeiro de 2019

Carapicuíba: De R$ 4,35 para R$ 4,50 – 05 de janeiro de 2019

Osasco: De R$ 4,35 para R$ 4,50 – 01º de janeiro de 2019

Santo Bernardo do Campo: De R$ 4,40 para R$ 4,75 – 01º de janeiro de 2019

Itapevi:  De R$ 4,35 para R$ 4,50. – 01º de janeiro de 2019

São Paulo

Bilhetes Valores atuais Novos Valores
Tarifa básica  R$ 4,00  R$ 4,30
(SPTrans a partir de 07/01)

(Metrô/CPTM a partir de 13/01)
Bilhete Único  R$ 4,00  R$ 4,30
(SPTrans a partir de 07/01)

(Metrô/CPTM a partir de 13/01)
BOM  R$ 4,00  R$ 4,30
Escolar  R$ 2,00  R$ 2,15(SPTrans a partir de 07/01)
(Metrô/CPTM a partir de 13/01)
Bilhete Único Integrado  R$ 6,96  R$ 7,21 entre 07 e 12/01R$ 7,48 a partir de 13/01
Fidelidade 8  R$ 29,50  R$ 31,71
 R$ 3,69  R$ 3,96
Fidelidade 20  R$ 71,50  R$ 76,86
 R$ 3,58  R$ 3,84
Fidelidade 50  R$ 174,00  R$ 187,05
 R$ 3,48  R$ 3,74
Temporais (Tarifa média por passageiro)    
Exclusivos    
Mensal Comum  R$ 194,30  R$ 208,90
24 Horas Comum  R$ 15,30  R$ 16,40
Integrados    
Mensal Comum  R$ 307,00 R$ 318,00 entre 07 e 12/01R$ 323,80 a partir de 13/01
24 Horas Comum  R$ 20,50 R$ 21,20 entre 07 e 12/01R$ 21,60 a partir de 13/01

Outros municípios, considerando valor pago em dinheiro

Santos, litoral paulista: De R$ 4,05 para R$ 4,30. 13 de janeiro de 2019;

Catanduva, interior de São Paulo: De R$ 3,75 para R$ 4. 07 de janeiro de 2019;

São José do Rio Preto, interior de São Paulo: De R$ 3,10 para R$ 3,30. 05 de janeiro de 2019;

Araras, interior de São Paulo: De R$ 3,20 para R$ 3,40. 1º de janeiro de 2019;

Itapeva, interior de São Paulo: De R$ 4 para R$ 4,50. 1º de janeiro de 2019;

Itapetininga, interior de São Paulo: De R$ 3 para R$ 3,50. 18 de dezembro de 2018;

Praia Grande, litoral paulista: De R$ 4,05 para R$ 4,30. 06 de janeiro de 2019;

Florianópolis, Santa Catarina: De R$ 4,20 para R$ 4,40. 1º de janeiro de 2019;

Joinville, Santa Catarina: De R$ 4,65 para R$ 4,80. 07 de janeiro de 2019;

Jaraguá do Sul, Santa Catarina: De R$ 4,75 para R$ 5,00. 1º de janeiro de 2019;

Lages, Santa Catarina: De R$ 3,80 para R$ 4,00. 1º de janeiro de 2019;

Cuiabá, Mato Grosso: De R$ 3,85 para R$ 4,10. 02 de janeiro de 2019;

Várzea Grande, Mato Grosso: De R$ 3,85 para R$ 4,10. 04 de janeiro de 2019;

Pouso Alegre, Minas Gerais: De R$ 3,60 para R$ 3,80. 02 de janeiro de 2019;

Luís Eduardo Magalhães, Bahia: De R$ 2,80 para R$ 4,00. 15 de dezembro de 2018;

Teresina, Piauí: De R$ 3,60 para R$ 3,85. 10 de janeiro de 2019;

Ribeirão das Neves, Minas Gerais: De R$ 3,85 para R$ 4,25. 7 de janeiro de 2019.


Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Comentários

  1. André Magalhães disse:

    Ter wi fi e ar condicionado exige custos, não era isso que as pessoas tanto reclamavam de ter? Pra ter tem que pagar…
    Porque há 25 anos o que tinham eram sucatas ambulantes sem manutenção, sujas, poluentes, com veiculos que tinham 12 anos de uso… e os aumentos eram mensais.
    Os que reclamam hoje eu duvido que sobreviveriam ao que existiu no passado, porque não vão saber viver sem um arzinho ou uma internet no busão…

Deixe uma resposta