Caio vende 148 unidades do modelo Mondego para o Chile

Solução de design permite altura interna melhor e dois níveis no teto. Imagem: Divulgação Caio - Texto: Adamo Bazani (Clique para Ampliar)

Veículo foi desenvolvido para o mercado externo. Até o final do mês, encarroçadora brasileira pretende entregar 92 ônibus deste lote

ADAMO BAZANI

A encarroçadora de ônibus Caio, de Botucatu, no interior de São Paulo, informou que vendeu 148 unidades do modelo urbano Modego, com chassi Mercedes-Benz Euro 6, produzidos no Brasil.

Os veículos foram comprados pela empresa chilena Buses Vule para operar no Transantiago, sistema da capital do país.

Os ônibus são menos poluentes, o que deve auxiliar na qualidade do ar da cidade, que possui em torno de oito milhões de moradores.

No Brasil, a legislação em vigor determina que os veículos pesados a diesel sigam os padrões internacionais Euro 5, que são mais poluentes que os modelos para o mercado chileno. Por aqui, de acordo com resolução do Conama – Conselho Nacional do Meio Ambiente, o padrão Euro 6 deve entrar em vigor a partir de 2023.

Segundo a Caio, deste total de 148 unidades, 92 ônibus devem ser entregues até o final deste ano e o restante no primeiro trimestre de 2019.

A encarroçadora explica que os veículos vão sair em comboios a partir da planta de Botucatu. Por serem ônibus novos e urbanos, o cuidado na viagem é redobrado e o trajeto até Santiago deve demorar entre 10 e 15 dias.

Em nota, a Caio explica que o modelo Mondego na configuração comparada pela Buses Vule é desenvolvido para o mercado internacional.

O veículo tem 12,5 metros de comprimento e capacidade para 97 passageiros, sendo 30 sentados, um espaço para cadeira de rodas ou pessoa com cão-guia e 66 em pé.

Em nota, a Caio diz que os itens de acessibilidade seguem os padrões exigidos pelo governo chileno. O design interno, com nova distribuição dos assentos contribuiu para a capacidade de lotação. A altura interna também é menor, apesar do piso baixo.

O modelo também possui rampas para facilitar o acesso de pessoas com necessidades especiais e espaço para acomodar cadeira de rodas. Um dos diferenciais do ônibus é o guarda-corpo, para a fixação da cadeira de rodas, que também possui poltrona com assento escamoteável, que fica recuada, quando o espaço está sendo utilizado por um cadeirante. Se não houver cadeirante no ônibus, esta poltrona poderá ser utilizada como um assento a mais no veículo.

Os veículos contam com estrutura leve e resistente, resultado de estudos e um projeto de aprimoramento, que levou cerca de dois anos de desenvolvimento, possibilitando uma maior quantidade de passageiros, de acordo com as normas do Chile.

Outro diferencial do modelo são os dois tetos, unidos por uma estrutura, diminuindo a altura interna e tornando o visual mais harmônico.” – diz a nota.

A iluminação externa e interna é de LED. A área onde fica o degrau interno para a passagem do piso baixo para a parte elevada na traseira recebeu luminosidade especial, segundo a Caio.

Compõem a lista de equipamentos dos ônibus Mondego itens como letreiros eletrônicos, solicitação de parada sem fio, ar condicionado, tomadas USB para baterias de celulares e outros dispositivos, poltronas injetadas semi-estofadas para os passageiros, barreira aos efeitos solares dos vidros na cor fumê, portas tipo fole com acionamento eletropneumático e com sistema anti- esmagamento, bloqueadores de porta original do chassi para evitar acionamento com o ônibus em movimento e, para o motorista, a poltrona possui encosto alto e sistema de amortecimento pneumático, com regulagem de altura por meio de botão no painel.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. Bruno Antonio disse:

    Esse é o modelo que tinha de circular no Brasil.

Deixe uma resposta