Motoristas e cobradores de Londrina realizam assembleias nesta segunda-feira para definir greve

Publicado em: 16 de dezembro de 2018

Última reunião dos trabalhadores será às 19h, quando terá uma definição sobre a paralisação

JESSICA MARQUES

Os motoristas e cobradores de Londrina, no Paraná, realizam assembleias nesta segunda-feira, 17 de dezembro de 2018, para definir se haverá ou não greve no transporte coletivo da cidade.

A última reunião dos trabalhadores será às 19h, quando será divulgada uma definição sobre a paralisação.

A assessoria jurídica do Sinttrol (Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários de Londrina) informou à Folha de Londrina que os veículos circulam normalmente até que haja uma definição.

“Dependendo do que for decidido por parte dos 1,9 mil funcionários das duas empresas que atualmente administram o serviço podem interromper os serviços a qualquer instante, tanto da TCGL (Transportes Coletivo Grande Londrina) como da Londrisul”, afirmou o advogado do Sinttrol, André Silva, ao portal.

A categoria reivindica um reajuste de 6%, sendo 4% da inflação e 2% de aumento real. A possibilidade de greve foi cogitada logo depois do anúncio da direção da TCGL de que não irá participar da concorrência pública da prefeitura para a escolha da empresa responsável pelo transporte coletivo para os próximos 15 anos.

Relembre: Após 60 anos de atividades, TCGL anuncia encerramento de atividades em Londrina

A assessoria de imprensa da Metrolon (Sindicato das Empresas de Transporte Coletivo de Londrina ) informou à Folha de Londrina que as empresas estão aguardando a decisão dos trabalhadores para agir.

Ainda segundo a assessoria, as empresas possuem as mesmas informações que a população em relação ao que irá acontecer, ou seja, o quadro ainda é incerto. A assessoria ressalta ainda que, mesmo com a greve, a legislação exige que um percentual dos ônibus deve permanecer em circulação.

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Deixe uma resposta