Parceria da prefeitura com startup leva 20 estações de patinetes elétricas a Florianópolis

Foto: Divulgação (Ride)

Sistema de uso compartilhado prevê disponibilizar 200 unidades do equipamento até o fim deste ano

ALEXANDRE PELEGI

Como o Diário do Transporte noticiou há poucos dias, o sistema de uso compartilhado de patinetes elétricas tem-se espalhado pelas cidades brasileiras.

Após a chegada dos sistemas de bicicletas compartilhadas, as patinetes com bateria passaram a disputar a preferência dos usuários em importantes cidades brasileiras.

Em um dos casos mais recentes, a cidade do Rio de Janeiro inaugurou a parceria entre a Petrobras Distribuidora e a Tembici, cuja meta é dispor de 500 patinetes elétricas para locação na Zona Sul da capital até meados de 2019. Relembre: Em parceria inédita com a Petrobrás, Tembici lança patinetes elétricos compartilhados no Rio de Janeiro

Florianópolis também aderiu à novidade. E acaba de divulgar seu sistema de uso compartilhado de patinetes elétricas distribuído em 20 diferentes endereços no centro da capital catarinense.

No caso de Floripa, o sistema chega à cidade graças a uma parceria entre a Prefeitura e a startup Ride, de São Paulo, baseado no aplicativo Grin, disponível para Android e IOS.

O custo do aluguel da patinete sai a R$ 3,00 o desbloqueio e 0,50 centavos o minuto rodado, com os 10 primeiros minutos de graça.

A expectativa é chegar até o final do ano com 200 equipamentos instalados em diferentes bairros da cidade, todos com GPS integrado.

O usuário localiza e em seguida desbloqueia a patinete através do aplicativo. Após o uso, pode deixá-la em qualquer via pública, desde que não atrapalhe nem os pedestres, nem o trânsito de veículos.

O serviço funciona das 7h às 22h.

Fora do horário de operação, funcionários recolhem as patinetes para carregar. Dez pessoas de uma comunidade carente de Florianópolis foram contratadas para ajudar no recolhimento dos equipamentos, levando-os até a estação inicial.

O secretário de Esporte, Cultura e Juventude do município, Ed Pereira, vê as patinetes elétricas como meio de transporte. “Vimos que em outros lugares como São Paulo as pessoas utilizam essa modalidade no dia a dia pela sua praticidade. Então, queremos adaptar para a cidade. Estamos cada vez mais criando alternativas para o deslocamento ao trabalho, à escola, de forma segura, rápida e com qualidade de vida”, afirmou em entrevista ao portal Tudo sobre Floripa.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

Deixe uma resposta