EMTU instala placas de energia solar em pontos de ônibus

Recurso está sendo utilizado na região metropolitana de Campinas

JESSICA MARQUES

A EMTU (Empresa Metropolitana de Transortes Urbanos) instalou em outubro placas de captação de energia solar em pontos de parada de ônibus do Corredor Biléo Soares, na região metropolitana de Campinas, no interior de São Paulo.

Ao todo, 14 paradas já receberam as placas de captação, de um total de 20 pontos que estarão concluídos até o final do ano nos municípios de Americana e Santa Bárbara D’Oeste, segundo a EMTU.

“As placas de captação de energia solar são conectadas com a rede de energia da CPFL, gerando para o Estado um crédito em energia que pode ser utilizado nas próprias paradas e também em outros equipamentos metropolitanos. Pioneira na implantação dessa tecnologia no sistema de ônibus no Estado de São Paulo, a EMTU/SP pretende estender a novidade a outros empreendimentos sob sua responsabilidade.”

O custo estimado é de R$ 6,7 mil por ponto de parada e o investimento tem expectativa de ser recuperado em até três anos e um mês. Produzidas pela empresa WEG, as placas utilizaram tecnologia nacional e estrangeira, uma vez que a Sede da Weg é no Brasil e alguns de seus produtos são fabricados na China.

Como funciona o sistema

Os estudos para a implantação dessa nova tecnologia começaram há três anos e os primeiros testes ocorreram no primeiro semestre de 2018, segundo a EMTU. O engenheiro elétrico da empresa, Carlos Alberto Pinto Coelho, explica que o sistema é semelhante ao utilizado em residências.

As placas captam e transformam a energia solar em eletricidade. Após a conversão em energia elétrica, é injetada na rede da CPFL. As medições de geração são feitas e acompanhadas diariamente. A CPFL, por sua vez reenvia essa energia de volta à EMTU e todos os créditos excedentes podem ser utilizados tanto nas paradas de ônibus como em outros equipamentos da empresa. “Hoje produzimos mais energia do que utilizamos, e isso de forma gratuita”, relatou.

ÔNIBUS

Em até dois meses, o sistema de ônibus da capital paulista terá ao menos 15 veículos movidos à eletricidade gerada a partir de energia solar.

Relembre: https://diariodotransporte.com.br/2018/10/16/exclusivo-sao-paulo-tera-em-ate-dois-meses-sistema-de-onibus-eletricos-com-geracao-propria-de-energia-solar/

O primeiro ônibus totalmente elétrico, com tecnologia brasileira e baterias alimentadas por energia solar, já completou 80 mil quilômetros rodados neste mês de agosto. O projeto do veículo, chamado eBus, foi desenvolvido pelo Grupo de Pesquisa Estratégica em Energia Solar da UFSC (Universidade Federal de Santa Catarina), em parceria com empresas do setor.

A operação do eBus teve início em dezembro de 2016, em Santa Catarina, no trajeto de 25,3 quilômetros entre dois campus da UFSC, no Sapiens Parque, em Canasvieiras, no norte da ilha, e o Campus Central.

Inicialmente, foram feitas quatro viagens que somavam pouco mais de 200 quilômetros por dia. A recarga das baterias é feita no laboratório da UFSC, no Sapiens Parque.

Relembre: Ônibus elétrico com energia solar já está em operação em Santa Catarina

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Deixe uma resposta