Plano de trem de Campinas a São Paulo tem novo entrave

Americana, que integra a primeira fase do projeto, não comporta tráfego ferroviário previsto

JESSICA MARQUES

O plano de ligar a capital paulista a Campinas, no interior do estado de São Paulo, pode estar mais longe de ser concretizado. A cidade de Americana, que integra a primeira fase do projeto, não comporta o tráfego ferroviário previsto.

O chamado Trem Intercidades havia anunciado em fevereiro deste ano pelo então governador Geraldo Alckmin. O projeto está orçado em R$ 5,4 bilhões.

Segundo informações publicadas pela Folha de S.Paulo neste domingo, 7 de outubro de 2018, a concessionária Rumo, responsável pelo trecho em Americana, informou que a estrutura já estabelecida não comportaria um tráfego adicional de trens.

A cidade de Americana fica na linha tronco da concessão, um local considerado como corredor de exportações, que vão de Rondonópolis, no Mato Grosso, até Santos. O trajeto passa por cidades como São José do Rio Preto, Araraquara, Rio Claro e Campinas, diretamente envolvida no projeto do governo estadual.

Segundo a Rumo, composições de outras concessionárias já utilizam a via. Se não for possível o compartilhamento da via férrea no trecho entre Americanas e Campinas, no projeto, é possível que tenham que ser feitas desapropriações e estudos ambientais, conforme consta na reportagem da Folha.

HISTÓRICO

A promessa dos trens regionais remonta a 2010, e uma de suas principais motivações é mitigar o crescente volume de tráfego nas principais rodovias que acessam São Paulo, além de diminuir o impacto no trânsito das cidades causado pelo transporte de carga.

Em dezembro de 2011 o então Secretário Estadual de Transportes Metropolitanos, Jurandir Fernandes, anunciava que a era dos trens regionais, ligando cidades mais distantes, iria voltar ao Estado. Jurandir garantiu que além das ligações ferroviárias para Santos, Jundiaí e Sorocaba, outras cidades que ficam mais longe da Capital Paulista, como Ribeirão Preto e Piracicaba receberiam os serviços ferroviários.

Passados 5 anos, em debate sobre o projeto de Trens Intercidades no Estado, realizado na Câmara dos Deputados, em Brasília, em dezembro de 2016, o Secretários dos Transportes Metropolitanos de São Paulo, Clodoaldo Pelissioni, afirmou que pretendia lançar uma Parceria Público Privada em 2017 para viabilizar o projeto.

Pelos planos apresentados à época por Pelissioni, a malha ferroviária objeto de PPP ligaria as cidades de Campinas, Vale do Paraíba, Baixada Santista, Sorocaba e São Paulo com atendimento de composições que correriam a 160 quilômetros por hora. Os preços seriam competitivos com o transporte rodoviário, com as vantagens de uma ferrovia.

O trecho prioritário, segundo o secretário, é o de Americana a São Paulo, com 135 quilômetros de extensão e custo de R$ 5,4 bilhões, atendendo a uma demanda estimada de 60 mil passageiros por dia. “O fato também de termos o Aeroporto de Viracopos, que será o maior aeroporto do Brasil, maximiza o projeto”, afirmou Pelissioni.

TRENS REGIONAIS

Agora, mais uma vez, o governo Alckmin anuncia que pretende lançar, ainda em 2018, o edital de contratação do primeiro trecho do trem regional, que ligará São Paulo à cidade de Americana, na região de Campinas.

A primeira fase também deverá contemplar a ligação com trem de média velocidade as cidades de Jundiaí e Campinas. O percurso de 135 quilômetros terá nove estações, com investimento previsto de R$ 5 bilhões.

Para o secretário de Logística de Transportes, Laurence Casagrande, a ideia para viabilizar o trem intercidades é compartilhar o trilho nos trechos onde há ociosidade. Isso otimiza a infraestrutura e reduz o custo de implantação do projeto. A proposta inicial, que nasceu entre 2009 e 2010, propunha realizar a construção de novas linhas, o que elevaria o custo das obras.

A ideia de compartilhar os trilhos facilitará não só o deslocamento de passageiros entre as regiões da macrometrópole, como permitirá triplicar a participação da malha ferroviária na matriz de transporte de carga no Estado, passando de 12% para 36%.

Jessica Marques pra o Diário do Transporte

1 comentário em Plano de trem de Campinas a São Paulo tem novo entrave

  1. Claudio Lemes Louzada // 8 de outubro de 2018 às 12:24 // Responder

    Deixem o projeto, financiamento e execução a cargo de empresas Chinesas de material rodante ferroviário que eles constroem todo esse projeto em apenas 1 ano. Desse modo não estaremos reféns de nossas construtoras e seus modos escusos de negócios. A China já tem 35 mil Km de TAV, Trem de Alta Velocidade enquanto nós……Saudações,

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: