Biometria facial em Salvador bloqueou 11 mil cartões de gratuidade em 2018

Foto: Divulgação

Fraudes causaram prejuízo de quase R$ 40 milhões no primeiro semestre, segundo a Integra

ALEXANDRE PELEGI

As fraudes no uso de cartões de gratuidade no sistema de bilhetagem eletrônica de Salvador causaram um prejuízo de R$ 39 milhões nos primeiros seis meses de 2018.

Os dados são da Integra, associação das empresas de Transporte da capital da Bahia, que afirma ainda que neste ano já foram bloqueados por uso indevido cerca de 11 mil cartões Salvador Card.

Ainda segundo a Integra, 14% das passagens de ônibus registradas como gratuidade e 18% das meias-passagens não são usadas pelos beneficiários reais, o que configura a fraude.

O bloqueio dos cartões só foi possível graças ao sistema de biometria facial que foi implantado em maio de 2017 na capital Salvador.

Durante todo o ano de 2015, o rombo decorrente de fraudes no transporte público chegou a R$ 50 milhões; em 2016, o valor subiu para R$ 70 milhões.

A biometria facial dos passageiros é feita por meio de microcâmeras instaladas junto aos validadores onde a passagem é registrada. Em caso de uso indevido do bilhete o primeiro passo é uma notificação da suspensão ao titular do cartão, que terá prazo de até 10 dias para apresentar sua defesa para uma comissão especial. O segundo passo é o bloqueio total do cartão benefício, que ocorre em caso de reincidência.

A bilhetagem eletrônica em Salvador – SalvadorCARD – é gerida pelo Consórcio Salvador TRANSCARD de Bilhetagem Automática. Toda a frota de 2700 ônibus urbanos (STCO) e cerca de 300 veículos do Subsistema de Transporte Complementar (STEC) são compatíveis com esta tecnologia, que disponibiliza os seguintes cartões: Vale Transporte Eletrônico; Meia Passagem Estudantil; Bilhete Avulso; Vale Transporte Especial; e Bilhete Identificado.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. Estado corrupto, reflexo de um povo corrupto.

Deixe uma resposta