Inglaterra anuncia planos de quase 140 milhões de dólares para transporte com emissão zero

Primeira-Ministra Theresa May anunciou 106 milhões de libras para pesquisa e desenvolvimento em veículos ecológicos, novas baterias e tecnologia de baixo carbono na primeira cúpula de veículos de emissão zero do Reino Unido, dias 11 e 12 de setembro, em Birmingham (UK)

ALEXANDRE PELEGI

Um pacote de 106 milhões de libras esterlinas (cerca de 140 milhões de dólares) para projetos que desenvolvem tecnologia inovadora de bateria verde, veículo e reabastecimento. Este foi o cerne do anúncio feito pela Primeira Ministra do Reino Unido, Theresa May, na primeira Cúpula de Veículos de Emissão Zero (ZEV, na sigla em inglês) do país, que acontece ontem e hoje, dias 11 e 12 de setembro de 2018, em Birmingham, Inglaterra.

Falando no evento, Theresa May se referiu à sua “ambiciosa missão” para o Reino Unido se tornar líder mundial em tecnologia de baixa emissão como parte de um esforço para manter o país verde. May estava acampanhada  do secretário de transportes, Chris Grayling, do secretário de negócios, Greg Clark, e do secretário de Comércio, Liam Fox.

No encontro, a primeira-ministra coordenou uma mesa redonda automotiva com as principais empresas da cadeia de fornecimento do setor da Alemanha, EUA, Japão, China, Espanha e Índia, para explorar o que mais o governo e a indústria podem fazer juntos para acelerar o desenvolvimento do mercado de emissões zero e para destacar a forte oferta no Reino Unido.

Esta é a terceira na série de rodadas de investimentos do governo que promovem oportunidades do setor industrial do Reino Unido para um público global, e direcionam o investimento estrangeiro à medida que o país se prepara para deixar a União Europeia, segundo esclarece o site oficial do governo inglês.

O governo lançou uma nova declaração internacional que pretende abrir caminho para a implantação mundial de veículos ecológicos e a introdução de infraestrutura inteligente de emissão zero. Os primeiros signatários da “Declaração de Birmingham” incluem Itália, França, Dinamarca, Emirados Árabes Unidos, Portugal, Bielorrússia e Indonésia, com mais nações atualmente em negociações para subscreverem o documento. O objetivo é formar a base de um crescente engajamento internacional em conferências sobre o clima ao longo do ano para acelerar a transição global.

Em seu pronunciamento em Birmingham a primeira-ministra Theresa May afirmou querer ver a Grã-Bretanha “mais uma vez liderando e trabalhando com indústrias e países ao redor do mundo para promover a mudança”.

Ela afirmou que foi este o motivo de dar ao país “uma missão ambiciosa – colocar o Reino Unido na vanguarda do projeto e fabricação de veículos com emissão zero, e para que todos os novos carros e vans tenham, efetivamente, emissões zero até 2040”.

Theresa May disse que o país está dando passos significativos nessa direção: “os carros eléctricos fabricados no Reino Unido representam um em cinco vendidos na Europa; nossas baterias estão entre as melhores do mundo”, disse.

Ainda segundo May, a estratégia britânica “Road to Zero” (a caminho da emissão zero) é o mais abrangente globalmente, “mapeando detalhadamente como alcançaremos nossa meta de que todos os novos carros e vans tenham, efetivamente, zero emissão até 2040 – e que todos os carros e caminhonetes sejam emissão zero até 2050”.

Quanto aos investimentos anunciados de mais de 100 milhões de libras, May afirmou que serão direcionados para inovações em veículos de emissão ultrabaixa e tecnologia de hidrogênio.

Essas medidas impulsionarão o projeto, uso, absorção e infraestrutura necessários para veículos mais limpos e mais ecológicos – e, ao fazê-lo, nos ajudará a reduzir drasticamente o maior contribuinte para nossas emissões de aquecimento global, à medida que procuramos cumprir o Acordo de Mudança Climática de Paris”, afirmou a primeira Ministra.

O projeto anunciado na Cúpula de Birmingham integra o “Grande Desafio do Futuro da Mobilidade” do atual governo inglês, delineado em sua Estratégia Industrial, cujo objetivo é ajudar a reduzir as emissões de gases de efeito estufa, tornar as viagens mais seguras, melhorar a acessibilidade e apresentar enormes oportunidades econômicas para o Reino Unido.

Segundo o site do governo, a indústria anunciou que está investindo mais de £ 500 milhões em projetos relacionados à tecnologia de baixa emissão, criando 1.000 empregos em todo o Reino Unido. Esses anúncios incluem, segundo o site:

Empresa JEE – investindo cerca de £ 6 milhões no Reino Unido para estabelecer uma instalação de montagem e testes em Birmingham, empregando cerca de 20 pessoas altamente qualificadas até 2020;

Aston Martin – investimento adicional de £ 50 milhões em sua nova instalação em St Athan, no País de Gales, que se tornará seu centro de eletrificação e o lar da marca Lagonda. O investimento criará mais 200 empregos no local e, no total, a nova fábrica trará até 750 empregos altamente qualificados para o sul de Gales;

Cummins – investirá £ 210 milhões em Pesquisa e Desenvolvimento nas indústrias automotiva (e associada) nos próximos três anos no Reino Unido;

EV Network – empresa de desenvolvimento de estações de recarga sediada no Reino Unido, está desenvolvendo 200 estações de carga rápida em todo o Reino, representando um investimento de cerca de £ 200 milhões. A empresa uniu forças com a Leclanché, que fornecerá as soluções de armazenamento de baterias para as estações. EVN e Leclanché anunciaram aindaum centro de excelência de carregamento de EV em Warwick;

Joint venture da New Williams Advanced Engineering e Unipart Manufacturing Group, Hyperbat Limited – abrirá a maior e independente fábrica de baterias de veículos do Reino Unido em Coventry no início de 2019. Serão criados cerca de 90 novos empregos de alta tecnologia e alta tecnologia;

Zhuzhou CRRC Times Co., Ltd. (TEC), subsidiária da CRRC – confirmou Birmingham como o local para o seu novo R & D Innovation Center para EVs, ferrovias e renováveis. O centro empregará mais de 150 engenheiros até 2022, com um investimento total de até £ 50 milhões;

Lloyds Banking Group – principal parceiro da Cúpula ZEV, está anunciando um novo fundo de US $ 1 milhão para locações de veículos elétricos para incentivar a condução com emissão zero. O fundo é para os primeiros 1.000 clientes que se inscreverem para um veículo elétrico puro da Lex Autolease, o braço de locação de veículos do grupo, a partir de janeiro de 2019;

Ryobi Aluminum Casting UK – está investindo £ 7 milhões em fornos de fundição e máquinas de fundição sob pressão, para aumentar a produção de componentes de transmissão de precisão;

Lear Corporation – investindo 54 milhões de libras em suas operações no Reino Unido, com 19 milhões de libras para investir em capital e treinamento e 35 milhões em engenharia. O investimento cria mais 220 empregos;

QinetiQ, empresa líder de engenharia e ciência – expandindo seus negócios de fontes de energia, armazenamento e distribuição de energia, aumentando sua equipe em 25% e fazendo um investimento inicial de £ 2 milhões em instalações em Farnborough nos próximos 9 meses;

Leoni – investirá 7 milhões de libras em um novo centro técnico em South Warwickshire, criando mais de 100 novos projetos e trabalhos de desenvolvimento, trabalhando com os principais OEMs no desenvolvimento de tecnologias para a próxima geração de veículos autônomos e elétricos;

MINTH – planeja estabelecer nova instalação no Reino Unido para atender novos pedidos de OEMs do Reino Unido e está desenvolvendo novos produtos para refletir a mudança para a eletrificação leve e a condução autônoma na indústria automotiva.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: