BYD expande atuação no mercado de geração distribuída e lança nova linha de painéis fotovoltaicos

Foto: Divulgação

Novidades foram apresentadas na Intersolar 2018

ALEXANDRE PELEGI

A BYD, gigante global especializada em energia limpa, está expandindo sua atuação no mercado de geração distribuída.

Para quem não está habituado com o termo, ele pode ser definido como uma fonte de energia elétrica conectada diretamente à rede de distribuição ou situada no próprio consumidor.

Prevista no Brasil desde 2004 pelo Decreto Lei nº 5.163, que regulamentou a comercialização e autorizações de geração de energia elétrica, a geração distribuída está prevista no artigo 14 do texto legal:

Considera-se geração distribuída a produção de energia elétrica proveniente de empreendimentos de agentes concessionários, permissionários ou autorizados (…) conectados diretamente no sistema elétrico de distribuição do comprador, exceto aquela proveniente de empreendimento hidrelétrico com capacidade instalada superior a 30 MW, e termelétrico, inclusive de cogeração, com eficiência energética inferior a setenta e cinco por cento”.

A geração distribuída fotovoltaica vem se consolidando no mundo como uma das formas mais inteligentes de se produzir energia, como acredita Adalberto Maluf, diretor de Marketing, Sustentabilidade e Novos Negócios da BYD: “Até 2040 a Energia Solar vai representar aproximadamente 32% da matriz energética brasileira, com um aumento significativo no mercado de geração distribuída. Acreditamos muito no potencial do mercado nacional e os investimentos são um reflexo disso”, afirma.

paineis_BYD

No final de agosto, entre os dias 28 e 30, a BYD Energy do Brasil lançou oficialmente sua nova linha de painéis fotovoltaicos durante a feira Intersolar 2018, apresentando quatro novos módulos: o Policristalino Convencional e Double Glass e o Monocristalino convencional e Double Glass.

O objetivo da empresa, com fábrica em Campinas, é expandir sua atuação no mercado de geração distribuída, possibilitando ainda um ciclo de emissão zero com mobilidade elétrica, garantindo que os clientes gerem a própria energia e a utilizem nos veículos elétricos (carros, ônibus e caminhões).

Fabricados na unidade da BYD em Campinas, os painéis são credenciados pelo Finame – BNDES e livres de EVA (Ethylene Vinyl Acetat – Acetato-vinilo de Etileno, filme encapsulante para o Painel Solar). O EVA representa aproximadamente 8% do custo de fabricação do painel.

A produção dos novos módulos será iniciada ainda neste mês de setembro, segundo comunicado da BYD.

Os módulos Monocristalinos possuem potência entre 340 e 370 Watts, garantia de 12 anos e eficiência das células de 21,4%. Já os Policristalinos, a potência pode variar entre 310 e 340 Watts no convencional e 315 e 340 Watts no double-glass. A garantia é de 10 anos com eficiência 19,2% das células.

A primeira linha de produção de módulos solares fotovoltaicos na unidade da BYD em Campinas foi instalada no mesmo complexo industrial da linha de produção de chassis de ônibus elétricos, já em operação. Ela foi nunciada durante a visita do Primeiro Ministro chinês ao Brasil em maio de 2015, Li Keqiang.

Durante a Interlosar 2018 a BYD apresentou ainda uma nova solução, o sistema de armazenamento de energia B-Box (Battery Box). Composto de bateria de fosfato de ferro-lítio e capacidade de 13.8 kw, o sistema dispensa sala de baterias e tem vida útil de três mil ciclos completos.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta