Europa ultrapassa marca de 1 milhão de carros elétricos

Europa já ultrapassou a marca de 1 milhão de carros elétricos. Brasil está muito distante ainda. Foto: Divulgação

Entre Janeiro e Junho deste ano cerca de 195.000 carros plug-in foram vendidos em toda a União Europeia, Islândia, Liechtenstein, Noruega e Suíça

ALEXANDRE PELEGI

A Europa tem agora mais de um milhão de carros elétricos depois que as vendas subiram mais de 40% no primeiro semestre do ano.

A região atingiu o marco quase um ano depois da China, que tem um mercado de automóveis muito maior. A Europa, no entanto, mantém-se à frente dos Estados Unidos, que deve alcançar a marca de 1 milhão de elétricos no final deste ano, impulsionado pelo atrativo do mais recente modelo da Tesla.

Entre janeiro e junho, cerca de 195.000 carros plug-in foram vendidos em toda a União Europeia, Islândia, Liechtenstein, Noruega e Suíça, um aumento de 42% em relação ao mesmo período do ano anterior.

Com o crescimento acelerado, o total acumulado deverá atingir 1,35 milhão até o final do ano, de acordo com analistas da EV-Volumes, banco de dados do mercado de veículos elétricos em todo o mundo.

Os números incluem carros totalmente elétricos e vans, além de plug-in híbridos, que podem percorrer uma curta distância com bateria antes de mudar para um motor convencional.

Embora as vendas de plug-ins estejam crescendo, elas ainda respondem por apenas 2% de todos os novos registros de carros e vans na Europa no primeiro semestre do ano. Até o final do ano, prevê-se que esta participação atingirá 2,35%.

A Noruega continua liderando o mercado de elétricos, com 36.500 vendas e uma parcela de 37% de novos registros. O país está há muito tempo à frente em veículos movidos a bateria, graças em grande parte a generosos incentivos governamentais.

No entanto, o rápido crescimento na Alemanha demonstra que o maior mercado de carros da Europa deverá ultrapassar a Noruega até o final do ano no que tange ao total de vendas.

A Holanda e a Dinamarca também registraram um bom crescimento, enquanto o Reino Unido teve um crescimento moderado devido ao que os analistas chamam de falta de modelos convincentes produzidos pelos fabricantes domésticos Ford e Vauxhall, segundo informa o jornal londrino The Guardian.

Os mercados que mais cresceram no primeiro trimestre do ano em relação às vendas de plug-ins foram China (+113%), Canadá (+114%), Holanda (+122%), Coréia do Sul (+138%), Espanha (+118%, Finlândia (+144%), Nova Zelândia (+99%) e Austrália (+132%).

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: