Panamá terá apoio da ONU e da União Europeia para implantar projetos de eletromobilidade nos meios de transporte

Foto: Ilustração

Programa de cooperação entre país centro-americano e o bloco europeu faz parte da estratégia da União Europeia para avançar nas metas do Acordo de Paris

ALEXANDRE PELEGI

Estimativas das Nações Unidas indicam que a substituição da frota de ônibus e táxis da Cidade do Panamá por veículos elétricos evitaria a liberação de 8,5 milhões de toneladas de CO2 até 2030.

Com esses dados em foco, a ONU Meio Ambiente, juntamente com a União Europeia e o governo do Panamá, lançaram na última quinta-feira, dia 9 de agosto, uma parceria para melhorar a sustentabilidade dos meios de transporte do país centro-americano.

O projeto, segundo informa o site da ONU, visa popularizar a mobilidade elétrica.

A troca do combustível fóssil pela eletromobilidade nos meios de transportes da cidade do Panamá traria ainda uma economia de 500 milhões de dólares em combustível para os próximos 13 anos. Mais que isso: permitiria evitar a morte precoce de mais de 400 pessoas, devido a doenças respiratórias associadas à qualidade do ar.

O programa de cooperação entre o Panamá e o bloco europeu faz parte da estratégia da União Europeia de implementação do Acordo de Paris, a Euroclima+, do qual o Brasil é signatário.

Leo Heileman, diretor regional da ONU Meio Ambiente na América Latina e Caribe, afirmou que incorporar a mobilidade elétrica “é crucial para que os países cumpram com seus compromissos climáticos registrados no Acordo de Paris, mas, além disso, nos ajudará a limpar o ar, reduzir as mortes causadas pela contaminação e oferecer cidades saudáveis a milhões de pessoas”. A afirmação do dirigente foi feita durante uma cúpula realizada na Cidade do Panamá para apresentar a parceria.

No evento, o ministro de Energia do Panamá, Víctor Urrutia, garantiu o envolvimento do país: “No Ministério de Energia, garantiremos que os usuários encontrem alternativas para se deslocar de maneira sustentável e incentivaremos a instalação de estações de recarga elétrica em pontos estratégicos do país”.

O encontro realizado na capital panamenha teve a participação de empresas estatais de transporte público, de organizações da sociedade civil e do setor privado, de distribuidoras de energia e de concessionárias de veículos elétricos.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: