Aeromóvel de Porto Alegre completa cinco anos de atividades

Foto: Divulgação

Nesse período o modal 100% brasileiro transportou quase 5 milhões de passageiros

ALEXANDRE PELEGI

Considerado um dos maiores investimentos em mobilidade urbana feitos em Porto Alegre, o Aeromóvel completou cinco anos nesta sexta-feira, dia 10 de agosto.

A linha, que liga a Estação Aeroporto da Trensurb ao Aeroporto Salgado Filho, foi inaugurada no ano de 2013, concebida como uma das obras para a Copa do Mundo de 2014.

Planejada para facilitar a transição dos passageiros aeroviários que usam o transporte público para se deslocar de trem pela região metropolitana da capital gaúcha, em cinco anos de funcionamento o Aeromóvel já foi utilizado por cerca de 5 milhões de pessoas.

Em declaração ao Diário de Canoas, o diretor da Aeromóvel Brasil, Marcus Coester, afirmou que o transporte já se incorporou à vida dos gaúchos. Para Coester, o transporte se comprovou nos últimos cinco anos como uma forma eficiente e segura de deslocamento até o Aeroporto Salgado Filho.

Nunca tivemos nenhum acidente nestes cinco anos. Isso demonstra a eficiência. Demonstramos na prática que, além de seguro, o Aeromóvel tem um baixo custo operacional“, disse Coester, lembrando que o aeromóvel é uma estrutura 100% brasileira.

PROJETO DE AEROMÓVEL PARA CANOAS ACABOU BARRADO

A cidade de Canoas, na grande Porto Alegre, chegou a assinar um contrato em 2015 pra implantação do sistema Aeromóvel Linha Guajuviras. Seria uma linha elevada de quatro quilômetros, ligando o bairro Guajuviras ao Trensurb.

A Caixa garantiu o financiamento para o projeto, no valor de R$ 272 milhões, e chegou a liberar R$ 64 milhões dessa verba.

Em 2018 a prefeitura de Canoas barrou por tempo indeterminado a implantação dos trens, tomando como base um ofício da Metroplan, que questionava a legalidade e a viabilidade do projeto.

A Metroplan, Fundação Estadual de Planejamento Metropolitano e Regional, é responsável pela elaboração e coordenação de planos, programas e projetos do desenvolvimento regional e urbano do Estado.

Em fevereiro de 2018, o ofício assinado pelo presidente da Metroplan, Pedro Bisch Neto, e pelo secretário de Obras do Estado, Fabiano Pereira, formalizou o “indeferimento da aprovação do projeto” em razão da “inadequação do modal aeromóvel” à realidade local. O projeto supostamente não seria apropriado para “transporte de grande massa de passageiros” e falta de “viabilidade tarifária”.

 

AEROMÓVEL DE CANOAS:

O projeto do aeromóvel de Canoas contempla três linhas em dois eixos e uma extensão.

“O Sistema Aeromóvel terá 18 km de linhas, com 26 estações e capacidade prevista para até 12 mil passageiros por hora no pico e de 82 mil por dia.” – diz a prefeitura.

Os eixos são os seguintes:

Leste-Oeste – ligará os bairros Mathias Velho e Guajuviras, integrada com o trensurb. Haverá 17 estações distribuídas em 12 km de extensão.

Norte-Centro – entre a Ulbra e o Centro da cidade, integrando com a linha Leste-Oeste na estação Farroupilha. Terá nove estações ao longo de seis km.

4 comentários em Aeromóvel de Porto Alegre completa cinco anos de atividades

  1. O apelo de “Maior investimento em mobilidade urbana em POA” da idéia de que os valores foram estratosfericos. A verdade é que foi praticamente o único com início e fim, no prazo.
    5 milhões de passageiros, nenhum acidente, nenhuma paralização, nenhum atraso e baixíssimo custo operacional. O que mais precisa para comprovar sua eficiência?
    Alguém tem dúvida que o projeto de Canoas está sendo boicotado pelo lobby das montadoras e Empresas que detém a concessão do transporte urbano na região?
    A “podridão ” do sistema transporte público no Brasil contaminou esse projeto.

    • Celso Pereira dos Santos // 12 de agosto de 2018 às 21:21 // Responder

      Claudio, a verdade sobre o aeromóvel:
      1- O custo operacional, mensal, para o aeromóvel funcionar na Trensurb é de R$ 400 mil sem retorno financeiro.
      2- É o modal com menor MKBF entre todos os modais existentes.
      3- Já houveram várias paralisações e atrasos nestes cinco anos.
      4- Não é um sistema automático, como prometido e precisa de um operador internamente ao veículo para que seja possível atuar em alguma ocorrência.

      Se quiseres te envio provas.

  2. Celso Pereira dos Santos // 12 de agosto de 2018 às 08:50 // Responder

    O sistema aeromóvel é uma gambiarra tecnológica e para confirmar esta afirmação, basta visitar este modal implantado na Trensurb e tirem suas conclusões.

  3. WILLIAM HOWARD HOSSELL // 13 de agosto de 2018 às 12:00 // Responder

    Em 2010 participei do projeto vencedor para implantação do sistema sobre trilhos Aeromovel no município de Nova Iguaçu na baixada fluminense, através do PAC II Médias Cidades. No total seriam 2 Linhas com 26 kms de extensão, com estações integradas à Supervia, ao Aeródromo, ao Arco Metropolitano e, podendo num futuro próximo conectar – se a estação do metrô da Pavuna através da Via Light.
    Convém ressaltar que os carros a serem utilizados em NI seriam completamente diferentes dos que são utilizados hoje em dia em Porto Alegre.
    Infelizmente houve um boicote por parte do TCE, impedindo sem justificativa que o projeto fosse adiante, e, além disso, o Aeromovel era conflitante com os interesses da Fetransport, leia – se Sérgio Cabral, Pezão, Barata e etc.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: