Produção de ônibus acumula alta de 45,2%, diz Anfavea em novo balanço

Ônibus recentemente encaroçado. Altas são explicadas por série de fatores. Foto: Andrews Fuscolin (Clique para Ampliar)

Segmentos de urbanos e rodoviários estão equilibrados, com percentuais semelhantes, mas urbanos registram maior volume

ADAMO BAZANI

Com a recuperação econômica e as eleições, a produção de ônibus continua neste ano registrando altas elevadas em comparação a 2017, quando já começou a ser esboçada uma reação.

De acordo com dados divulgados nesta segunda-feira, 06 de agosto de 2018, pela Anfavea – Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores, entre janeiro e julho deste ano, a produção de chassis de ônibus no Brasil cresceu 45,2% na comparação com o mesmo período do ano passado.

Ao todo, segundo a Anfavea, saíram nos sete primeiros meses deste ano, 17.791 chassis das linhas de montagem.

Entre janeiro e julho do ano passado, foram 12.249 unidades.

Houve um relativo equilíbrio entre os modelos urbanos e rodoviários em percentuais, mas em termos de volume, como tradicionalmente, os urbanos concentraram a maior parte da produção.

A alta acumulada de produção de rodoviários foi 40,2% entre janeiro e julho de 2018 na comparação com semelhante período de 2017. Foram 4.384 chassis neste ano ante 3.127 em 2017.
No caso dos rodoviários, além da recuperação econômica e da definição do mercado após a implantação do atual regime de concessão pela ANTT – Agência Nacional de Transportes, há a obrigatoriedade de elevadores para cadeiras de rodas no lugar das cadeiras de transbordo.

Os veículos com estes equipamentos ficam mais caros, o que fez com que, para se livrarem do preço maior, os empresários antecipassem as renovações.

Mais sensíveis ao período eleitoral, os ônibus urbanos registraram alta de 47% entre janeiro e julho de 2018 também comparando com semelhante período de 2017.

Saíram das linhas de montagem, 13.407 chassis. Nos sete primeiros meses do ano passado, foram 9.122 plataformas de ônibus.

LICENCIAMENTOS:

Já em relação a licenciamentos, a Anfavea aponta que entre janeiro e julho, a alta foi de 20,8%, com 7.414 unidades. No ano passado, foram licenciados, no mesmo período, 6.139 ônibus.

Em relação às marcas, a liderança continua sendo da Mercedes-Benz, com 4.010 unidades, seguida de MAN/Volkswagen.

Veja o ranking, de acordo com a Anafevea (entre janeiro e julho de 2018):

1º) Mercedes-Benz: 4.010 unidades, alta de 37,6%

2º) MAN/Volkswagen: 1.236 unidades, alta de 13%

3º) Agrale (inclui os miniônibus da Volare): 892 unidades, alta de 15,8%

4º) Iveco (inclui os miniônibus CityClass): 585 unidades, queda de 25,9%

5º) Scania: 389 unidades, alta de 34,6%

6º) Volvo: 206 unidades, alta de 14,4%

EXPORTAÇÕES:

As exportações de ônibus montados atingiram entre janeiro e julho deste ano, um volume de 5.230 unidades, o que representa alta de 7,9% em comparação a semelhante período do ano passado, quando foram embarcadas 4.847 unidades.

O desempenho de urbanos e rodoviários foi bem diferente no quesito exportação.

As vendas para o mercado externo de ônibus urbanos registraram alta de 17,2% com 3.573 veículos. Já as exportações de ônibus rodoviários montados somaram 1.657 unidades, queda de 7,9% em comparação com o período janeiro-julho de 2017.

As exportações de ônibus desmontados (em CKD) somaram de janeiro a julho de 2018, 2.136 unidades. Em semelhante período do ano passado, foram registradas 4.865 unidades.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: