Setor de fretamento do ABC Paulista prevê queda de até 40% em viagens de turismo nas férias de julho

Empresas afirmam que têm em média 30 viagens contratadas para o início do mês, quase metade realizada na mesma época do ano passado. Foto: Adamo Bazani (Diário do Transporte) – Clique para ampliar

Empresas afirmam que têm em média 30 viagens contratadas para o início do mês, quase metade realizada na mesma época de 2017

JESSICA MARQUES

As empresas de fretamento do ABC Paulista preveem uma queda de até 40% em viagens de turismo nas férias de julho deste ano. Conforme levantamento do SINFRET (Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros por Fretamento do Estado de São Paulo), que representa as empresas do setor na região, a comparação é feita com o mesmo período de 2017.

As empresas afirmam que têm em média 30 viagens contratadas para o início do mês, quase metade realizada na mesma época do ano passado. Entretanto, segundo o sindicato, “a maioria das empresas acredita que o número de contratações provavelmente vai ser maior até o fim de julho, pelo fato de muitos clientes fecharem viagens com pouca antecedência a data de partida. Ainda assim, a previsão é de que esses números não ultrapassem os do ano passado”.

Os principais destinos neste ano, segundo o sindicato, são Aparecida, Campos do Jordão e São Roque. Além disso, cidades fora do Estado de São Paulo como as mineiras Sapucaí Mirim e Capitólio e o Rio de Janeiro também estão entre os destinos mais procurados para os passeios neste mês de julho.

O sindicato atualmente atua em sete municípios da região do ABC (Diadema, Mauá, Ribeirão Pires, Rio Grande da Serra, Santo André, São Bernardo do Campo e São Caetano do Sul). A sede está localizada em São Bernardo do Campo.

O SINFRET é filiado à Fresp (Federação das Empresas de Transportes de Passageiros por Fretamento do Estado de São Paulo), que une os sindicatos regionais do setor no Estado.

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. marco aurelio viotto da silva disse:

    Adamo bom dia!! To vendo nesta foto onibus da empresa cati rose com a pintura da gracimar turismo, o que aconteceu com esta segunda empresa de turismo que tinha sede em taboao da serra e tinha muitos veiculos e fretamento em grandes industrias, vc sabe se ela fechou?

    1. Anderson Araújo disse:

      A gracimar estava (ou está) com processo de falência em aberto, tanto que muitos dos veículos que tinham foram vendidos em leilão. Este erá um dos que estavam em uso e, após a compra, só teve o nome apagado e escrito “Cati Rose” para ser colocado em uso…
      P.S.: Após a perda de “contratos grandes”, como Avon e Albert Einstein, seria difícil se “manter em pé” somente com excursões e serviços ocasionais…

Deixe uma resposta