Blitzes em Caxias do Sul apontam aumento no número de motoristas que dirigem embriagados

Foto: Blitz 'Balada Segura' em Caxias do Sul

A cada cem motoristas abordados, em média nove estão sob efeito de álcool

ALEXANDRE PELEGI

O que nos preocupa é que nem com uma legislação mais dura o motorista está deixando de beber e dirigir”. A frase, dita pelo Secretário municipal de Trânsito, Transportes e Mobilidade de Caxias do Sul, Cristiano de Abreu Soares, revela o grave problema do álcool no trânsito da cidade gaúcha. Em entrevista ao jornal Correio do Povo, o secretário relatou o aumento nos casos de motoristas embriagados no trânsito da cidade.

Com a intensificação das blitzes na cidade, a prefeitura de Caxias do Sul revelou dados preocupantes colhidos nas abordagens realizadas pelos agentes da Secretaria Municipal de Trânsito, Transportes e Mobilidade.

O número de condutores embriagados cresceu, graças ao aumento das ações de rua. Nove de cem motoristas parados nas blitzes estavam dirigindo sob efeito de álcool.

No primeiro semestre do ano passado, o índice de motoristas autuados sob efeito de álcool ou que se recusaram a fazer o teste de etilômetro foi de 8,2% – 322 casos de alcoolemia registrados em 3.884 abordagens.

No primeiro semestre de 2018 esse índice subiu para 9,6%: 478 condutores embriagados em 4.977 ações de fiscalização, média de dois motoristas flagrados sob efeito de álcool a cada dia nas ruas de Caxias do Sul.

O levantamento apresentado pela Secretaria, segundo o titular da pasta, demonstra o aumento no número de casos de motoristas dirigindo nas ruas da cidade após ingerir bebidas alcoólicas, fato que deveria soar como um alerta para os riscos que tais condutores apresentam para o trânsito local.

Cristiano de Abreu Soares apontou que as ações de fiscalização são essenciais para retirar das ruas motoristas que dirigem sob efeito de álcool, forma de evitar ou ao menos reduzir a ocorrência de acidentes de trânsito.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta