Grupo TRATON será o novo nome do conglomerado da MAN, Scania, Volkswagen Caminhões e Ônibus e RIO

Segundo CEO do Grupo Volkswagen Truck & Bus, mudança quer refletir independência do segmento de pesados.  Marcas serão mantidas

ADAMO BAZANI

O Grupo Volkswagen Truck & Bus, que reúne as marcas RIO, MAN, Scania e Volkswagen Caminhões e Ônibus vai mudar de nome no terceiro trimestre deste ano, passando a se chamar Grupo TRATON.

A revelação foi feita nesta quarta-feira, 20 de junho de 2018, pela Volkswagen.

Com a mudança, o Grupo Volkswagen Truck & Bus, que é uma subsidiária integral da Volkswagen AG, quer mostrar mais independência nas operações e reforçar a estratégia para liderança mundial no segmento de veículos pesados.

O Grupo Volkswagen Truck & Bus, futuramente Grupo Traton, diz que a mudança também faz parte da estratégia para continuar em direção à transformação da estrutura societária.

Em nota à imprensa especializada, como o Diário do Transporte, o grupo explica o que significa o nome, já com a devida tradução para o português. As palavras que foram a sigla em inglês são iniciadas da mesma forma que na língua portuguesa:

A TRATON reflete o DNA do Grupo: o que a empresa está buscando e como ela age. O nome pertence a uma empresa jovem, criada e nascida em uma nova era de transportes:

  • A TRAnsformação do transporte no ecossistema é a nossa missão – para o benefício de todos.
  • O TRAnsporte é a nossa paixão – e a dos nossos clientes, também.
  • TONelagem é o que os nossos clientes transportam ao redor do mundo, todos os dias.
  • A TRAdição das nossas fortes marcas é o que nos une.
  • Estar sempre “ON” é a principal meta dos nossos clientes, e é a forma como nós agimos para fazer com que tudo seja possível para eles.

Na mesma nota, o CEO do Grupo Volkswagen Truck & Bus e membro do Board da Volkswagen AG, Andreas Renschler, disse que a decisão não se limita a uma troca de nome, mas deve refletir a ligação da imagem do grupo a um novo momento do setor de transportes.

“O novo nome, TRATON, é um grande marco em nosso caminho para nos tornarmos Campeões Globais da indústria de transportes. Desde a nossa fundação, nós crescemos juntos mais rapidamente do que esperávamos. A TRATON nos oferece mais independência. Ela vai fortalecer ainda mais a identidade conjunta do nosso Grupo – bem como os aspectos que nos tornam únicos. Um novo nome também promoverá nossa visibilidade como o Grupo líder em soluções inovadoras em transportes. Isso vai nos deixar mais atraentes para novos talentos e para mercados de capitais”.

Para o Grupo, o setor de transportes passa por transformações. A demanda por deslocamentos de cargas e passageiros está com novas características e os prestadores de serviços de transportes, assim como seus clientes, têm cada vez mais se interessado por garantia, qualidade e questões relacionadas ao meio ambiente e sustentabilidade em geral.

“A TRATON combina a agilidade e o espírito de uma startup com a vasta experiência das marcas tradicionais. Com essa configuração única, o Grupo está perfeitamente posicionado para reinventar o transporte para as gerações futuras.” – diz a nota do grupo.

O presidente dos Conselhos Administrativos da Volkswagen AG e da Volkswagen Truck & Bus, Hans-Dieter Pötsch, disse que o grupo todo da Volkswagen entendeu de maneira positiva os planos ambiciosos da divisão de pesados.

“O Conselho Administrativo apoia integralmente os ambiciosos planos da Volkswagen Truck & Bus e do movimento do Grupo de buscar uma identidade inigualável. Isto vai fortalecer nosso negócio de caminhões em direção à transformação da estrutura societária”.

As marcas a RIO, que atua no negócio digital de transportes, como telemetria, a MAN, a Volkswagen Caminhões & Ônibus e a Scania, serão mantidas.

Em abril, a Volkswagen Truck & Bus anunciou que vai entrar de forma independente para o mercado de capitais com ações em bolsas de valores.

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2018/04/13/volkswagen-truck-bus-entrara-de-forma-independente-para-o-mercado-de-capitais-com-acoes-em-bolsas-de-valores/

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. Luiz Pegorin disse:

    Bom dia. Trabalhamos por 40 anos no comando do pós-venda de uma fabricante de caminhões pesados. Considero que o modo existente de estar sempre junto dos clientes prestando serviços após a venda, é ultrapassado gerando relacionamentos inadequados entre ambos. A atualidade requer um profissionalismo independente. Simplificando o relacionamento. Aos fabricantes cabe: produzir os veículos e os componentes diversos. As aplicações e serviços será o desejo dos clientes, este demanda contratos e opiniões pessoais dos clientes quando da compra.

Deixe uma resposta para Luiz Pegorin Cancelar resposta