Após visita à Turim, prefeito de Santo André diz que gestão centralizada da mobilidade pode melhorar serviços no ABC

Em Turim, qualidade dos ônibus também chamou a atenção – Clique na foto para ampliar

Consórcio do ABC esteve na cidade italiana que faz parte de uma autoridade unificada de transportes

ADAMO BAZANI

Uma autoridade que centralize decisões e políticas públicas para deixar mais eficientes os transportes dos cidadãos, integrando diversas cidades dependentes entre si.

O que ainda não existe na prática em nenhum lugar do Brasil, é comum em vários países e impressiona os brasileiros.

Terminou no final da semana passada a segunda etapa da cooperação internacional para a mobilidade entre a cidade de Turim, na Itália, e o Consórcio Intermunicipal do ABC, na Grande São Paulo.

Uma delegação formada por membros do consórcio de prefeitos do ABC conheceu de perto como funciona a gestão dos transportes em Turim, que faz parte da região de Piemonte, que congrega as províncias de Alessandria, Asti, Biella, Cuneo, Novara, Turim, Verbano-Cusio-Ossola e Vercelli.

Por lá, um único bilhete serve para ônibus, trens, metrô e até mesmo para aluguel de bicicletas e carros compartilhados pequenos de dois lugares. O pagamento é por período de uso, independentemente do meio de transporte.

A realidade é bem diferente do que ocorre com as regiões metropolitanas brasileiras, onde há pouca integração entre os diferentes meios de transporte.

Por meio de nota, o prefeito de Santo André e vice-presidente do Consórcio Intermunicipal, Paulo Serra, disse ao final da visita que diante das experiências verificadas em Turim, a centralização regional da gestão de mobilidade parece ser o caminho mais indicado para melhorar os transportes.

“O formato de centralização dos assuntos de interesse comum e políticas públicas para a discussão unificada parece o mais adequado para garantir a sustentabilidade do sistema de Mobilidade e a eficiência na prestação de serviços” – disse Paulo Serra.

Paulo Serra, prefeito de Santo André (ao centro, de gravata azul) e membros do Consórcio de prefeitos da ABC.

Segundo o prefeito de Santo André, agora o relatório com as principais impressões extraídas do sistema integrado de Piemonte será debatido entre os prefeitos do ABC, menos como Lauro Michels, de Diadema, que não integra mais o Consórcio.

Também nas próximas semanas, serão realizadas reuniões de trabalho por meio de videoconferência entre as equipes técnicas do ABC e de Turim, com a participação do coordenador do IUC, Stefan Unseld, segundo a nota do Consórcio Intermunicipal do ABC.

Em 27 de fevereiro de 2018, o Diário do Transporte acompanhou a visita da delegação de Turim à região.

Os italianos gostaram de um dos ônibus elétricos da empresa Metra e do corredor ABD, mas se impressionaram negativamente com o Terminal Santo André Oeste e, em especial, com a falta de uma bilhetagem eletrônica integrada.

Atualmente, cada cidade tem seu bilhete de ônibus municipal, há o Cartão BOM para os ônibus intermunicipais, Metra, Metrô e CPTM; o passe de papel da Metra, os passes de papel do Metrô e da CPTM e o Bilhete Único, que serve para Metrô, CPTM e ônibus municipais da capital paulista, gerenciados pela SPTrans.

Essa cesta de bilhetes e passes assustou os italianos que com um único cartão podem pagar ônibus, Metrô, trem, VLT, aluguel de bicicleta e até de carros de pequeno porte.

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2018/02/27/delegacao-internacional-gosta-de-onibus-eletrico-mas-critica-falta-de-integracao-nos-transportes-metropolitanos-da-grande-sao-paulo/

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta