Trabalhadores da Mercedes-Benz recusam proposta da empresa e greve vai para quinto dia

Trabalhadores rejeitam proposta feita pela empresa. Foto: Edu Guimarães / SMABC

Assembleia foi realizada na manhã desta sexta-feira para definir rumo da paralisação

JESSICA SILVA PARA O DIÁRIO DO TRANSPORTE

Em assembleia na manhã desta sexta-feira, 18 de maio de 2018, os trabalhadores da Mercedes-Benz decidiram continuar a greve, que hoje está no quinto dia. A proposta apresentada pela empresa na mesa de negociação foi recusada pelos metalúrgicos.

“A proposta negociada pelo Sindicato dos Metalúrgicos do ABC previa a reposição salarial pelo INPC na data-base (maio) mais abono de R$ 2,5 mil, PLR (Participação nos Lucros e Resultados) paga em duas parcelas (65% em junho e o restante em dezembro), renovação das cláusulas sociais – com a inclusão da cláusula de salvaguarda da reforma trabalhista – e estabilidade até maio de 2019” — informou o sindicato.

Os trabalhadores reivindicam que o cálculo da PLR (Participação nos Lucros e Resultados) inclua a exportação de itens agregados, como motores, eixos e câmbios.

A proposta apresentada pela Mercedes foi rejeitada ainda na mesa de negociação. Segundo o sindicato, “foi retirado o teto salarial de R$ 10 mil para aplicação integral do INPC e a redução da jornada e salário dos mensalistas (administrativo). Houve aumento também no valor do abono, que a princípio era de R$ 500, e um ajuste na PLR, incluindo no cálculo a exportação de alguns itens agregados”.

Segundo o diretor administrativo do Sindicato, Moisés Selerges, a rejeição da proposta teve relação com o “longo período em que os metalúrgicos tiveram de abrir mão de reajustes por causa da crise”.

A greve teve início nesta segunda-feira, 14 de maio de 2018. Relembre: Funcionários da Mercedes-Benz entram em greve, em São Bernardo do Campo

Anteriormente, haviam sido apresentadas duas propostas pela empresa. Contudo, nenhuma delas agradou aos trabalhadores.

De acordo com informações do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, em negociações anteriores, a Mercedes havia proposto não oferecer reajuste, mas um abono de R$ 3.350. Contudo, a empresa recuou da decisão.

A Mercedes-Benz produz caminhões, chassis de ônibus, cabinas e agregados. A planta de São Bernardo do Campo, no ABC Paulista, tem aproximadamente 8 mil funcionários.

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta