Metrocard inaugura sede em Curitiba e apresenta novo Centro de Controle Operacional (CCO)

Associação quer aumentar a eficiência no atendimento aos usuários do sistema de transporte metropolitano

ALEXANDRE PELEGI

Nesta quinta-feira, dia 26 de abril, a Metrocard – associação que congrega as empresas de transporte público que atendem as cidades da Região Metropolitana de Curitiba (RMC) – inaugurou oficialmente a sua nova sede.

A proposta do novo espaço é aprimorar e ampliar o atendimento aos usuários do sistema de transporte metropolitano.

A cerimônia foi prestigiada por autoridades e empresários metropolitanos e urbanos, e teve como ponto alto a apresentação do novo Centro de Controle Operacional (CCO). O CCO, implementada pela Transdata Smart, permite um melhor aproveitamento e gerenciamento das informações coletadas, disponibilizadas pelo sistema de rastreamento e gestão de frota.

A Metrocard conta atualmente com 18 empresas que operam em 19 cidades da RMC, e gerencia um sistema formado por 323 linhas, por onde circulam 953 ônibus rastreados em sua totalidade por GPS e cerca de 273 mil passageiros por dia.

A nova sede está localizada no Centro de Curitiba, na Rua Tibagi, 366, estrategicamente posicionada próxima ao Terminal Guadalupe, que recebe diariamente um grande fluxo de ônibus metropolitanos.

Instalada em uma área total de 493m², conta com guichês tradicio­nais – com espaço de aten­dimento prioritário a ido­sos e pessoas com deficiên­cia –, e dois totens de autoatendimento direcionados tanto aos usuários de ônibus da RMC quanto do cartão Acesso Metrocard MasterCard. Com desempenho similar ao de um caixa automático de banco, não requerem atendimento pessoal, dando mais autonomia e agilidade para quem precisa recarregar seu cartão.

A partir de meados de maio, o atendimento em Curitiba será feito ex­clusivamente na nova sede.

metrocard_Jackson Mendes_02SOLENIDADE:

Um dos participantes da solenidade, Paulo Tavares, diretor presidente da Transdata Smart, parabenizou a Metrocard: “É um orgulho participar de um projeto tão ousado, que mescla sofisticação com modernidade, sem perder o conforto e a sensação de aconchego das novas instalações”.

Gilberto Vardanega, diretor comercial da Volvo Bus, foi outro que prestigiou o evento: “Buscamos sempre alternativas e inovações tecnológicas para aumentar a atratividade do transporte público. Também, meios de melhorar a rentabilidade para que o sistema seja sustentável, e isso só é obtido com a aplicação de tecnologia”.

Já o diretor de Transportes da Coordenação da Região Metropolitana de Curitiba (COMEC), Marcos Teodoro Sheremeta, ressaltou a importância da parceria com os operadores de transporte: “A COMEC luta diariamente no sentido de dar ao passageiro comodidade, e para isso é fundamental contar com parceiros comprometidos para atender a comunidade, caso da Metrocard”.

Neco Prado, secretário executivo da Associação dos Municípios da Região Metropolitana de Curitiba (ASSOMEC), saudou a iniciativa da Metrocard: “É importante discutirmos sobre a ampliação futura de novas linhas, de forma a atender a um número ainda maior de usuários da Região Metropolitana de Curitiba”.

Em sua fala, o presidente da Metrocard, Lessandro Zem, fez um breve balanço da história da associação. Rememorou como, em 2008, a entidade começou suas atividades com apenas 300 ônibus e em meio a um cenário de crise entre os órgãos de controle do transporte público coletivo. E lembrou:“Em 2015, junto com a COMEC, desenvolvemos um novo escopo para o sistema de transporte metropolitano, que tem como grande protagonista um cartão único, que passou a seu usado em todas as 19 cidades da RMC, facilitando a rotina dos usuários e o controle por partes das empresas operadoras”, lembrou.

Zem citou ainda os benefícios estendidos aos usuários, como a biometria facial, o rastreamento da frota, os cartões multiuso, a disponibilização de rede wi-fi e acesso gratuito à internet nos terminais de ônibus metropolitanos, o aplicativo Metrocard e os totens de autoatendimento, que concedem maior agilidade na aquisição de créditos.

É verdade que enfrentamos enormes desafios, como a queda constante do número de passageiros transportados, a discussão das tarifas públicas embasadas em um caráter político, e não técnico; e a falta de subsídios necessários para fazer frente aos altos custos do transporte coletivo. No entanto, temos hoje aqui a prova de que, mesmo com todos esses problemas, podemos avançar, vencer os obstáculos e fazer melhor, sempre com foco na coletividade e na sociedade. Que esta nova sede seja sinônimo de um profícuo trabalho em prol do desenvolvimento do sistema de transporte metropolitano como um todo”, concluiu Lessandro Zem.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta