Justiça aponta empresário de ônibus do Mato Grosso como líder de fraude em licitação

Operação Rota Final prendeu quatro suspeitos por fraudes nas concessões do sistema intermunicipal de transporte do estado

Operação Rota Final prendeu quatro suspeitos por fraudes nas concessões do sistema intermunicipal de transporte do estado

JESSICA SILVA PARA O DIÁRIO DO TRANSPORTE

O desembargador Guiomar Teodoro Borges apontou o empresário Eder Augusto Pinheiro, da Verde Transportes, como líder de um esquema fraudulento em Mato Grosso. A Operação Rota Final prendeu quatro suspeitos por fraudes nas concessões do sistema intermunicipal de transporte do estado, por meio da Defaz (Delegacia Especializada de Combate aos Crimes Fazendários).

Segundo a decisão do magistrado, que determinou a prisão temporária do empresário e dos outros três suspeitos, Pinheiro teria liderado a empreitada criminosa. A prisão foi determinada por cinco dias na quarta-feira, 25 de abril, com possibilidade de prorrogação do prazo.

Segundo informações do portal MidiaNews, o desembargador informou, por meio da decisão, que as interceptações telefônicas autorizadas mostraram que o grupo tentou impedir a licitação dos transportes do estado.

“O que se nota, inclusive, com a participação da mais alta cúpula do Estado, tudo para manter os contratos precários e, por sua vez, o comando do grupo tido por criminoso na exploração do sistema de transporte coletivo intermunicipal”.

Veja trecho da decisão:

Eder Augusto.jpg

Conforme informações do Ministério Público Estadual, os suspeitos fizeram “perseguição” à empresa Novo Horizonte, que venceu uma licitação para administrar 12 linhas de transporte no interior.

Para a ação, o grupo teria tido ajuda do presidente da Ager na época, Eduardo Moura, e do diretor regulador de Transportes e Rodovias da Autarquia, Luis Arnaldo Faria de Mello.

HISTÓRICO

Uma operação da Defaz (Delegacia Especializada de Combate aos Crimes Fazendários) resultou em quatro prisões no Mato Grosso nesta quarta-feira, 25 de abril de 2018. A ação é contra fraudes nas concessões do sistema intermunicipal de transporte do estado.

De acordo com informações do portal MidiaNews, foram nove ordens judiciais cumpridas e quatro mandados de prisão. Um dos presos foi o empresário e presidente do Sindicato das Empresas do Transporte Rodoviário Julio Cesar Sales Lima.

A sede da Ager (Agência Estadual de Serviços Públicos) foi um dos alvos da operação, assim como o ex-presidente da agência, Eduardo Moura. As empresas Viação Xavante e Verde Transportes também estão sendo investigadas.

O diretor financeiro da Verde Transportes, Max William de Barros Lima, também estaria entre os investigados, conforme informações do MidiaNews. O portal tentou contato com o sindicato, que não quis falar sobre o assunto. A operação está sob segredo de Justiça.

É possível que a investigação seja fruto de um dos trechos da delação de Silval Barbosa, ex-governador, que citou um esquema para prorrogar a concessão dos serviços de transportes intermunicipais. A moeda de troca seria uma propina no valor de R$ 6 milhões, paga em 60 meses.

Segundo Barbosa, teria sido feito um adiantamento de R$ 400 mil, pelo presidente da Verde, Eder Augusto Pinheiro. O empresário foi conduzido para prestar depoimento na Defaz, na manhã desta quarta-feira.

O caso teria sido arquitetado, segundo Silval, pelo ex-procurador Francisco Gomes de Andrade Lima Filho. Os empresários do setor sofriam a pressão de um Termo de Ajustamento de Conduta firmado entre o Ministério Público e o Estado em 2012, de acordo com informações da Folhamax.

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta