Linha 15 do monotrilho terá operador privado até setembro, diz Pelissioni

Novas estações São Lucas, Camilo Haddad, Vila Tolstói e Vila União entregues nesta sexta.

Durante inauguração de quatro estações do sistema, secretário também disse que primeiro monotrilho da linha 17-Ouro deve chegar ainda neste ano

REPORTAGEM: ADAMO BAZANI

REDAÇÃO: JESSICA SILVA

O governo do Estado de São Paulo deve realizar visitas a fabricantes e operadores metroferroviários no exterior para oferecer o monotrilho da linha 15 a investidores internacionais.

Segundo o Secretário de Transportes Metropolitanos, Clodoaldo Pelissioni, a próxima parada deve ser a China, onde se encontra parte dos maiores fabricantes do setor metroferroviário. A visita ao gigante asiático deve ocorrer no próximo mês, segundo o secretário. A autorização para o edital de concessão da Linha 15-Prata do Metrô foi publicada no último dia 16 de março, e o leilão deve ocorrer em 26 de junho de 2018.

Nesta sexta-feira, 6 de abril de 2018, o secretário e o governador Geraldo Alckmin, em seu último dia à frente do Executivo Paulista, entregaram quatro estações da Linha 15-Prata: São Lucas, Camilo Haddad, Vila Tolstói e Vila União. O novo trecho possui 5,5 km de extensão.

Estação Camilo Haddad

As estações ficarão abertas de segunda a sexta-feira, das 10h às 15h, em operação assistida, sem cobrança de tarifa. O passageiro poderá seguir viagem até a Estação Oratório, onde será direcionado a embarcar para a área paga, caso queira seguir até a Vila Prudente.

Com as entregas, a linha 15 passa a ter 7,8 km de extensão, ligando a Vila União à Vila Prudente, estação que faz integração com a linha 2-Verde do Metrô.

A promessa do Governo do Estado é inaugurar as estações que restam até o final de junho deste ano. Quando estiver em plena operação, segundo Clodoaldo Pelissioni o trecho será servido por 27 trens de monotrilho, sendo que o trajeto entre São Mateus e Vila Prudente deve ser feito em aproximadamente 25 minutos.

Quanto à estação do Iguatemi Jardim Colonial, esta terá suas obras licitadas até junho e a expectativa é que ela esteja construída até 2021.

O secretário também declarou que, ainda neste ano, a empresa Scomi, da Malásia, deve entregar a primeira composição da Linha 17-Ouro de Monotrilho, prevista para ligar a estação Morumbi, da Linha 9-Esmeralda, à região do aeroporto de Congonhas. A Linha 17 foi concedida à iniciativa privada juntamente com a Linha 5-Lilás.

CUSTOS DA OBRA

Com a entrega, a rede do Metrô fica com um total de 89,7 km de extensão e 79 estações. Segundo o Secretário de Transportes Metropolitanos do Estado de São Paulo, Clodoaldo Pelissioni, o BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) possibilitou um financiamento total de R$ 1,7 bilhões para o Governo do Estado.

A implantação da linha custou R$ 5,2 bilhões aos cofres públicos, incluindo 15,3 km de vias e 11 estações, que vão da Vila Prudente à Jardim Colonial. As obras também incluem o Pátio de Manutenção Oratório, a compra de 27 trens, sistemas elétricos, de sinalização e controle.

Na Vila Prudente, também foram instalados três novos terminais de ônibus, incluídos no orçamento total destinado às obras.

Na ocasião, Pelissioni fez um balanço de entregas para a área de mobilidade urbana ao longo do último mandato do governo.

“Em três anos e três meses já pagamos R$ 14,5 milhões em investimentos em mobilidade urbana na Grande São Paulo e nas Regiões Metropolitanas. Estamos completando hoje 11 novas estações de metrô entregues, três novas estações da CPTM, seis estações modernizadas novas da CPTM, Poá, Ferraz de Vasconcelos, Suzano, Quitaúna, Jardim Silveira e hoje estamos entregando Jardim Belval, em Barueri. Mais 15 estações do VLT em Santos e São Vicente. Corredores de ônibus na região de Campinas, região Oeste, em Guarulhos. Hoje estamos entregando o 37º novo trem da CPTM. Até o final do ano serão mais 28 novos trens. Todos os trens do Metrô, os 98 trens antigos, foram modernizados. Até o final do ano, não terá trem do Metrô sem ar-condicionado, novo motor e todas as modernizações que um trem novo tem” – disse o secretário.

De acordo com Pelissioni, até dezembro de 2018 serão feitas novas inaugurações. “Ainda deixaremos para entrega até o final do ano mais dez estações de Metrô. Quatro aqui na linha 15-Prata, mais 5 na linha 5-lilás e mais Morumbi-São Paulo na linha 4. Portanto, nessa gestão completaremos 24 novas estações de Metrô e CPTM” – afirmou.

As novas estações estão elevadas a aproximadamente 16 metros de altura, no canteiro central da Avenida Professor Luiz Ignácio de Anhaia Mello. Ao todo, são três pavimentos, o acesso, o mezanino e as plataformas, que têm 90 metros de comprimento e 9,9 metros de largura.

As estações também já contam com um sistema de portas automáticas, escadas rolantes, elevadores, escadas fixas e banheiros.

DETALHES TÉCNICOS DAS ESTAÇÕES

No evento de inauguração das estações, o Governo do Estado informou os detalhes técnicos de cada estação inaugurada nesta sexta-feira.

A estação São Lucas tem acesso nos dois lados da Avenida Anhaia Mello, no número 5.345, com passarela interligando os acessos. Ao todo, são 6,3 metros mil metros quadrados de área construída, duas bilheterias blindadas, sete escadas rolantes, três fixas e três elevadores. A previsão é de que 9 mil passageiros passem pelo local diariamente.

Na estação Camilo Haddad, também foram construídos acessos nos dois lados da Avenida Anhaia Mello, no número 6.620. A estação conta com a mesma estrutura da anterior e tem como previsão uma demanda de 7 mil passageiros por dia.

Um pouco maior, a estação Vila Tolstói conta com 7,5 mil metros quadrados de área construída e acesso nos dois lados da Avenida Anhaia Mello, no número 7.712. A estrutura também segue o mesmo padrão e a expectativa é de que a estação receba 9 mil passageiros diariamente.

Por fim, a estação Vila União também possui dois acessos na Avenida Anhaia Mello, na altura do número 9.109. A estrutura e o tamanho seguem o padrão das estações São Lucas e Camilo Haddad, mas a previsão de demanda é muito maior: 13 mil passageiros por dia.

Reportagem: Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Redação: Jessica Silva

1 Trackback / Pingback

  1. Operação da Linha 15-Prata está parcialmente suspensa em São Paulo – Diário do Transporte

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: