Aplicativo SPTaxi, lançado nesta segunda-feira, oferece descontos de até 40% aos passageiros

Aplicativo SPTaxi foi lançado nesta segunda-feira, 2 de abril de 2018, pela Prefeitura de São Paulo

Sistema tem como objetivo proporcionar maior competitividade aos taxistas da cidade de São Paulo

JESSICA SILVA PARA O DIÁRIO DO TRANSPORTE

O aplicativo SPTaxi foi lançado nesta segunda-feira, 2 de abril de 2018, pela Prefeitura de São Paulo. Com a novidade, os passageiros que optarem pelo táxi como meio de transporte poderão ter descontos que variam de 10% a 40%, conforme disponibilidade, demanda local e horário da corrida.

O objetivo do sistema é incentivar a competitividade do taxista com motoristas de aplicativos, como Uber, Cabify e 99. O aplicativo é uma iniciativa das secretarias municipais de Mobilidade e Transportes (SMT) e de Inovação e Tecnologia (SMIT).

Segundo informações da Prefeitura, a princípio não haverá cobrança de taxa de adesão para o taxista. Além disso, quanto mais desconto o motorista do táxi oferecer, maior será a chance de fazer corridas.

“O passageiro, no momento da chamada, poderá escolher a faixa de desconto de sua preferência. Os veículos cadastrados no SPTaxi serão agrupados conforme o desconto escolhido pelo taxista. Exemplo: se o passageiro quiser um desconto de 20%, ele selecionará essa opção no aplicativo, e os motoristas que tiverem ativado esse desconto visualizarão o pedido deste cliente. Esse é um diferencial competitivo relevante do SPTaxi, que dá liberdade ao taxista de decidir o desconto, assim como a bandeira a ser praticada” – informou a Prefeitura de São Paulo, em nota.

Os passageiros que optarem pelo uso do SPTaxi também poderão visualizar os veículos mais próximo, estimar o valor a pagar e avaliar o taxista no fim da viagem. A princípio, o pagamento poderá ser feito em dinheiro, com cartões de crédito ou débito, direto ao motorista. Ainda não está disponível a função de pagar diretamente pelo aplicativo, como em outros sistemas de transporte privado disponíveis na capital paulista.

“Além disso, terão a segurança de utilizar táxis com motoristas previamente identificados e cadastrados e veículos que passam por vistorias da Prefeitura de São Paulo. Contarão ainda com mais agilidade nas corridas, uma vez que os táxis podem fazer uso dos corredores de ônibus e faixas especiais” – destacou a Prefeitura de São Paulo.

A administração municipal também vai premiar os taxistas com as melhores avaliações. A princípio, um dos prêmios destacados é que os motoristas terão prioridade em bolsões de táxi de grandes eventos.

TRÂNSITO

A Prefeitura de São Paulo informou que terá a geolocalização de todos os táxis em operação cadastrados no aplicativo. “Isso gera uma série de possibilidades, como medir o trânsito e ainda contar com os próprios motoristas para informar problemas encontrados nos trajetos, como buracos, lixo ou falta de sinalização. Também será possível conhecer melhor o serviço de táxi na capital e analisar a distribuição dos carros por região da cidade, por dia da semana e horário”.

A Prodam, empresa de tecnologia da informação da Prefeitura de São Paulo, responderá pela garantia de acesso rápido de taxistas e população ao aplicativo. A empresa também será responsável por fazer a tabulação dos dados repassados ao Departamento de Transportes Públicos da Secretaria Municipal de Mobilidade e Transportes.

“Os dados privados de cidadãos e taxistas estão assegurados por rigoroso processo de segurança da informação que já permeia todos os demais procedimentos da administração municipal” – garantiu a Prefeitura, em nota.

Por meio do aplicativo, será possível reunir diversas informações, como o número de taxistas cadastrados, chamadas por bairro, tempo médio de espera, velocidade, quilometragem, duração das viagens e outros detalhes.

 “Estamos trabalhando com tecnologia de ponta para que o aplicativo seja mais ágil e eficaz, inclusive em horários de pico e locais mais afastados da cidade. Uma das metas é que as informações recebidas otimizem o sistema de transporte, o controle das condições de trânsito e até a zeladoria da cidade pela administração municipal” – disse o secretário municipal de Inovação e Tecnologia, Daniel Annenberg.

COMO USAR O APLICATIVO

Os usuários e taxistas interessados em adotar o SPTaxi deverão utilizar smartphones com sistema Android 5.0 (no mínimo) e estar conectados à internet para o download (a partir da Play Store) e a utilização do aplicativo. A versão para sistema IOS deve estar pronta em poucos dias. O site https://sptaxi.prefeitura.sp.gov.br estará disponível para cadastro prévio de taxistas e eliminação de dúvidas de motoristas e clientes.

HISTÓRICO

O SPTaxi é uma tecnologia semelhante a um projeto já existente no Rio de Janeiro, que permite os passageiros solicitarem viagens por meio do smartphone. O objetivo é melhorar o acesso aos táxis e a remuneração dos taxistas.

Com o aplicativo, os taxistas terão concorrência direta com as outras plataformas de transporte existentes no mercado, como, por exemplo, Uber, 99 e Cabify. A tecnologia permitirá pagamentos em dinheiro, cartões de crédito e de débito.

“O Táxi SP oferece ao usuário a garantia que o taxista está cadastrado no sistema da Prefeitura, oferecendo mais segurança. Além disso, o aplicativo permite um controle maior da qualidade do serviço, segurança quanto aos valores cobrados, evitando abusos, e a previsão do preço da corrida antes do início da viagem”  disse o secretário municipal de Mobilidade e Transportes, Sérgio Avelleda, quando o projeto foi apresentado.

A Prefeitura de São Paulo terá a geolocalização de todos os táxis em operação, cadastrados no aplicativo. Com isso, o aplicativo terá a função de gerar dados para a administração municipal obter informações sobre o serviço de táxi na capital.

“Será possível analisar a distribuição dos carros por região da cidade, por dia da semana e por horário. Os taxistas também poderão contribuir com a gestão da cidade, informando, por meio do aplicativo, os problemas encontrados pelo trajeto, como buracos, lixo, etc”  informou a Prefeitura, em nota.

Aplicativo é inspirado no Táxi.Rio

O desenvolvimento do SP Táxi é inspirado na tecnologia do aplicativo Táxi.Rio, um projeto piloto criado em junho de 2017 no Rio de Janeiro. Em 11 de outubro de 2017, João Doria e o prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella assinaram um termo de cooperação para a criação da tecnologia.

A expectativa da Prefeitura de São Paulo é que os taxistas possam oferecer corridas a preços menores do que os já praticados, para atrair passageiros e possibilitar a concorrência com outros aplicativos.

Veja mais detalhes sobre a parceria em Taxistas de São Paulo terão aplicativo para concorrer com Uber, reportagem publicada pelo Diário do Transporte.

Leia também: Doria lança aplicativo da Prefeitura para taxistas em abril

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. Raphael disse:

    A funcionalidade desse aplicativo só poderemos tirar conclusão quando vermos funcionando após um tempo, mas no caso dos taxistas, também deve desburocratizar essa categoria. Que tal promover algum benefício aos taxistas em descontos com em licenças da prefeitura de acordo com o número de viagens e avaliação de qualidade pelo aplicativo, isenção de taxas e impostos (Como o Simples Nacional). Tira toda essa burocracia e torne o taxi mais competitivo com Uber. Não adianta chorar nem espernear, porque o mundo é movido por mudanças e quem não a acompanha fica para trás até ser extinto – lamentavelmente o poder público não entendeu isso ainda. Aliás, falando em extinção, que tal acabar com a tal bandeira 2? Taxistas não teriam mais clientes sem esse “atraso de vida”? Não basta só criar aplicativo, é necessário remover os obstáculos que obstruem o caminho dos taxista para que possam correr lado a lado com Uber, Carbify e 99, a um preço justo e competitivo no mercado. Ganha os taxistas com a chance de se renovar o conceito do serviço de taxi comum e da categoria se manter viva e o passageiro, com mais uma alternativa de transporte. Mas sabe como é né… o poder público (que pouco faz pelo cidadão), não quer perder a sua boquinha… triste mas é a realidade.

Deixe uma resposta