Primeira viagem da Buser SP-BH tem ônibus parado pela ANTT

O ônibus da Buser com destino a BH, no momento do embarque dos passageiros

A Agência Nacional de Transportes Terrestres e a Polícia impediram a viagem tão logo o ônibus deixou o estacionamento ao lado do Terminal Rodoviário Tietê

ADAMO BAZANI E ALEXANDRE PELEGI

A Buser deu início hoje às suas primeiras viagens intermunicipais no Estado de São Paulo. Mas a primeira rota interestadual, com destino a Belo Horizonte, não pode prosseguir.

O ônibus com 14 passageiros, que deixou o estacionamento próximo ao Terminal Rodoviário Tietê, na Zona Norte da capital paulista, foi parado nas imediações do local, na Rua Voluntários da Pátria. A ANTT – Agência Nacional de Transportes Terrestres e a Polícia Militar proibiram o ônibus de seguir viagem.

Segundo um dos fundadores da Buser, Marcelo Abritta, nem a ANTT e a PM deixaram claro o motivo do bloqueio, já que, ainda de acordo com Abritta, não havia nenhuma decisão judicial impedindo a viagem.

O responsável pela Buser ainda mostrou um documento que seria a autorização da viagem pela ANTT

A Buser tem enfrentado dificuldades no estado de Minas Gerais para obter a liberação das viagens pela ANTT – Agência Nacional de Transportes Terrestres. No dia 2 de março duas rotas, previstas para Ipatinga e Uberlândia, em Minas Gerais, foram impedidas de prosseguir. A suspensão dos trajetos ocorreu por meio de uma liminar do Sindpas-MG (Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros de Minas Gerais).

Adamo Bazani e Alexandre Pelegi, jornalistas especializados em transportes

25 comentários em Primeira viagem da Buser SP-BH tem ônibus parado pela ANTT

  1. E um absurdo, o cartel das empresas grandes mandam na ANTT, hoje a Cometa fez um Turismo para Poços de Caldas com a empresa de Campinas KaKa & Andreia Excursões, ou seja as empresa de linha regular deveriam ser proibidas de praticarem fretamentos turísticos já que as empresas de turismo são proibidas de realizarem fretamentos para empresas como a Buser ou empresas semelhantes, nem vou falar em realizar linhas regulares. Acho que se a lei é pra ser seguida que seja igual para todos, e não ser benéfica apenas para as grandes empresas.

  2. Tem que proibir mesmo !!!!

    • Qualquer empresa de turismo pode se cadastrar para operar linha e vice-versa, bastando comprovar capacidade técnica e cumprir os requisitos. Não é exclusividade da Cometa…

    • Oscar Laurentino. // 11 de março de 2018 às 21:54 // Responder

      Boa noite sou responsável pela kaka & Andrea excursões não somos de campinas somos de franco da rocha e agente trabalha diretamente com a opção turismo seja é da cometa trabalhamos tbm com a viação CMW mais as nossas viagens são turística temos data de ida e de volta com lista de passageiros como pedi qualquer empresa cadastrada pela ANTT certo agora para quem faz viagens com passagem vendidas só de ida e não tenha nenhum cadastro ou seja um documento provando que pode fazer esse tipo de viagens eu não sei oque a ANTT pensa

      Então quero deixa bem claro nossas viagens são turística não estou aqui para projidicar ninguém só trabalho correto.
      Oscar.

  3. Qual a diferença deles para os clandestinos?

    • Ele não é clandestino. Tem um imagem da licença fornecida pela ANTT, com onibus liberado, trajeto e motoristas todos legalizados. Basta ver a imagem da licença.

      • O que eles fazem é disponibilizar um aplicativo que permite que várias pessoas que desejam ir para determinado lugar se juntem para fretar um ônibus. Usam veículos fretados de empresas legalmente constituídas e com registros em dia.

  4. Pelo documento mostrado, ta normal com partida e chegada, a não ser qua a empresa não tenha ANTT.

    • A diferença é que contratam empresas legalizadas de fretamento, funciona pelo que sei como fretamento, pois o ônibus é alugado para um trajeto ida e volta, mas as passagens são vendidas separadamente, o que as empresas alegam é que isso o tornam um rodoviário velado.

      • A empresa CMW tem ANTT, o documento acima é a autorização da viagem, ou seja tudo legalizado, não entendo o porque da proibição da viagem.

  5. João Luis Garcia // 10 de março de 2018 às 10:20 // Responder

    Engraçado não ?
    Afinal essa tal Buser não afirmava ter todos os requisitos legais para operar ?
    Porque foi impedida de realizar a viagem pelos fiscais da ANTT ?
    Exatamente essa é a questão, qual a diferença deles para os clandestinos ?

  6. Transporte clandestino! Tem que parar mesmo

  7. Marcos Cardoso, antes de acusar alguém, estude um pouco e busque conhecimento.
    Fretamento no qual os passageiros vão e não voltam, não é fretamento, é linha.
    Se estão preocupados em baixar o preço da passagem, porquê não vão protestar nas ruas pedindo a isenção do icms para o transporte e seus insumos, como o diesel?
    Sabia que companhia aérea não paga icms?
    Reclama sobre isso. Não sobre querer legalizar uma operação clandestina e danosa ao sistema que tem um índice de aprovação na casa dos 90% e é mundialmente reconhecido pela qualidade e baixo preço.

  8. Esse negocio de buser e só pra camuflar clandestino…. tem que prender tudo mesmo !!!

  9. Não entendo porque a viagem nao pode ser concluída, pois a empresa estava com sua documentação tudo em dia de acordo com os órgãos competentes.

  10. Rubens Teles da Silva // 10 de março de 2018 às 14:21 // Responder

    Vamos acabar com esse monopólio temos que ter mais opções pois as mesmíssimas não temos opções às vezes de preço qualidade e pontualidade e destino de partida por exemplo eu sou de jundiai SP aqui tem bastante gente de BH e por causa do monopólio dos grandes não tem uma loba p BH que parte daqui

  11. a ÁNTT é um BAlCAO de negócios só a polícia federal pra dar jeito.

    se os responsáveis por esta empresa tivesse levado uma mala de direito na ÁNTT em Brasília teria saído de la com uma permissão de linha inclusive com processo e pareceres feitos com datas anteriores ao protocolo.

    como foi feito no processo que gerou a permissão da linha Brasília x Vila Rica da pagante.

    tá aí a dica é a prova para a Polícia Federal.

  12. João Luis Garcia // 10 de março de 2018 às 18:25 // Responder

    Fretamento é quando um grupo de pessoas aluga o veículo para uma determinada viagem com data determinada de saída e retorno, com relação de passageiros com identificação de todos.
    Isso é o que a ANTT garante através de uma licença a empresa de ônibus que efetuará a viagem logicamente se a empresa estiver devidamente registrada naquele órgão e o veículo cumprir os requisitos exigidos, agora o que a BUSER está propondo é totalmente irregular.
    Ela está vendendo uma viagem somente de ida.

  13. João Luis Garcia // 10 de março de 2018 às 18:35 // Responder

    Muito boa a sua colocação Anderson, hoje um dos grandes vilões do setor são a alta carga tributária que incide sobre a operação de uma empresa e o óleo diesel poderia ter um subsídio por parte dos governos estaduais e federal bastando que fosse isentada a cobrança do tributo como acontece com o querosene da aviação, para isso poderia-se cobrar mais na gasolina e no etanol, isso sim é fazer justiça e priorizar o transporte de passageiros.
    Além disso há a incidência do ICMS sobre a venda da passagem.

  14. Não adianta querer lutar contra o Buser ou outras plataformas que venham surgir, isso é perda tempo! A luta contra Uber provou isso, quanto mais tentavam impedir, era mais uma batalha perdida e ia ganhando cada vez mais popularidade. Não tem mais como conter novas tecnologias para manter o serviço de sempre, nem vale à pena tentar.

  15. Calma daqui a pouco a PF, chega lá…

  16. Jackson Menezes Alves // 11 de março de 2018 às 10:54 // Responder

    E impressionante como o pessoal são mal informado dês de quando vc tem um cnpj inscrição estadual E Municipal ninguém E clandestino é só ler o código civil brasileiro onde ele deixa claro que locadora seja avião navio ônibus vans independente de permissão autorização ou permissão para viajar ou seja antt não tem Amparo legal para fiscalizar locadoras

  17. Não duvido que seja o pessoal da ANTT comentando aqui dizendo que são clandestinos!

  18. Victor Henrique Gonçalves // 12 de março de 2018 às 15:53 // Responder

    A solução é simples: não parem! Furem o bloqueio e fujam da ANTT e da Polícia Militar! Quero ver o que vão fazer.

2 Trackbacks / Pingbacks

  1. Para Buser, ação da ANTT que impediu viagens SP-BH e BH-SP foi “arbitrária” – Diário do Transporte
  2. Após decisão favorável, Buser faz duas viagens em Minas Gerais – Diário do Transporte

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: