Toyota anuncia que não venderá mais carros a diesel na Europa

Johan van Zyl, CEO da Toyota Motor Europe. Foto: Agence France-Presse

Tecnologia diesel caiu na desconfiança do consumidor após o escândalo do dieselgate, protagonizado pela Volkswagen em 2015

ALEXANDRE PELEGI

A Toyota vai parar de vender automóveis a diesel na Europa até o final deste ano, afirmou nesta segunda-feira, 6 de março, em Genebra (Suíça), o CEO da Toyota Europe, Johan van Zyl.

Esse tipo de veículo representa menos de 10% das vendas de automóveis da montadora na Europa, afirmou Van Zyl. O executivo disse ainda que a empresa não vai desenvolver nova tecnologia diesel para automóveis de passageiros; ao invés disso, continuará focando na tecnologia de veículos híbridos.

A tecnologia diesel caiu na desconfiança do consumidor após o escândalo do dieselgate, protagonizado pela Volkswagen em 2015. O caso explodiu após a descoberta de fraude realizada pelo Grupo Volkswagen nos Estados Unidos, mas as investigações desvendaram desdobramentos em outros países (até mesmo o Brasil), atingindo outras marcas. A Volks utilizou-se de técnicas fraudulentas para driblar os testes de emissão de gases poluentes realizados pela Agência de Proteção Ambiental (EPA) nos EUA.

Apesar de ser mais um combustível econômico, a combustão do diesel emite compostos cancerígenos que causam danos ao meio ambiente. Em seu processo de combustão, os motores a diesel emitem gases e materiais particulados que diminuem a qualidade do ar. Em 2013, essas emissões foram classificadas como cancerígenas para seres humanos pela Agência Internacional de Pesquisa sobre o Câncer (Iarc), ligada a ONU. A agência concluiu que alta exposição a emissões de diesel causa câncer de pulmão.

O escândalo foi um duro golpe para os fabricantes de automóveis. No dia 27 de fevereiro um dos principais tribunais da Alemanha decidiu que as cidades de Stuttgart e Düsseldorf podem banir de seus centros urbanos os veículos altamente poluentes movidos a diesel como medida para reduzir a poluição ambiental. Relembre:  https://diariodotransporte.com.br/2018/02/27/tribunal-alemao-autoriza-cidades-do-pais-a-proibir-circulacao-de-veiculos-a-diesel-como-medida-de-combate-a-poluicao/

A decisão é histórica, e especialistas estimam que ela afetará dramaticamente o valor dos carros a diesel na Alemanha.  Além de um pesadelo administrativo para as autoridades locais, a decisão é um duro golpe para os motoristas que compraram veículos que, segundo a indústria, cumprem os padrões de emissões.

Paris, Madri, Cidade do México e Atenas já anunciaram que pretendem proibir os veículos a diesel dos centros da cidade até 2025. Já o prefeito de Copenhague quer proibir os carros a diesel de entrarem na cidade já no próximo ano.

França e Grã-Bretanha vão proibir novos carros a gasolina e diesel até 2040, em uma guinada radical em direção aos veículos elétricos.

A Volvo saiu na frente desse movimento, ao anunciar em julho de 2016 que todos os seus modelos terão motores elétricos a partir de 2019. Foi a primeira montadora a decretar o fim dos veículos movidos apenas por motores de combustão.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: