Montadoras alemãs testaram efeitos do diesel em macacos e humanos. Notícia provoca novo escândalo ambiental

Teste de um Volkswagen Golf na Califórnia em 2015. Naquele mês, a VW admitiu que havia instalado um software ilegal para burlar os padrões de emissões de diesel. Foto: Patrick T. Fallon / Bloomberg

Imprensa americana e alemã afirmam que VW, BMW e Daimler financiaram estudos em defesa do uso do diesel nos carros. Governo alemão condena testes e pede investigação

ALEXANDRE PELEGI

A Alemanha está em choque: os testes de emissões de gases emitidos por automóveis a diesel, realizados com financiamento de três grandes fabricantes de carros do país, envolveram como cobaias macacos e… humanos.

O escândalo foi denunciado pela imprensa dos EUA e da Alemanha, que dão como certo que os testes de emissões de gases tóxicos de veículos a diesel utilizaram seres humanos como cobaias.

Os jornais da Alemanha contam, com detalhes, a realização de testes em 2016, numa clínica em Aachen, que envolveram 25 jovens saudáveis.

O instituto responsável pelos testes era financiado por três grandes montadoras alemãs – Volkswagen, BMW e Daimler (detentora da marca Mercedes-Benz), além do grupo Bosch. Trata-se da organização European Research Group on Environment and Health in the Transport Sector (Grupo Europeu de Pesquisa sobre Meio Ambiente e Saúde no Setor de Transportes), que foi financiada pela Volkswagen, Daimler e BMW.

O Grupo, conhecido pelas iniciais de seu nome em alemão como E.U.G.T., encerrou suas atividades no ano passado em meio a controvérsias sobre seu trabalho.

O COMEÇO DE MAIS UM ESCÂNDALO

Tudo começou após a matéria do jornal The New York Times (NYT), de 25 de janeiro de 2018, sob o título “10 Monkeys and a Beetle: Inside VW’s Campaign for ‘Clean Diesel’” (algo como ‘Dez macacos e um Besouro: por dentro da campanha da Volkswagen do “Diesel Limpo”’). O nome Beetle, besouro em inglês, refere-se ao modelo do novo Fusca.

Os testes, acusa o NYT, envolveram também o grupo alemão Bosch, e teriam acontecido em 2014 nos EUA, realizados por uma organização europeia de saúde no setor do transporte financiada pelos quatro grupos.

Ainda segundo o NYT, os testes foram realizados após a Organização Mundial da Saúde, em 2012, ter classificado as emissões do diesel como cancerígenas.

O detalhe é que o carro usado no teste estava envolvido no “dieselgate”, escândalo que explodiu em 2015 e obrigou a Volkswagen a admitir que usava um dispositivo fraudulento para reduzir o nível de poluição emitida por motores a diesel em testes de laboratório.

JORNAIS ALEMÃES AMPLIFICAM O ESCÂNDALO

Nesta segunda-feira (29) o jornal alemão Süddeutsche Zeitung afirmou que os testes também foram realizados com 25 cobaias humanas (pessoas com boa saúde), na própria Alemanha. Elas teriam inalado óxidos de nitrogênio (NOx) no experimento em laboratório.

Com o propósito de mostrar que as emissões de motores a diesel não tinham maiores implicações sobre a saúde dos cidadãos, graças aos “progressos técnicos”, os testes foram feitos na Universidade de Aachen entre 2013 e 2014.

O grupo E.U.G.T alega que os testes se referiam à saúde no ambiente de trabalho, e não em poluentes de motores a diesel.

Em nota, a Volkswagen afirmou: “Sabemos que os métodos científicos usados pelo EUGT estavam errados e pedimos desculpas sinceras por isso”.

O governo alemão não só condenou as provas feitas pelas montadoras, como se manifestou através de seu ministro de transporte e agricultura, Christian Schimidt, que disse: “Isso mostra que a confiança na indústria automotiva volta a diminuir“. Christian disse ainda que pediu à comissão encarregada de investigar o “dieselgate” que também examine estas acusações.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. Marcos disse:

    Esses capitalistaa gananciosos estao pouco se lixando para a saude das pessoas, o que importa para eles e o lucro…gananciosos malditos…..a populacao poderia fazer um.boicote para essas empresas malditas e parar de comprar o produtos…so assim esses malditos sentiram na pele as barbaridades que eles cometem…

  2. Paulo Gil disse:

    Amigos, bom dia.

    Já que foi feito, o resultado dos testes tem de ser tornar público.

    Pelo menos poderá trazer algo de positivo a todos.

    Att,

    Paulo Gil

  3. Se é que trará, né Paulo

Deixe uma resposta