São Luís, capital do Maranhão, pode ter greve parcial de ônibus a partir desta quarta-feira (10)

Ônibus da Viação Primor (São Luís/MA). Foto: Jackson A. Barbosa / Ônibus Brasil)

Sindicato de motoristas e cobradores deu prazo até o fim do dia de hoje para que empresas de ônibus quitem pagamentos de salários e 13º; as que não pagarem, serão impedidas de circular 

ALEXANDRE PELEGI

Em reunião realizada nesta segunda-feira (8) na sede do Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários do Estado do Maranhão (STTREMA), os rodoviários de São Luís, capital maranhense, deram prazo até às 18h de hoje (9) para que os empresários de ônibus quitem as pendências legais com a categoria. Motoristas, cobradores e fiscais exigem o pagamento de salários e 13º, caso contrário entrarão em greve a partir de amanhã (10).

O sindicato que representa os motoristas e cobradores garante que se não houver a quitação dos vencimentos no prazo acordado, os trabalhadores cruzarão os braços. Líderes sindicais garantem que as empresas que não efetuarem o pagamento dos salários e dos benefícios em atraso, terão os ônibus impedidos de rodar.

O Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros de São Luís (SET) confirma os débitos, que, segundo informa, deverão ser quitados nas próximas horas.

A direção do STTREMA, por sua vez, afirma que ontem, dia 8, foi o prazo final para o cumprimento do pagamento dos trabalhadores. A convenção coletiva determina que o repasse dos valores deve ser feito até o quinto dia útil de cada mês. Algumas empresas não repassaram o décimo terceiro salário e o ticket-alimentação.

Motoristas e cobradores já ameaçaram greve por atraso nos salários em novembro de 2017, impedida por decisão judicial. Em janeiro e junho de 2017 ameaças semelhantes foram feitas. Além de atrasos nos salários, outra reclamação dos trabalhadores do setor de transportes públicos de São Luís tem sido a insegurança, devido ao número de casos de assaltos. Passagens

ÚLTIMO REAJUSTE DA TARIFA DE ÔNIBUS EM SÃO LUÍS ACONTECEU EM MARÇO DE 2016

Em São Luís, o último reajuste na tarifa de ônibus aconteceu em março de 2016. As negociações para o aumento da passagem na capital maranhense estão paralisadas desde agosto de 2017.

Representantes do SET, Sindicato das Empresas, entregaram à Prefeitura de São Luís uma planilha de gastos que demonstra queda na arrecadação, com destaque para o custo do diesel, que impactou fortemente os custos de operação.

Algumas empresas de ônibus de São Luís afirmam que hoje a defasagem entre o valor cobrado nas tarifas e os custos de operação do sistema já chega a 50%.

Imperatriz, a segunda cidade mais populosa do Maranhão, com mais de 270 mil habitantes, reajustou a tarifa no dia 6 deste mês  em 16%. A Prefeitura de São Luís, até o momento, não se manifestou sobre o assunto.

EMPRESAS DO SETOR SE QUEIXAM DE ATRASO NO REAJUSTE

Quatro empresas venceram a licitação do transporte público de São Luís, finalizada em julho de 2016: os consórcios Central, Via SL e Upaon-Açu, além da Viação Primor.

O Sindicado das empresas reclama do atraso na decisão para a revisão tarifária, que está prevista no edital de licitação do transporte público em seu item 3.1, referente à “manutenção do equilíbrio econômico-financeiro da concessão”. Os empresários afirmam que está assegurado à concessionária o reajuste anual da tarifa de remuneração, a ser concedido “por ato do poder concedente”.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: