NÃO VÁ ESQUECER: Reajuste de tarifas de ônibus da SPTrans, da CPTM e Metrô neste domingo, 7

Subsídios para sistema de transportes em 2018 devem ser de R$ 2,3 bilhões

Hoje é o último dia para comprar créditos com valor menor

ADAMO BAZANI/ALEXANDRE PELEGI

Quem quiser escapar por mais alguns dias do reajuste das tarifas de ônibus municipais do sistema SPTrans, da CPTM e do Metrô tem até às 23h59 de hoje para carregar o Bilhete Único.

A partir deste domingo, 07 de janeiro de 2018, a tarifa unitária destes meios de transporte sobe de R$ 3,80 para R$ 4. As tarifas integradas entre ônibus e sistema de trilhos passam de R$ 6,80 para R$ 6,96.

Também haverá reajuste nos bilhetes do Madrugador, Fidelidade, Lazer, Escolar e nas modalidades temporais do Bilhete Único (Mensal e Diário) – Ver tabela com valores abaixo.

Mas para carregar o Bilhete Único e atrasar um pouco o impacto do aumento da tarifa no bolso, há alguns limites: o valor máximo de recarga é R$ 300,00. O limite na modalidade comum do Bilhete Único é de R$ 350.

Os créditos comprados até hoje por R$ 3,80 não têm validade. Ou seja, você pode usar até quando acabarem pagando R$ 3,80.

A EMTU – Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos ainda não informou os reajustes das tarifas dos ônibus intermunicipais metropolitanos, do Corredor ABD de ônibus e trólebus e do VLT da Baixada Santista.

VEJA SE CONTINUA VALENDO A PENA:

Como haverá neste domingo reajuste no valor das modalidades temporais do Bilhete Único, também é necessário o passageiro saber se estes tipos de bilhete continuam valendo a pena para seus hábitos de deslocamento.

Bilhete Único Mensal – passará a custar R$ 194,30, um bom negócio somente para quem fizer a partir de 49 viagens por mês. Quem fizer 48 viagens pagando as passagens de forma avulsa (R$ 4,00), vai gastar um pouco menos, R$ 192,00. Logo, somente a partir da 49ª viagem, o usuário do Bilhete Único Mensal está “no lucro”. Se usá-lo menos que isso, levou prejuízo.

A conclusão é que esse tipo de Bilhete não vale a pena para quem vai e volta ao trabalho todos os dias usando apenas um modo de transporte. Se este tipo de usuário pagar a tarifa avulsa a R$ 4,00, ele gastará R$ 176,00 em 22 dias úteis, ida e volta, o que dá 44 tarifas. Este valor é R$ 18,30 mais barato do que o valor do Bilhete Único Mensal. Lembrando que o preço de R$ 194,30 é o mesmo para quem usa ônibus e Metrô. Ponto para a tarifa avulsa…

Bilhete Mensal Integrado – Para quem viaja constantemente usando a integração dos modos ônibus + trem/metrô, vale a pena este Bilhete se for usá-lo por, no mínimo, 22 dias. Para quem faz integração diariamente, o Bilhete Mensal Integrado custa R$ 307,00.

Se o usuário comprar a viagem integrada de forma avulsa, a R$ 6,96 cada, somente após 45 viagens passará a valer a pena o Bilhete Mensal Integrado ou, no caso de 2 viagens/dia, no 23º dia de uso. Neste caso, o usuário que só usa o transporte integrado para ir e voltar do trabalho, em 22 dias gastará R$ 306,24, quase o mesmo valor do Bilhete Mensal Integrado. De novo, a tarifa avulsa é a que mais compensa para o usuário que só usa o transporte coletivo para trabalhar…

Bilhete Mensal Comum – a R$ 194,30, só vale a pena para quem fizer mais de 49 viagens no mês. Isso porque, se pagar a tarifa avulsa a R$ 4,00, o usuário gastará R$ 196,00, pouca coisa a mais (R$ 1,70). Ou seja, o usuário do Bilhete Mensal Comum passa a ganhar com sua escolha somente na 50ª viagem.

Logo, o Bilhete Mensal Comum não vale a pena para quem só utiliza transporte coletivo para ir e voltar do trabalho: em 22 dias úteis no mês, este tipo de usuário gastará R$ 176,00 (44 passagens ida-volta) pagando a tarifa avulsa. Portanto, gastará menos R$ 18,30 do que o custo do Bilhete Mensal Comum.

CONCLUSÃO

Para as pessoas que só usam transporte coletivo para ir e voltar do trabalho por 22 dias no mês – em média o número de dias úteis – vale mais a pena pagar somente quando for usar.  “Tenha seu Bilhete Único e faça a recarga quando for preciso”, este pode ser o recado para este tipo de usuário. Além de não empatar seu dinheiro, poderá programar suas recargas a cada mês, investindo somente o dinheiro que realmente vai usar.

De todo jeito, vale a pena fazer as contas antes de comprar o formato de Bilhete que mais se encaixa no seu perfil de viajante dos transportes públicos.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: