Centro de Memória Ferroviária de Campos do Jordão completa um ano neste 30 de dezembro

Espaço dispõe de acervo sobre a história da centenária ferrovia e sua importância econômica, social e cultural para a região do Vale do Paraíba. Local tem entrada gratuita

ALEXANDRE PELEGI

O Centro de Memória Ferroviária de Campos do Jordão completa um ano neste 30 de dezembro.

Administrado pela Estrada de Ferro Campos do Jordão (EFCJ), o Centro de Memória foi aberto para visitação em 30 de dezembro de 2016, e neste período recebeu mais de 4.000 visitantes.

A Estrada de Ferro Campos do Jordão, que liga Pindamonhangaba, no Vale do Paraíba a Campos do Jordão, começou a ser construída em 1910, e foi inaugurada oficialmente em novembro de 1914.

O Centro de Memória Ferroviária de Campos do Jordão expõe diversos itens dessa centenária estrada de ferro, passando por momentos de sua história que começam desde seu planejamento – o propósito inicial foi transportar pacientes com tuberculose para tratamento, no final do século 19 – até sua inauguração em 1914, passando pela eletrificação da ferrovia, em 1924, e sua transformação em equipamento turístico, desde a década de 1940 até os dias atuais.

PEÇAS DO ACERVO:

A principal peça do acervo do Centro de Memória da EFCJ é uma rara automotriz movida a gasolina, que transportava passageiros entre Pindamonhangaba e Campos do Jordão, quando a viagem nesse percurso durava 12 horas, em média. Construída em 1917, a automotriz utilizou partes mecânicas do automóvel Berliet de origem francesa, e em 1922 recebeu o atual motor Mercedes, permanecendo em uso até meados da década de 1960.

No local há uma maquete ferroviária construída por funcionários da EFCJ na década de 1940 e uma exposição permanente com textos e imagens sobre a história da ferrovia, distribuídos em oito totens.

acervo_centro memoria ferro 01Fazem parte do acervo ainda telefones de parede, mobiliário de escritório, máquinas de escrever e de calcular, todos datados da década de 1920, relógios de ponto da década de 1950, e antigas ferramentas de manutenção de variadas épocas.

Ayrton Camargo, diretor da EFCJ, afirma:

“Ir ao Centro de Memória é um ótimo programa para toda a família durante as férias. É uma forma de os jovens, especialmente, aproveitarem o período longe da escola para ampliarem seus conhecimentos históricos e culturais”.

Localizado no Parque do Capivari, no principal bairro turístico de Campos do Jordão, o Centro de Memória Ferroviária funciona às sextas-feiras e aos sábados, das 9h às 11h30 e das 13h às 16h30, com entrada gratuita.

Mais informações podem ser obtidas pelo telefone (12) 3663-1531 ou pelo site www.efcj.sp.gov.br.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

3 comentários em Centro de Memória Ferroviária de Campos do Jordão completa um ano neste 30 de dezembro

  1. Amigos, bom dia.

    Ótima matéria Pelegi, me trouxe uma informação que eu desconhecia.

    Com certeza irei agendar este passeio que é imperdível, além do tradicional passeio de litorina e de bonde que não poderá faltar.

    Att,

    Paulo Gil

  2. A memoria dos trilhos deve ser preservada para guiar decisoes futuras. Parabens ao Dr. Ayrton Camargo e Silva pela sua imprescindivel contribuição.

  3. LUIZ CARLOS DIRENZI // 27 de dezembro de 2017 às 16:51 // Responder

    Somente a memória mesmo, pois o que fizeram com nossas ferrovias no Brasil em especial no Estado de São Paulo foi de dar dó. Depois dizem que a Privatização é um negócio bom. Bom para o Governo, Bom para o operador que visa lucro e péssimo para o usuário principalmente dos trens de passageiros que ficaram na mão sem um serviço tão importante.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: