Comissão da Câmara aprova PPA com aumento de recursos para mobilidade

Vereadores querem rios para mobilidade urbana

Vereadores querem mais R$ 12 milhões para projeto de transporte público hidroviário em São Paulo
ADAMO BAZANI
A Comissão de Finanças e Orçamento da Câmara Municipal de São Paulo aprovou nesta terça-feira, 05 de dezembro, o parecer favorável ao PPA – Plano Plurianual para o período entre 2018 e 2021.
O Diário do Transporte divulgou os principais pontos do PPA para a mobilidade urbana na capital paulista, em matéria especial de 7 de novembro. Os subsídios ao sistema de ônibus serão de R$ 2,34 bilhões, o que indica que a prefeitura pretende aumentar a tarifa unitária e as integrações. Neste ano, o valor deve ser de R$ 3,3 bilhões. A gestão Doria também relacionou os terminais de ônibus e corredores que devem receber investimentos neste período. Relembre:

Doria aumenta dinheiro de subprefeituras e detalha investimentos em corredores e terminais de ônibus


A versão aprovada pelos vereadores prevê aumento de verbas para a mobilidade urbana em relação ao texto original de Doria.
Um dos pontos destacados pela assessoria de imprensa da Câmara em relação à mobilidade foi a proposta de mais R$ 12 milhões para elaboração de projeto de uma rede de transporte hidroviária urbana em São Paulo.
Ainda são necessárias mais duas sessões para apresentação de emendas uma segunda votação, de forma definitiva.
O relatório do vereador Atílio Francisco (PRB), aprovado nesta terça-feira, ainda prevê a destinação de R$ 300 milhões em 2018 e mais R$ 300 milhões em 2019 para, segundo a Câmara, reduzir déficit habitacional da cidade.
O dinheiro, de acordo com a Câmara, o dinheiro deve ter origem nas privatizações.
“Esses recursos deverão vir do Plano Municipal de Desestatização para a construção de oito mil moradias populares” – diz nota da Câmara.
Os vereadores ainda preveem mais R$ 18,3 milhões para o Programa Acesso à Cultura, mais R$ 6 milhões para a Saúde que serão destinados para a construção de duas Ursis (Unidades de Referência à Saúde do Idoso) na zona Leste e R$ 20 milhões para a criação da Prefeitura Regional do Grajaú.
A proposta dos vereadores ao PPA também é reduzir de 10% para 5% do total do Orçamento, o volume de recursos que podem ser remanejados livremente pela prefeitura, o que pode influenciar nos subsídios às tarifas de ônibus caso os recursos previstos para 2018 não sejam suficientes.
É o que acontece neste ano. Em 2016, ao elaborar o Orçamento para este ano, o ex-prefeito Fernando Haddad reservou R$ 1,75 bilhão para os subsídios. Mas, com o congelamento da tarifa e aumento de custos operacionais e do total de passageiros com gratuidade, cujas viagens precisam ser subsidiadas, até o final do ano, a prefeitura deve utilizar R$ 3,3 bilhões em complementações tarifárias. O valor de R$ 1,75 bilhão acabou em julho e, desde então, a prefeitura tem realizado remanejamentos de outras áreas, que já somaram R$ 1,1 bilhão. Contando com o valor já usado até julho, os subsídios este ano já foram de R$ 2,85 bilhões.
REMANEJAMENTOS DO ORÇAMENTO PARA AS TARIFAS:
28 de novembro de 2017: R$ 162,77 milhões
01 de novembro de 2017: R$ 242,88 milhões
18 de outubro de 2017: R$ 30 milhões
10 de outubro de 2017: R$ 59,4 milhões
06 de outubro de 2017: R$ 80 milhões
29 de setembro de 2017: R$ 120 milhões
30 de agosto de 2017: R$ 262 milhões
27 de julho de 2017: R$ 148 milhões
Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

1 comentário em Comissão da Câmara aprova PPA com aumento de recursos para mobilidade

  1. Gostaria de saber como é o projeto hidroviário municipal de São Paulo.
    Até agora só ouvi falar do hidroanel que o Gov do Estado de São Paulo está construindo, contornando a Capital, com 2 eclusas já em funcionamento, 1 no Rio Pinheiros e outra em baixo do Cebolão e a que esta em construção no bairro da Penha, ambas no Rio Tietê na Capital Paulista.
    Se alguem souber favor informar
    obrigado

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: