Fortaleza desponta na América Latina como cidade em que usuários do transporte coletivo estão mais satisfeitos com o serviço

Publicado em: 1 de dezembro de 2017

Edição 2017 do Relatório de Economia e Desenvolvimento do CAF –Banco de Desenvolvimento da América Latina foi lançado em Recife nesta terça (28)

Pesquisa feita pelo CAF ouviu moradores de 11 cidades. Enquanto em São Paulo um em cada quatro habitantes está descontente com o transporte público, em Fortaleza proporção é de um em cada doze habitantes

ALEXANDRE PELEGI

Os cidadãos de Fortaleza são os mais satisfeitos com o serviço oferecido pelo sistema de transporte coletivo.

A descoberta foi revelada por um estudo feito pelo Banco de Desenvolvimento da Ámerica Latina (CAF). A pesquisa feita pela CAF ouviu a opinião de moradores de outras cidades, além de Fortaleza: Buenos Aires, Cidade do México, São Paulo, Caracas, Quito, Cidade do Panamá, La Paz e Bogotá. O estudo integra o Relatório de Economia e Desenvolvimento (RED 2017) do CAF, que indica que tanto São Paulo quanto o Rio de Janeiro experimentaram nos últimos anos um processo de sub-urbanização, caracterizado pela diminuição das densidades centrais e o crescimento das densidades nas periferias urbanas.

Participaram do evento de anúncio do relatório, lançado em Recife nesta terça-feira (28), o prefeito da cidade, Geraldo Júlio, o executivo-senior do CAF no Brasil, José Rafael Neto, além de diversas autoridades e gestores públicos brasileiros presentes no evento da Frente Nacional de Prefeitos (FNP).

INFORMAÇÕES

Dos moradores de Fortaleza, apenas 8,4% estão muito insatisfeitos. Para esses, a nota do serviço de transporte da cidade é 3, numa escala de 1 a 10.

Enquanto em São Paulo, um em cada quatro habitantes está descontente com o transporte público, em Fortaleza esse número é de um em cada doze habitantes.

Dentre as perguntas feitas pela pesquisa do Banco estavam questões como “por quanto tempo você deve andar de sua casa para acessar para os seguintes modos de transporte?”. As opções de livre escolha estavam relacionadas a ônibus, transporte articulado, táxi, metrô, mototáxi e bicicletas públicas.

Em sete das 11 cidades onde a pesquisa foi aplicada, pelo menos um quarto DOS moradores demonstrou insatisfação. Mesmo assim, os sistemas de transporte público melhor avaliados são os de Buenos Aires e Fortaleza.

No quesito “reclamações” o que a pesquisa coletou mostra similaridade nas 11 cidades. As queixas vão desde a falta de cobertura de ônibus em alguns horários, passando pelos preços das tarifas de serviço de táxi e bicicletas compartilhadas, até a falta de segurança durante a espera na parada.

Leia abaixo parte do texto produzido pelo Banco de Desenvolvimento da Ámerica Latina (Caf), sobre a pesquisa divulgada nesta terça-feira (28) em Recife, durante reunião da FNP:


Transporte e moradia no Brasil se destacam no relatório

Em matéria de transporte, São Paulo apresenta registros similares de tempo médio de viagem entre casa e trabalho que outras grandes cidades da região (quando considerados todos os meios de transporte, somente ida) – 42 minutos. Esse tempo médio sobe para 55 minutos nos casos dos transportes públicos. No entanto, a cidade apresenta altos níveis de descontentamento entre seus habitantes de seus usuários, sendo que 1 em cada 4 habitantes se declara insatisfeito com o sistema de transporte público, atrás de Bogotá, Cidade do Panamá, Lima e Montevidéu. Fortaleza é a cidade da região com a menor percentagem de descontentamento, da ordem de 8%.  A pesquisa mostra ainda que 39% dos latino-americanos usam o transporte público para irem ao trabalho, 22% se deslocam em meios de transporte privado e 26% caminham para irem trabalhar.

Segundo dados do Observatório de Mobilidade do CAF, várias cidades brasileiras se encontram entre as cidades da América Latina com menos uso de transporte público, entre elas Belo Horizonte e Recife, que apresentam as maiores proporções de viagens a pé (40%).

Quando se trata de moradia, os dados avaliativos brasileiros, em relação à média da região, são mais positivos. A “taxa de déficit qualitativo” no País, que resume as características físicas das moradias, os acessos a serviços públicos básicos e o regime de posse das mesmas, é de 21%, ante 33% na região. O item que mais influencia no déficit de qualidade das moradias no Brasil é a falta de acesso ao saneamento.

Governança

A governança de áreas metropolitanas se constitui em outro grande desafio para o desenvolvimento inclusivo das grandes áreas urbanas na América Latina. No caso do Brasil, diferentemente de outros países da região, são os estados que têm a responsabilidade de promover a governança metropolitana. São Paulo e Rio de Janeiro são analisados no estudo, sendo que SP (com 172 municípios integrados) se destaca com um funcionamento positivo da gestão de problemas metropolitanos, a cidade do Rio de Janeiro não dispõe de instrumentos nesse sentido, apesar de contar com uma população de 11 milhões de pessoas e 89 municípios em sua área metropolitana. 


Participaram do evento de anúncio do relatório o prefeito de Recife, Geraldo Júlio, o executivo-senior do CAF no Brasil, José Rafael Neto, além de diversas autoridades e gestores públicos brasileiros presentes no evento da FNP – Frente Nacional de Prefeitos.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transporte

Comentários

  1. Linaldo disse:

    Como fazer para ter os dados das pesquisas?

    1. blogpontodeonibus disse:

      Seria interessante você entrar com contato com o Banco de Desenvolvimento da Ámerica Latina (CAF).

  2. Paulo Gil disse:

    Amigos, bom dia.

    Uma dúvida:

    “Enquanto em São Paulo, um em cada habitante está descontente com o transporte público, em Fortaleza esse número é de um em cada doze habitantes.”

    Em Fortaleza é 1/12 descontentes.

    Em Sampa é 1/1 descontentes.

    É isso ? 100% descontentes ???

    Ou minha interpretação está errada?

    Att,

    Paulo Gil

    1. blogpontodeonibus disse:

      Paulo, obrigado pela observação. Foi erro de digitação. Já corrigi na matéria. São Paulo, segundo o relatório da CAF, apresenta altos níveis de descontentamento, sendo que 1 em cada 4 habitantes se declara insatisfeito com o sistema de transporte público, atrás de Bogotá, Cidade do Panamá, Lima e Montevidéu…

  3. Paulo Gil disse:

    Alexandre, olá.

    Muito obrigado.

    Ok, mas o texto acima do seu nome também precisa ser corrigido.

    Att,

    Paulo Gil

Deixe uma resposta