EMTU credencia empresas para inspecionar tecnologia embarcada em ônibus metropolitanos

Micro-ônibus do sistema EMTU. Sucesso de licitação é colocado em dúvida

Procedimento ocorre durante licitação das linhas da Grande São Paulo. Ônibus terão de possuir melhores sistemas de monitoramento. Possiblidade de certame ser esvaziado não pode ser desconsiderada, dizem fontes do setor

ADAMO BAZANI

A EMTU – Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos abriu processo de credenciamento para empresas e laboratórios realizarem a análise e certificação das tecnologias dos ônibus metropolitanos em todo o Estado de São Paulo.

As empresas ou grupos devem atuar na homologação dos equipamentos novos e sistemas a serem embarcados nos veículos e também das soluções para a integração entre as centrais de controle e monitoramento da EMTU com as das viações

A contratação destas empresas não será feita pela EMTU e sim pelas fabricantes dos equipamentos tecnológicos que serão submetidos à homologação. Os custos dos serviços também serão pagos pelas fornecedoras e fabricantes.

Entre os interessados podem se cadastrar neste procedimento:

– Organismos de Certificação Designados – OCD

– Laboratórios de Testes Credenciados ou Designados (LTD)

– Organismos de Inspeção Designados (OID)

No edital, a EMTU deixa claro que não haverá contratos exclusivos, ou seja, mais de uma empresa pode ser contratada para realizar os mesmos serviços.

A relação das empresas selecionadas pela EMTU ficará disponível para as empresas fabricantes dos equipamentos de tecnologia a serem homologados fazerem as escolhas e contratações.

O objetivo de a EMTU selecionar antes as empresas para depois as fabricantes e fornecedores escolherem, segundo a gerenciadora, é para que haja mais confiabilidade nos resultados das análises para as homologações.

As empresas certificadoras pré-selecionadas, segundo o aviso de credenciamento, devem seguir os critérios técnicos, documentais e econômicos estipulados pela EMTU. Assim, um dos intuitos é evitar que as fabricantes chamem “empresas amigas” para a homologação com critérios suspeitos.

Entre os equipamentos a serem homologados estão: CPUs, antena de GPS, terminal de dados do motorista, botão de emergência, telemetria, circuito fechado de TV, painel interno de mensagens, letreiros de itinerários, sistema de áudio, contador de passageiros, wi-fi para acesso dos passageiros gratuitamente à internet, entre outros.

O aviso de credenciamento ocorre bem em meio ao processo de licitação que vai envolver 38 municípios da Grande São Paulo com ligações para a capital paulista. Os contratos assinados em 2006 em quatro áreas operacionais, que englobam 31 municípios, acabaram em 2016 e os serviços estão sendo operados por meio de aditivos. Já na área 5, correspondente ao ABC Paulista, houve seis tentativas de licitação, sendo que em cinco delas os empresários da região esvaziaram o certamente porque não concordavam com as exigências e remunerações da EMTU e, em uma delas, o processo foi barrado pela Justiça de Manaus, onde o empresário Baltazar José de Sousa está em recuperação judicial há vários anos. Baltazar atua no ABC Paulista.

A abertura dos envelopes deve ocorrer no próximo dia 21. Fontes do setor disseram ao Diário do Transporte que as chances de haver esvaziamento, não apenas na área 5, não podem ser descartadas.

O principal critério para um consórcio der considerado vencedor é o maior desconto sobre as tarifas estipuladas pela EMTU no edital, mas os empresários reclamam de defasagem de 20% sobre estas tarifas e podem não apresentar as propostas.

Relembre matéria com os principais pontos do edital:

https://diariodotransporte.com.br/2017/09/19/confira-os-principais-pontos-do-edital-de-licitacao-da-emtu/

Confira o aviso de credenciamento das empresas de homologação pela EMTU:

Credenciamento 1_2017

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: