Viação Piracicabana de Brasília vai receber R$ 8,3 milhões para 25 ônibus pelo Refrota

Ônibus serão renovados em Brasília.

Financiamento é pelo Banco Mercedes-Benz, o primeiro da instituição pela linha com recursos do FGTS

ADAMO BAZANI

Após um primeiro semestre praticamente sem utilidade, por causa de problemas ligados em especial à inexperiência da Caixa Econômica Federal no financiamento de ônibus, o Refrota, programa que conta com recursos do FGTS, vai financiar mais uma empresa para renovar os coletivos.

O Ministério das Cidades, responsável pela análise das propostas das transportadoras, selecionou o pedido de financiamento da Viação Piracicabana, do Grupo Comporte, que vai receber empréstimo de R$ 8,3 milhões para a compra de 25 ônibus novos básicos.

Os veículos serão destinados para o sistema do Distrito Federal.

Agora, restam formalidades e a análise dos documentos para a liberação de fato do dinheiro.

Em nota, após a divulgação em primeira mão pelo Diário do Transporte, o o diretor comercial do Banco Mercedes-Benz, Diego Marin, diz que a inclusão da instituição financeira da montadora no programa do Governo Federal, deve alavancar novos negócios.

“A Mercedes-Benz é a marca líder de vendas no segmento de ônibus urbanos, e nós somos o maior financiador de veículos da marca. Por isso, a inclusão do Refrota em nosso portfólio é fundamental para garantir as melhores opções de negócios para nossos clientes. Este, com certeza, é o primeiro de muitos negócios”

O Refrota 17, anunciado oficialmente em dezembro do ano passado, travou no início deste ano. Houve vários problemas. A Caixa Econômica Federal, a primeira instituição bancária a operar a linha, exigia para liberar o dinheiro, um seguro para ônibus urbanos, que não existe no mercado. Além disso, houve problemas de defasagem dos recursos liberados frente à variação dos preços dos veículos por causa da demora da liberação do dinheiro.

Foram reservados R$ 3 bilhões para a compra de 10 mil ônibus, mas apenas uma pequena parte do dinheiro foi usada por causa do atraso no início efetivo do programa.

Por enquanto, os principais financiamentos no âmbito do Refrota são:

– Suzantur (Mauá-SP): R$ 30,3 milhões – 100 ônibus – Caixa Econômica Federal

– Sancetur – Santa Cecília Turismo Ltda (Valinhos/SP): R$ 14,9 milhões – 45 ônibus – Caixa Econômica Federal

– Viação Garcia (Londrina-PR /Maringá-PR): R$  9,5 milhões – 30 ônibus – BRDE – Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (crédito liberado em 11 de setembro de 2017)

– Viação Piracicabana (Brasília-DF): R$ 8,33 milhões – 25 ônibus – Banco Mercedes-Benz

– Mobibrasil Expresso S.A. (Recife-PE, São Lourenço da Mata-PE, Camaragibe-PE): R$ 5,37 milhões – 20 ônibus  Caixa Econômica Federal

– Transcol – Empresa de Transportes Coletivos Ltda (Teresina-PI): R$ 5,2 milhões – 15 ônibus – Caixa Econômica Federal.

– Viação na Montanha Ltda (Campos do Jordão-SP): R$ 3,46 milhões  – 12 ônibus – Caixa Econômica Federal

– Viação Cidade Sorriso de Toledo (Toledo/PR): R$ 2,21 milhões – 10 ônibus – BRDE – Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul

– Transportes Coletivos Capivari Ltda (Tubarão-SC e Capivari de Baixo-SC): R$ 2,98 milhões – 07 ônibus – Caixa Econômica Federal

– SEI EMTRACOL – Empresa de Transportes Coletivos Ltda (Teresina-PI): R$ 2,29 milhões – 06 ônibus – Caixa Econômica Federal

– Viação Santana Ltda(Teresina-PI): R$ 1,9 milhão – 05 ônibus – Caixa Econômica Federal (seleção da proposta)

– Transportes São Cristóvão Ltda (Teresina-PI): R$ 1,52 milhão – 04 ônibus – Caixa Econômica Federal

– Transportes Coletivos Cidade Verde Ltda (Teresina-PI): R$ 1,52 milhão – 04 ônibus – Caixa Econômica Federal

– Transportes Therezina Ltda (Teresina-PI): R$ 1,14 milhão – 03 ônibus – Caixa Econômica Federal

Os valores podem variar de acordo com a data da apresentação da carta-consulta e o tipo de ônibus.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

1 comentário em Viação Piracicabana de Brasília vai receber R$ 8,3 milhões para 25 ônibus pelo Refrota

  1. Amigos, boa noite.

    Nada contra ninguém.

    Mas esse REFROTA ai só beneficia grandes empresas.

    Ou é impressão minha ????

    Uma Piracicabana precisa dese benefício ????

    Acho que dá mais lucro revender buzão do que transportar bonecos.

    Fica ai para reflexão de todos.

    Att,

    Paulo Gil

Deixe uma resposta